Concurso de roteiros (oficial)

 :: ATIVIDADE :: Roteiro

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ir em baixo

Concurso de roteiros (oficial) Empty Concurso de roteiros (oficial)

Mensagem por kingkenzo em Sex Abr 13, 2012 5:23 pm

É dado início ao primeiro Concurso de Roteiros!!! Yay!!!

Favor não postar nada aqui que não seja o roteiro para participar


acabou o concurso
segue um link para baixar os roteiros em pdf, para uma leitura mais confortável. contém todos os roteiros, as regras do concurso e as notas/colocações de cada roteiro. deu a louca no gerente! o que você está esperando, baixe antes que ele mude de ideia!

http://www.4shared.com/rar/k9wqL7qJ/primeiro_concurso_de_roteiros_.html?



As regras são simples:

o concurso
- todos podem participar enviando seus roteiros;
- o prazo para o envio dos roteiros vai do dia 13/04 até 30/04;
- não serão avaliados roteiros que não se encaixem nas regras;
- não haverá premiação;
- importante: ao final do concurso será disponibilizado pelo 4share um arquivo compactado (.rar) contendo todos os projetos participantes e as notas finais no formato pdf. Caso não queira que seu projeto esteja presente nesse arquivo avise no final da postagem do roteiro (depois do spoiler com o texto).

o roteiro
- deve seguir a linha de roteiro descrevendo página por página ou quadro a quadro;
- deve totalizar exatamente 20 páginas;
- deve ser feita uma releitura do tema proposto;
- a releitura deve ser feita seguindo a ideia geral do tema proposto, podendo mudar o que desejar;
- a intenção da releitura não é fazer uma continuação, nem uma recriação exata (personagens, estória, etc) do tema;
- deve ser um one-shot, podendo deixar em aberto como Harry Potter;

para participar
- poste seu roteiro nesse tópico seguindo a ordem:
1- seu nome/nick;
2- uma sinopse curta (aprox. 5 linhas) do roteiro;
3- o roteiro dentro de spoilers.
- caso queira participar, mas não faça parte do fórum envie um e-mail para king_kenzo@hotmail.com com tudo que for necessário para que seja postado aqui, vou postar exatamente o que me for enviado (lembre-se de revisar bem, pois uma vez postado aqui não vou fazer correções).

avaliação
- os projetos serão julgados por juízes que darão notas de 0 a 10 para três quesitos:
1- criatividade: o roteirista soube criar algo bacana encima do tema proposto;
2- personagens: os atos dos personagens fazem sentido com a personalidade dada a eles;
3- narrativa: o roteirista soube contar a estória de maneira adequada.
- cada juiz seguirá o seu critério;
- o vencedor vai ser aquele que obtiver a melhor média de notas.

Tema
Bakuman
Concurso de roteiros (oficial) Bakuman11n

"Bakuman é um mangá feito pelos criadores de Death Note, Tsugumi Ohba e Takeshi Obata. Bakuman é a história de dois garotos do 9º ano que querem se tornar mangakás, ou criadores de mangás. Os personagens principais incluem Moritaka Mashiro, que é um desenhista, e Akito Takagi, que é um roteirista. Os primeiros capítulos alternam situações de drama adolescente com informações sobre a história do mangá e sobre os aspectos técnicos da criação dos mesmos. Durante o primeiro capítulo, há varias citações de mangás de grande sucesso, desde Death Note até One Piece." Fonte: wikipédia.

Link para um site de leitura online (a leitura do primeiro capítulo é suficiente para entender a base do tema)
http://mangasproject.xpg.com.br/Manga/54-Bakuman

Dicas:
- tente escrever de forma que a leitura se torne gostosa e fluida. Segue um tópico com tema semelhante https://dpzine.forumeiros.com/t515-leiam-roteiristas

- pegue o tema e transforme todo o conteúdo em uma linha, depois comece a criar. Meu exemplo de resumo do tema:
"dois mocinhos tem que realizar uma tarefa aparentemente impossível para conquistar um prêmio incomum"

Dúvidas e comentários
https://dpzine.forumeiros.com/t500-concurso-de-roteiros-duvidas-e-comentarios#5501


Última edição por kingkenzo em Seg Jun 04, 2012 2:34 pm, editado 7 vez(es)
kingkenzo
kingkenzo

Mensagens : 368
Data de inscrição : 21/12/2011
Idade : 28
Localização : Campinas - SP

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Concurso de roteiros (oficial) Empty Re: Concurso de roteiros (oficial)

Mensagem por juanito em Sab Abr 14, 2012 1:23 am

AUTOR:JUANITO
BAFOMAN


Sinopse: BAFOMAN é uma historia que conta a difícil vida de Jun um adolescente
que fez 18 anos e sonha em ser um grande empresário, mas nunca consegue por que
ele é sempre rejeitado nas entrevistas de emprego devido ao seu mau hálito sem
saber disso ele pensa em desistir de seu sonho e por ironia do destino acaba encontrando
seu antigo amigo de escola, Ryo que também tinha o mesmo sonho, mas não passava
na entrevista de emprego devido ao seu forte CC juntos Jun e Ryo tentam dar a
volta por cima de seus defeitos para realizarem seus sonhos.


Spoiler:
AUTOR:JUANITO



BAFOMAN


BAFOMAN é uma historia que conta a difícil vida de Jun um adolescente
que fez 18 anos e sonha em ser um grande empresário, mas nunca consegue por que
ele é sempre rejeitado nas entrevistas de emprego devido ao seu mau hálito sem
saber disso ele pensa em desistir de seu sonho e por ironia do destino acaba encontrando
seu antigo amigo de escola, Ryo que também tinha o mesmo sonho, mas não passava
na entrevista de emprego devido ao seu forte CC juntos Jun e Ryo tentam dar a
volta por cima de seus defeitos para realizarem seus sonhos.





Capitulo: Vamos conseguir


1º pagina


Em uma casa alguém dormia de baixo de vários cobertores
quando o despertador toca.


Jun: UHUUUU já é de manha é hoje é hoje...


Cho: ei jun seu retardado sabe que horas são?


Jun: aaa foi mal maninha é que hoje é meu dia de sorte eu
sinto que vou arrumar um emprego


Cho: sei sei do mesmo jeito que ontem foi seu dia de sorte
antes de ontem e todos os dias desde que você fez 18 anos


Hina: aa Cho não precisa jogar na cara do seu irmão haha


Hina: a Jun anda logo tira esse pijama e vai tomar seu café
da manha


Jun: ta mãe


Na cozinha


O pai de jun estava lendo jornal enquanto Cho e hina estavam
tomando seu café da manha


Jun: bom dia pai


Susumu: bom dia...


Jun: eu vou pra outra entrevista de emprego vou tomar o café
no caminho


Susumu: ta...


2º pagina


Fora da casa de jun


Narração de jun enquanto caminha na rua: essa é a minha
família meu pai Susumu minha mãe hina e minha Irma mais velha Cho de 20 anos e
meu nome é jun eu tenho 18 anos e sonho em ser um grande empresário


Narração de jun durante flash back: mas não sei por que eu
sou sempre rejeitado- jun sendo rejeitado por varias pessoas diferentes.


Jun entra em uma estação de trem as pessoas correm
desesperadas mas jun não percebe por que esta perdido em seus pensamentos:hoje
eu sinto que vou conseguir é isso mesmo hoje eu vou conseguir


Jun entra no trem todas as pessoas que estavam no trem saem
correndo tampando o nariz, minutos depois jun chega ao seu destino e desce do
trem


3º pagina


Após jun descer do trem as pessoas correm novamente e jun
pensa: nossa toda essa correria pra ir pro trabalho deve ser bom mesmo agora eu
fiquei ate mais animado


Então jun sai da estação anda alguns metros tira uma papel
do bolso no papel estava escrito ‘’C.A.M.E rua 2 bairro taroktatsu nº 135 3º
andar falar com takeshi ’’ olha para um prédio com o numero 135 e diz: aa é
aqui mesmo


Então jun abre um sorriso e entra no prédio. Na porta havia
três atendentes então jun as cumprimenta:bom dia eu vim fazer a entrevista de
emprego


As atendentes sentem o um forte cheiro que saia da boca de
jun, e tampam o nariz enquanto seus olhos lacrimejam e uma delas diz: 3º andar


Jun: obrigado


Atendentes: bleee aa meu deus...


Então jun entra em um elevador onde tinham dois homens que
sentem o cheiro e saem dizendo: 1º homem:aa acho que vou de escada eu to meio
gordo 2º homem:é eu também


Jun olha sem perceber a situação e pensa: incrível como as
pessoas valorizam a beleza hoje em dia


4º pagina


No terceiro andar jun sai do elevador sorridente exalando o
forte cheiro da sua boca então todos os funcionários sentem o cheiro todos
tampam o nariz um deles ate pula a janela


Jun: haha bom dia pessoal


Pessoas: cof cof


Pessoa: bleeeee- homem vomitando na lixeira


Jun pensando: haha que pessoas animadas


Então um cara sai de uma sala gritando mais que **** quem
morreu aqui?


Pessoa: aa takeshi é bem pior que isso


Jun vê o homem chamando o outro de takeshi e diz: aa takeshi
muito prazer meu nome é jun


5º pagina


Takeshi: coloca a manga do terno no nariz pra não sentir o
mau cheiro e diz: eu te conheço?


Jun: não é que eu vim fazer uma entrevista de emprego


Takeshi: aa eu sinto muito todas as vagas foram preenchidas


Jun: não tem outra eu posso trabalhar de qualquer coisa


Takeshi: não não tem mas nenhuma


Jun: pode ser qualquer coisa ate mesmo faxineiro


Takeshi: sinto muito não temos mais vagas


Então jun olha para uma folha que estava próxima a porta de
onde takeshi saiu e percebe que estava escrito 5 vagas abertas para
administrador e percebe que já tinha sido rejeitado antes mesmo de fazer a
entrevista e diz meio chateado: a tudo bem eu entendo já vou indo então


Então jun vai embora e todos os funcionários dizem: aaa
graças a deus


Fora do prédio


Jun andava com uma expressão de chateação enquanto isso
alguns médicos levavam o cara que pulou do prédio para a ambulância


6º pagina


Jun pensava:aa cara ser rejeitado sem nem passar pela
entrevista eu sou um lixo mesmo


Então jun escuta alguém chamando seu nome


Pessoa:junnnn!!!! Junnn sou eu...


Jun olha para traz e vê um cara e pensa: ham?? Esse não é o
ryo?


Então o homem levanta o braço que exala uma espécie de
fumaça verde então um menino que passa de skate do lado dele cai no chão sem
nem repar o homem diz:eiii junnn sou eu o Ryo


Ryo corre ate jun acenando e as pessoas que estavam por
perto caiam no chão


Jun:aa oi ryo


Ryo:oi jun a quanto tempo cara como você ta cara? Já
arranjou um emprego?


Jun:a não cara eu estou tentando mas nunca consigo acho que
vou morrer mendigando ou morando com meus pais


Então ryo olha pra jun pensa um pouco e percebe que jun esta
meio cabisbaixo





Ryo e jun conversavam enquanto caminhavam


Ryo:iii coe cara não fica assim eu também não consigo um
emprego e olha que eu to procurando desde que eu fiz 18 anos


Jun:nossa serio eu também


Ryo:nossa o que será que ta acontecendo com essas empresas
de hoje em dia que não sabem ver o valor das pessoas?


Jun:empresa? Você também quer ser empresário?


Ryo: é claro cara eu fiz vários cursos pela internet eu não
sei por que mais sempre que ia fazer um curso em uma escola não tinha vagas


Jun:nossa cara que coincidência eu também fiz cursos pela
internet e nunca consegui entrar em uma escola por que não tinha vagas


Ryo:haha cara ate nisso nos somos parecidos


Jun:hum... cara eu já estou desistindo de ser empresário
acho que não sou bom o suficiente


Ryo:hm...





Eles continuam conversando enquanto conversam e chegam em
uma praça


Ryo: aa coe cara não fala isso você é inteligente e objetivo
se não fosse você não sei o que seria de mim


Então eles sentam em um banco perto deles havia alguns
pombos quando jun suspirou os pombos morreram instantaneamente


Jun:...


Ryo: cara você lembra daquele tempo na escola você era
demais cara vou te contar uma coisa que nunca contei pra ninguém


Jun:...


Ryo: antes de você chagar na escola eu sofria bulling mais
não era aquele bulling que alguém bate em você as pessoas simplesmente me
excluíam ate mesmo a professora fazia isso


Ryo com oito anos flash back:eu tentava fazer amizade com as
pessoas mas eles simplesmente caiam no chão e se fingiam de morto isso me
deixava muito triste


Ryo flash back: na hora das aulas a professora me colocava
pra fora da sala eu tinha que aprender pelo lado de fora da sala olhando pela
janela


Ryo flash back: foi então que você chegou





Ryo: flash back: quando eu te vi de longe já sabia que você
era diferente sabe um cara especial, todas as meninas gritaram quando você
chegou kyaaa e depois desmaiaram ate as professoras desmaiaram


Meninas da escola: kyaaaaaa que fedor aaa meu deus


Jun olhando pra baixo suspira com um sorriso: fun


Ryo flash back: os meninos até vomitavam com inveja de você


Meninos: bleeeeee


Ryo: cara só de te ver sabia que você era o cara mais legal
que eu já tinha visto


Ryo flash back: e por ironia do destino a professora decide
te colocar pra estudar comigo fora da sala


Ryo:cara você não sabe o quanto eu fiquei feliz


Jun da um sorriso


10º


Ryo:cara você tem sido meu único amigo desde aquela época


Jun:você também


Ryo:então não tem por que ficar triste por que não conseguiu
um emprego eu sei que você e inteligente eles não sabem o que estão perdendo


Jun:valeu você também é muito inteligente


Ryo:haha então vamos cara vamos fazer o Maximo pelos nossos
sonhos e virar grandes empresários juntos


Jun:hum ta bom cara


Ryo:é assim que se fala


Jun:e como vamos fazer isso?


Ryo:vamos estudar o Maximo pra ser o melhores e também vamos
estudar línguas estrangeiras pra poder trabalhar em qualquer lugar do mundo


jun:haha você pensa alto vamos então


11º


Então jun e Ryo vão para casa de Ryo era uma casa enorme


Na casa de Ryo jun diz: caraaa que casa legal cadê seus
pais?


Ryo: meus pais não estão eles me deram essa casa pra eu ter
privacidade


Jun: nossa seus pais são ricos?


Ryo: na verdade minha família toda é rica mais eu quero
conquistar minhas coisas com meu suor


Jun: haha entendo...


Jun: onde vamos estudar?


Ryo: no meu quarto no segundo andar


Chegando no segundo andar eles entram no quarto de Ryo e ao
entra jun se depara com uma biblioteca imensa


Jun: nossa você tem uma biblioteca na sua casa


Ryo:haha é que eles me proibiram de entrar na biblioteca
publica então tive que me virar


12º


Narração de jun: então nos estudamos por meses varias coisas
relacionadas a empresas, línguas estrangeiras e ate mesmo computação


Imagens de jun e Ryo lendo livros,escrevendo,dormindo com os
livros, pensando e mexendo no computador


13º


Narração de jun: Então depois de tanto tempo achamos que já
estávamos prontos então decidimos tentar de novo e mandamos nosso currículo
pela internet pra uma empresa chamada ‘’A.B.C’’


Narração de jun:Depois de alguns dias recebemos uma resposta
dizendo que deveríamos ir fazer a entrevista de emprego então nos compramos
ternos,calças e sapatos novos pela internet e fomos para a entrevista no carro
do Ryo


Na frente da portaria da empresa A.B.C


Ryo: então é hoje cara ta sentindo isso cara?


Jun: o que?


Ryo: esse frio na barriga


Jun: estou


Ryo: perfeito então vamos


14º


Os dois entraram no prédio e as flores que estavam perto da
porta murcharam e o porteiro sentiu aquele odor estranho e tampou seu nariz


Jun e Ryo: bom dia


Porteiro: bom di~a~~


Então eles falam com a atendente que estavam La pra fazer a
entrevista a atendente também sente o cheiro e diz lacrimejando: a sala do RH
fica no 2º andar a direita


Jun e Ryo: muito obrigado


Então os dois entram no elevador que estava vazio e vão ao
segundo andar


Chegando no segundo andar as pessoas sentiram o cheiro de
longe e ficaram eufóricas todos corriam
e gritavam:meu deusss isso é isso é...


Então jun e Ryo entram a direita onde havia um corredor e na
placa estava escrito RH então jun bate na porta


Então a porta se abre


15º


Um homem sai e pergunta: mas que **** de cheiro é esse?


Jun e Ryo: Bom Dia senhor é um prazer te conhecer!!!


Homem: o que? quem são vocês?


Jun: meu nome é jun e eu quero ser um empresário


Ryo: e eu sou Ryo e também quero ser empresário


Homem: empresário é? Bom meu nome é Noboru e eu sou
encarregado em contratar as pessoas nessa empresa


Jun e Ryo: é um prazer te conhecer Noboru


Noboru: e esse cheiro de onde vem?


Jun e ryo: ??? cheiro mas que cheiro?


Noboru: hammmmm?? Vocês não estão sentindo isso?


Jun e Ryo: não


Então noboru cheira ryo e jun e logo percebe que o cheiro
vem deles


16º


Noboru: bom eu li o currículo de vocês e adorei mais
infelizmente vocês não podem trabalhar aqui


Ryo e jun: hammmmmmm???


Ryo: mas por que se é tão bom você deveria nos aceitar ne!?


Noboru:eu não posso aceitar vocês por que vocês fedem


Então jun e ryo ficam em choque


Noboru diz pra jun: você tem um bafo que fede mais que a minha tia e olha que
ela morreu


Noboru diz pra ryo: e você tem o pior CC que eu já vi em
anos


Noboru: me desculpem se eu falei demais ou se eu magoei
vocês mas pelo menos eu tinha que falar a verdade


Jun: a não ta tudo bem então nos já vamos


Os dois saíram cabisbaixos


17º


No elevador os dois começam a pensar em por que sempre foram
rejeitados na escola e no trabalho jun se lembra das pessoas na estação de trem
e entende o porquê elas corriam sempre que ele chegava e ryo se lembra da
escola e entende por que ele estudava fora da sala


Jun pensando:aa então era por isso


Ryo pensando: ****** por que ninguém disse isso antes


Ryo: jun por que você não me disse que eu fedia?


Jun: eu não sabia nunca senti o seu cheiro acho que foi por
causa do meu e você por que não me disse?


Ryo:eu também não sabia que você fedia


18º


Então jun senta no elevador e começa a chorar e Ryo diz:
cara não chora, eu sei que foi um choque pra você como também foi pra mim


Jun:por que ninguém disse antes nem nossa família


Ryo: talvez eles também não tenham sentido o cheiro por que
se acostumaram


Jun:...


Ryo:cara não chora agente vai encontrar um jeito de superar
isso e dar a volta por cima


Jun: ta bem~~


Jun enxuga as lagrimas e os dois saem do elevador e depois
do prédio


Fora do prédio


Jun:cara eu vou pra casa pensar um pouco


Ryo: entendo... você pelo menos quer uma carona?


Jun: não.Eu vou de a pé


Ryo:ta bem


19º


Então jun vai de a pé para casa cabisbaixo só olhando pra
baixo e pensando


Após algum tempo ele chega em casa e sua mãe diz: o jun como
foi na entrevista?


Jun: nada bom


Hina: aa não fica triste um dia você consegue um emprego


Jun: mãe é verdade que eu fedo?


Hina: a filho então é disso que se trata


Hina:bom quando você era criança você fedia muito e não
gostava de escovar os dentes então nos simplesmente deixamos e quando fomos perceber nem sentíamos mais
seu cheiro


Jun:hm...


Cho:ei jun é o ryo no telefone


Jun vai atender o telefone: alô?


Ryo : já sei um jeito de encontrar um emprego


Jun fica surpreso


Jun:serio?


Ryo:é cara vem aqui em casa


20º


Jun vai a casa de ryo


Jun:então como vamos arrumar um emprego?


Ryo: nos vamos abrir nossa própria empresa


Jun fica surpreso


Jun:mas como?


Ryo:nos não estudamos tanto a toa eu pedi pros meus pais
financiarem então não precisamos nos preocupar


Jun e de que vai ser essa empresa


Ryo:vai ser de comunicação nos não vamos precisar chegar
perto das pessoas e vamos trabalhar


Jun fica empolgado:nossa isso é incrível


Narração de jun:então eu e ryo montamos nossa empresa que se
chama microsofiti e realizamos nosso sonho


No sofá Susumu lia o jornal e na primeira pagina estava
escrito amigos empresários ficam bilionários com empresa de comunicação se
tornando uns dos maiores empresários do mundo.





FIM




Última edição por juanito em Sab Abr 14, 2012 4:41 pm, editado 1 vez(es)
juanito
juanito

Mensagens : 2614
Data de inscrição : 14/03/2012
Idade : 26
Localização : MG

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Concurso de roteiros (oficial) Empty Re: Concurso de roteiros (oficial)

Mensagem por Dariks em Sab Abr 14, 2012 4:28 pm

Autor: Dariks

Título: World of Masked Man

Sinopse:

Sven, após perder seu amigo, tenta se tronar mangaká sozinho, mas tem problemas na
criação da estória. Decide então deixar para inventá-la depois de sua viagem ao Japão.
Mas no meio da viagem acontece algom inesperado que parece mudar tudo e ele é levado
à um mundo que um homem mascarado o guia até o objetivo de Sven. Lá ele saberá o que
precisa para se tornar mangaká. Mas algo ainda mais inesperdo acontece no final...


Spoiler:

World of Masked Man

Pagina 1

Um prédio, antiga construção, em um bairro de predominância alemã.
Uma sala meio escura, iluminada por algumas luminárias.
Vários papéis amassados jogados à lixeira, maioria fora dela.
Um bico de pena G, com a ponta suja de nanquim.
Uma mão pálida segura um bico de pena de cabo prateado.
Um homem de aparentemente 26 anos, pele pálida e cabelos negros, uma expressão prolixa seu rosto esboça, segura seu bico de pena em direção ao papel. (Nota:: Prolixa: Grosseira, tensa.)
“Sven segura sua pena em direção ao papel... Algo genial sairá...?”
Sven [pensamento]: Minhas idéias parecem que se diluíram na chuva de ontem

Ele encosta o bico de pena no papel.

Sven [pensamento]: Depois de anos de tentativa, uma porta se abre para a conclusão do meu sonho, consegui marcar uma reunião com uma editora de mangás japonesa, mas...

Ele pressiona a pena no papel, fazendo com que as pontas se abram.
Bruscamente ele move o braço para o lado, fazendo um risco no papel, e lançando o bico de pena na parede.

Sven [gritando]: A idéia não sai!!

Pagina 2

Sven se levanta da cadeira.
Coloca seus papéis dentro de uma pasta e busca o bico de pena

Sven [pensamento]: Não posso que estressar assim... Com certeza a idéia virá...

Ele guarda seus materiais e enfia algumas roupas dentro da bolsa.
Deita-se na cama. Seus olhos estão carregados de olheiras.

Página 3

Sven [pensamento]: Amanhã é o meu vôo, quando chegar lá no Japão eu pensarei em algo, e farei o melhor de todos os mangás... E então o autor Sven, eu, será conhecido por todo o mundo...

Ele está deitado na cama e acima tem uma janela, o céu mostra ser de noite. Um abajur está aceso ao lado de sua cama, em cima de uma mesa de cabeceira.
Ele desliga a luz do abajur.
Ele não consegue dormir.
Pela janela pode-se ver o céu amanhecer
O despertador toca.
Ele se levanta.
Dirige-se até um banheiro.

Página 4

Lava o rosto que parece cansado.
Sven [pensamento]: Droga!... Não durmo há dias. Passo as noites pensando em algo bom... Parece que toda a minha criatividade morreu.

Mostra um céu nublado, desce uma chuva meio fraca.
Sven se encontra já dentro do avião, e anda nos corredores com um folheto na mão.

Sven [olhando de um lado para o outro]: Poltrona 16... 16... Poltrona...

Ele para em e vê sua poltrona, é a do canto.
Senta-se e olha pela janelinha.
Logo todo o avião está cheio.

Página 5

O Avião decola.
Está no ar.
Sven está usando seus fones de ouvido.

Sven [pensamento]: História, um bom storyboard... Desenhos não serão um problema... Storyboard já tenho certa experiência, fazia rascunhos e os desenhava... Mas a história, desde que meu amigo Stephan adoeceu e morreu, não tem ninguém que tenha uma idéia genial como as dele...

Começa a chover forte.
O avião dá uma tremida.
Sven olha para o lado e vê algumas pessoas inquietas. Despreocupado volta para seus pensamentos.

Sven [pensamento]: Agora que não tenho um roteirista tenho que criar minha própria estória e concluir o meu sonho e de Stephan... Tenho que concluir o que queríamos com todas as forças desde adolescentes...

Pagina 6

Lembrança de Sven:
Um adolescente, Sven, sentado na mesa da sala de aula. Um desenho ele fez em seu caderno.
Um menino, Stephan, de cabelos castanhos esverdeados e olhos verdes, o observa e se aproxima, para ver o que Sven faz.

Stephan [surpreso]: Incrível!!
Sven [se surpreende também]: O que?!
Stephan: Seus desenhos são incríveis!!
Sven: V-você acha mesmo?!
“Depois disso já éramos amigos inseparáveis...”

Sven segura umas folhas de caderno, está lendo algo.
Arregala os olhos.

Sven: Cara você fez uma história muito...
Stephan: Vai diz!
Sven: Incrível! Com certeza seremos mangakás com isso!
Stephan: Sim!! Seremos os melhores!! Sven e Stephan os melhores...

Os dois sorriem com muita felicidade.
“Quando completamos 20 anos, Stephan pegou uma gripe e faleceu... Ano passado eu consegui marcar com um editor... Então vou...”

Pagina 7

Os pensamentos de Sven são interrompidos pro um estrondo, que até ele se assusta.
Um raio acabara de atingir uma das turbinas do avião.

Alto-falante: Acalmem-se, uma das turbinas foi atingida por um raio, mas logo faremos um pouso de emergência, não há motivos de pânico.

Quando desligado o alto-falante solta um barulho perturbador.
Dentro da cabine o Piloto e Co-piloto conversam.

Piloto: Droga é impossível nos mantermos no ar, estamos sobrevoando terra, certo? Faremos um pouso rápido!!
Co-piloto: Sim estamos sobrevoando uma região terrestre, e de acordo com o radar estamos em...

As luzes se apagam, o avião está totalmente apagado.
Outro estrondo é ouvido e o avião começa a cair.
As pessoas gritam. Uns se levantam desesperados.

Página 8

Sven está totalmente em choque

Sven [pensamento]: Mas... Eu tenho que completar o objetivo... Ser Mangaká... Eu vou honrar a morte de Stephan... Eu...

O avião desce a uma velocidade imensamente monstruosa. As pessoas começam a sair do chão e se chocarem com o teto e com o fundo do avião.

Sven [grita]: Não!!

O avião se choca diretamente no chão, em uma montanha.
Logo três explosões acontecem consecutivamente.
Tudo se torna silêncio para Sven e a cor do fogo se converte em branco.
Sven acorda em um lugar que não há nada além da cor branca. Ele não tem noção de tempo e espaço, todas essas informações podem-se ser distinguir facilmente em sua expressão facial.

Voz: Olá

Página 9

Sven se vira e vê um homem que utiliza em frente de seu rosto uma máscara. Sua roupa não se pode distinguir a cor, parece ser todas ao mesmo tempo.

Sven [pensamento]: Essa voz me parece familiar... [agora ele fala confuso] Mas o que houve? As outras pessoas do avião... O acidente... Que lugar é esse?
Mascarado: Você morreu...

A mensagem chega como um soco, aos ouvidos de Sven.

Sven: Mor... Ah... Entendo... Existe mesmo... A Vida após a morte...
Mascarado: Correto rapaz astuto. O que não existe é a morte. A morte é apenas uma superstição criada pelos sagazes humanos.
Sven [chorando após entender totalmente o q está havendo]: Não entendo... Achei que minha missão era realizar o sonho meu e do meu amigo Stephan, mas então eu morro em um acidente de avião...
Mascarado: Você ainda realizará seu sonho.
Sven [começando a se irritar]: Mas como?! Eu estou morto!!

O homem de máscara ignora.

Página 10

Mascarado: Eu fui escolhido para ser seu guia e levá-lo por este caminho até seu objetivo.
Sven [gritando]: Guia!? Você está louco?! Vai levar aonde, em que objetivo? E por qual caminho? Aqui não tem nada! [a voz dela ecoa]
Mascarado: Seu objeto é o que você precisa para realizar seu sonho e o caminho é aquele...

O mascarado aponta para trás de Sven e ele se vira. Todo o branco houvera sido preenchido pela natureza perfeita. Cores que nunca já mais alguém houvera visto estava agora espalhada em flores à beira de uma estrada. No fim desta longa estrada havia uma pequena casa. Além de algumas flores na beira da estrada só havia campo vazio de grama. Não se podia ver árvores ou povoamento, apenas o infinito campo gramado.

Sven [surpresíssimo]: V-você... Mas... Estava...
Mascarado: Apenas me siga.

O mascarado começa a andar e Sven segue atrás

Página 11


Eles passaram 15 minutos caminhando em total silêncio. Sven apenas vislumbrava a beleza de algumas poucas flores e fez algo que não fazia há tempos: pensou em nada.
Então ele viu uma moeda de ouro no chão.
Sven: Opa! Isso vale bastante dinheiro...
Mascarado: Ignore.
Sven: Mas...
Mascarado: Ignore. Você não precisa disso.

Sven continua sua caminhada, ainda com raiva de o tal homem de máscara ter-lhe impedido de pegar aquela moeda esquecida em meio à estrada.
Cinco minutos se passam e, um velho se apoiando em um cajado, passa atravessando a estrada.
Ele para e se vira para Sven e o moço mascarado.

Velho [com uma voz fraca e doente]: Meu jovem não tem nenhum dinheiro para doar-me não? Estou precisando, por favor, ajude-me...
Sven: Desculpe-me meu senhor, morri e todo o meu dinheiro ficou no outro mundo.

Página 12

O velho pareceu ignorar e continuou a atravessar.

Sven [diz baixinho]: Aquela moeda lá atrás!
Mascarado: Você não pode voltar no seu caminho.
Sven: Tudo bem, não voltarei. Só vou avisar o velho.
Mascarado: Ignore-o.
Sven: Não posso ignorar isso.

Sven anda até o velho e coloca a mão sobre o ombro dele.
Apontou para a direção da moeda.

Sven: Senhor ali há uma moeda de ouro, aposto que vai ajudá-lo bastante.
Velho: Sai daqui, me deixe em paz!!

O velho empurra Sven com força fazendo com que ele caia e afunde no gramado. Sven consegue se segurar em uma raiz. Abaixo dele só havia escuridão

Sven [berra]: Huaaaaaaaaaaaa!!

Página 13

Ele houve uma voz familiar, a voz de seu guia, o homem de máscara no rosto.

Mascarado: Tenha força, você consegue se levantar. Não caia.
Sven [geme]: Urgh!

Ele serra os olhos e põe toda sua força e começa a subir pela raiz.
Quando abre os olhos já está de pé na estrada.

Sven [assustado]: O que é isso?! Eu estava caindo aonde?!
Mascarado: Aquilo é o que os humanos sagazes chamam de “fundo do poço”.
Sven [pensamento]: Fundo do poço... [fala agora] Mas aquele velho desgraçado, eu tentei ajudar, mas que...
Mascarado: Para completar seu objetivo há vezes que devemos deixar as pessoas irem, para que elas nos deixem ir. A liberdade é essencial para a realização de um sonho.
Sven [pensa]: Liberdade... [agora fala] Você é um baita de um filósofo, hein homem mascarado?
Página 14

Ele o ignora e eles continuam a caminhada em silêncio.
O sol é forte e Sven está cansado.
Ele avista uma árvore frutífera e de folhas vermelhas.

Sven: Vou sentar um pouco ali
Mascarado: Não perca tempo
Sven: Só vou descansar

Ele senta na sombra e pega uma fruta.

Mascarado: Não a coma.
Sven: Estou com fome, qual o problema?

Sven a come.

Mascarado: Esta é uma árvore demônio.

Sven arregala os olhos e se levanta.
A árvore se move e arranca as próprias raízes do chão.

Sven: Por que não me disse antes?
Mascarado [ignorando]: Você comeu algo dela, agora ela comerá algo seu. Demônios preferem se alimentar de...
Sven [grita]: Almas humanas! Eu sei!

Ele começa a correr e a árvore, com uma boca enorme corre atrás.
Sven berra de medo.

Página 15

Mascarado: Enfrente seus demônios.

Sven para e se vira para a árvore demônio.

Sven [pensa]: ... Enfrentar meus demônios...

Ele, com todas as forças, berra, e a árvore se desintegra por completo no ar.

Mascarado: Apenas os enfrentando poderá derrotá-los.

Quando volta a si percebe que caminha pela estrada.
Sven suspira.

Sven [pensa]: Tudo é muito simples...

Logo após uma curta caminhada eles a vistam a pequena e velha casa de madeira. Mas um precipício os separava de seus objetivos.
Sven: Como vamos passar por aqui agora, não posso ignorar e nem enfrentar, esse é um precipício...

Página 16

Ele olha o fundo tomado pela escuridão.
Sven [desanimado]: ... É impossível prosseguirmos... Todo o trabalho foi em vão.
Mascarado: Apenas salte sobre ele.

Sven: Ficou louco?! Deve ser uma distância de 10 metros no mínimo, e a profundidade nem pode ser calculada, se eu pular, eu morro.

Tem-se um tempo de silêncio.

Sven [ele começa a tomar distância]: Droga! Não tenho nada a perder... Lá vou eu!

Ele corre e salta fechando olhos de horror do resultado.
Para sua total surpresa ele toca no chão em alguns segundos.
Abre os olhos e se vira, e a única coisa que o separa do moço mascarado é uma insignificante rachadura no chão seco.

Página 17

Mascarado: A extensão do problema é de acordo com o seu ponto de vista. A realidade é formada pela percepção que tens dela.

Sven olha com os olhos felizes.

Sven: Agora eu entendo...

Ele se vira e vê a cabana.

Mascarado: Vá, abra. Olhe do que você necessita para realizar o seu tão querido sonho.

Sven abre a porta.
Dentro da cabana só avia a parte interna de suas paredes.
A cabana estava vazia por completo. Só ar a preenchia.
As lágrimas se descontrolavam nos olhos de Sven.

Mascarado: Aqui está o que você precisa...

Sven cai de joelhos e se põe a chorar mais ainda.

Página 18

Mascarado: Nada, nada mais você precisa. Apenas acorde e viva seu sonho. Acorde, apenas acorde...

Sven acorda assustado com uma voz feminina o chamando.

Sven [pensamento]: Entendo...
Aeromoça: Senhor, acorde, já chegou ao nosso objetivo, todos os passageiros já saíram do avião e restou só você.
Sven: Ah... Desculpe, e... Obrigado... [pensamento] Tudo, o acidente, a máscara, o caminho, a cabana... Não passavam de um sonho. Ou...

Ele desce do avião e respira fundo. Olha para o lado e avista um homem bem ao longe.
Um avião decolando assusta Sven e quando ele volta o olho o homem não está mais lá.

Sven: ... Era mais que um sonho. Agora me lembro da voz, agora eu enxergo o rosto que a máscara esconde... Stephan...
Página 19

9 dias depois.
Prédio da editora de mangás japonesa.
“O mangá foi feito, ele pensou em uma história, ou melhor...”

Sven sentado em uma mesa com um editor.

Sven: Olá, aqui está o manuscrito finalizado para avaliação.
Editor: Hum... Deixe-me ver...

Sven tira os papeis de dentro da pasta e entrega ao editor.
O editor vê a capa e lê o título.

Editor: Uhum... “World of Masker Man”, ou “Mundo do homem mascarado”... Título interessante para um mangá seinen... Vejamos o conteúdo...

Página 20

Capa do mangá com o editor segurando pelas beiradas.
Nela está ilustrado: um homem mascarado estendendo a mão para frente (posicionado no canto direito), e atrás segue um caminho com uma rachadura e no final do caminho uma casa de madeira. Também no meio do caminho há uma árvore e um velho dentado com uma bengala.

“... Sonhou a história.”


Última edição por Dariks em Sab Abr 21, 2012 5:27 pm, editado 1 vez(es)
Dariks
Dariks

Mensagens : 2551
Data de inscrição : 06/05/2011
Idade : 23
Localização : Minha casa

Ver perfil do usuário http://dakayaroshy.blogspot.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Concurso de roteiros (oficial) Empty Re: Concurso de roteiros (oficial)

Mensagem por J-Lucas em Dom Abr 15, 2012 5:48 pm

Autor: José Lucas (Eu) - J-Lucas
Título: Battle for Love

Sinopse:
Trata-se da história de dois amigos, ambos de mundo e realidades diferentes, Luke Isanagi e Gendo Yutolio, Luke é um ótimo estudante, sempre tira notas boas e se esforça nas aulas, mas isso não muda o fato de ser bastante pobre, o suficiente para ter que trabalhar meio período para ajudar nas despesas de casa, já Gendo, um rapaz que veio de família rica, mas este é um delinquente que só quer saber de matar aula e dormir, e também ele luta sozinho contra as outras gangues de delinquentes, por ser rico, Gendo nunca precisou de amigos, mas isso está prestes a mudar, quando Gendo encontra Luke apanhando de uma gangue rival, após Gendo dar uma surra nos outros delinquentes, ele se torna amigo de Gendo, ambos lutam pelo amor de Yoko, a garota quem ambos são apaixonados, e agora? Será que essa história vai acabar bem? Confiram logo abaixo!!!

Spoiler:

Página 1:
Começamos com um dos protagonistas assistindo aula de tarde, quase ao término da mesma, Luke está sentado na cadeira da frente por ser um aluno exemplar e aplicado, ele está sério e prestando atenção na aula até que o professor limpa o giz das mão e fala:

Professor: Isso é tudo por hoje, revisem a matéria quando chegarem em casa e façam os exercícios 8 e 9, vejo você amanhã!

Após isso todos os alunos começam a sair da sala menos Luke, que ainda folheava seu caderno revisando a matéria ali mesmo enquanto a sala ficava vazia, após uns minutos ele se levanta e fala;

Luke: Agora tenho que trabalhar, aquelas caixas não se movem sozinhas!

Luke se levanta e sai da sala, agora pulamos para a cena do nosso outro protagonista, Gendo que está lutando num parque contra uns 6 marginais, todos usando uniforme da mesma escola que Gendo, um dele que parecia o lider dos outros fala;

Lider: Então Gendo! Tem certeza de que não vai se juntar a nós? Você daria um ótimo sub-lider, com você a gente podia dominar a escola toda!

Gendo dá um soco na cara do líder e fala:

Página 2:
Gendo: Como se eu fosse me juntar a uma água-viva como você!

Gendo: Podem vir imprestáveis!

Gendo luta contra todos os outros delinquentes, e após levar uns socos e chutes, nada de mais, já que ele estava em desvantagem, ele espanca todos os outros. Após isso ele coloca os marginais em forma de monte e fala:

Gendo: Imprestáveis! Sumam daqui seus lixos, vocês não merecem ser meus oponentes!

Depois disso Gendo cospe no monte de corpos desacordados e sai do parque em direção a sua casa, apesar dele ser rico ele morra sozinho numa casa de classe média, em um local distante da casa de seus pais. Agora voltamos para Luke, ele está carregando uma caixa que é praticamente o dobro do seu tamanho:

Luke: Ahhh! Eu tenho que levar essa! Mas... está tão pesada... droga...

Página 3:
Luke mesmo quase não aguentando tira forças de não se sabe onde e consegue empilhar a caixa, depois disso, aparece um homem de idade meia idade (entre 40 e 60 anos) e fala:

Homem: Já chega por hoje rapaz, pode ir para casa, aqui o seu pagamento!

O homem entrega um envelope com um pouco de dinheiro, Luke após receber o envelope fala:

Luke: Obrigado senhor! Estou indo!

Homem: Bom trabalho!

Página 3:
Luke sai e vai para casa, ao chegar, podemos ver que ele mora numa casa pequena, ao entrar percebe que ninguém aparece, Luke também mora sozinho, seus pais trabalham no exterior e sua irmã estuda numa faculdade em outra cidade, ele sobrevive da mesada que recebe dos pais e do trabalho de meio tempo, após isso ele se senta, abre um bento comprado com desconto:

Luke: Itadakimasu!

Agora pulamos para o nosso outro protagonista, Gendo que ao chegar em casa, faz seu jantar e depois de comer ele se deita ali mesmo e fala:

Gendo: ******! Comi feito um porco!

Ali mesmo na mesa ele dorme, agora pulamos para o próximo dia. Vemos Luke caminhando em direção a escola:

Luke: AH! Agora que recebi meu pagamento vou poder comer bem pelo menos hoje!

Assim que fala isso, os mesmos delinquentes que apanharam para Gendo aparecem e cercam Luke, todos eles estão com partes do corpo enfaixadas e com curativos, Luke olha e fala:

Luke: Quem são vocês? O bando da múmia?

Página 4:
Delinquente #1: Tá zuando com a gente seu otário?

Luke: É claro que tô, vocês andam por ai todos enfaixado e querem que ninguém zoe com vocês? Impossóvel!

Delinquente #2: Cala a boca seu cuzão! Quer que a gente te arrebente a cara?

Lider: Calem a boca! Eu que mando nessa ****! Passa a grana muleque!

Página 5:
Luke: É ruim de eu dar meu pagamento a vocês! Eu trabalhei por esse dinheiro e ganhei ele honestamente!

Delinquente #1: E a gente vai roubar ele honestamente ha ha ha ha ha!

De longe uma garota observava tudo atrás de uma parede. O lider dá um soco na cara do delinquente que acabou de falar, e fala:

Líder: Já falei que sou eu quem mando nessa ******!

Lider: Agora passa essa grana pra cá! Se não passar por bem vai passar por mau!

Luke cerra os punhos e fala:

Luke: Venham tirar de mim!

Página 6:
Obviamente Luke perdeu para os seis valentões, a pós apanhar ele fica estirado no chão e os valentões com a grana dele, de longe Gendo observava tudo também:

Lider: Obrigado pela grana seu idiota!

Luke: Não... meu dinheiro não...

Antes dos delinquentes irem embora, Gendo corre até lá dá um soco na cara do lider, fazendo o mesmo cair e derrubar a carteira de Luke, que caiu na mão de Gendo:

Gendo: Porque não pegam gente do seu tamanho? Será que eu ainda não ensinei a lição para vocês?

Página 7:
Gendo joga a carteira para cima e corre, espancando todos os valentões e em seguida volta para seu lugar e pega a carteira que ainda estava no ar, após isso, a garota que olhava de longe fica impressionada com a atitude de Gendo, pois o mesmo era um delinquente, então porque ajudar um aluno? Depois disso Gendo vai até Luke, o ajuda a se levantar e fala:

Gendo: Você tá legal? Aqui sua carteira!

Luke: Obrigado, achei que tinha que ficar com fome hoje mas você me salvou!

Gendo: Não se preocupe, aprenda a ficar calado por aqui, qualquer coisa você pode ser atacado, tem muitos marginais e vândalos nessa escola!

Luke: Certo, entendi err...

Página 8:
Gendo: Sou Gendo Yutolio, só Gendo por favor!

Luke: Sou Luke Isanagi, mas pode me chamar só de Luke!

Após ambos apertarem as mãos eles andam até a escola:

Luke: Então? Como você aprendeu a lutar daquela forma?

Gendo: Eu não luto, apenas tento não apanhar...

Luke: Do meu ângulo de vista você lutou...

Gendo: Isso é o que você pensa, mas deixa pra lá, aprenda a se defender senão você vai virar saco de pancadas aqui na escola!

Página 9:
Luke: Posso aprender com você?

Gendo: Claro!

De repente a garota que estava vendo a luta chega perto de Luke e Gendo e fala:

Garota: Oi, com licença, mas aquilo foi incrível!

Ambos os rapazes ficam paralizados pelo fato da garota ser bonita!

Garota: Sou Yoko, Yoko Akira, prazer!

Luke e Gendo: O prazer é nosso!!!!

Página 10:
Yoko: Foi incrível como lutou err...

Gendo: Ah! Sou Gendo Yutolio! Prazer!!! E esse é Luke Ishinamiya!

Luke: É Izanagi!!!

Gendo: Isso! Izishyama!

Luke: Aff!

Yoko: Isso, foi incrível como lutou Yuto-kun!

Gendo: He he, não foi nada!

Página 11:
Yoko: Você também Izanagi-kun, pelo menos tentou se defender...

Luke: Er... tá bom! (com um tom de desânimo)

Após isso, os três começam a se falar e se tornam muito amigos, depois de dois meses de Luke treinando com Gendo, para se tornar mais forte, e também de ambos lutando pelo amor de Yoko, um dia qualquer, estavam Luke e Gendo conversando na saida da escola esperando Yoko sair:

Luke: Já falei cara ela é minha!

Gendo: Vai sonhando! Ela é a minha garota e pronto!

Luke: Quer resolver isso na porrada?

Página 12:
Antes dos dois se enfrentarem, eis que chega uma aluna da classe de Yoko e fala:

Possível amiga de Yoko: Ajudem por favor! Levaram a Akira-san!

Luke e Gendo: Como é?

Amiga de Yoko: Os bone-crackers (Quebra-osso, a gangue que tinha espancado Luke e que Gendo tinha dado uma surra) eles levaram ela e me mandaram entregar isso a vocês!

Página 13:
No bilhete, escrito com uma péssima gramática:
"Ci voçei quizerem ter sua amiguinha devolta vaum ter que nos encontrar, estamos com ela e se não apareçerem ela vai sofre as concekuencias!"

Página 14:
Após lerem o bilhete várias vezes e depois de entenderem a mensagem, ambos falam:

Luke e Gendo: Cacete! Levaram a Yoko!

Luke: E agora Gendo, como saberemos de quem ela gosta? E poir que isso, o que os malditos delinquentes vão fazer com ela?

Gendo: Mais importante que isso, ela está em perigo, vamos salvá-la!

Luke: Isso mesmo!

Página 15:
Luke e Gendo: Time Demolição! BANZAI!!!!!

A imagem final aparece ambos correndo em direção ao por do sol, com a esperança de que vão salvar a amiga e de descobrirem de quem a Yoko gosta mais!

Página 16:

Após chegarem até um velho Galpão muito longe, como apontava uma mapa extremamente mal-feito atrás do bilhete, Luke e Gendo se preparavam para a batalha para encontrar Yoko e descobrirem de quem ela gosta:

Luke: É aqui!

Gendo: Sim, vamos entrar!

Após entrarem, aparece um dos delinquentes da gangue e fala:

Delinquente: HA ha ha ha ha! Então vieram? Achei que iam frangar!

Luke: Chega de conversa aonde está nossa amiga?

Delinquente: Terão que passar por cima de mim antes de saberem isso!

Página 17:
O Delinquente puxa um charuto e dá uma tragada bem forte nele, após largar o charuto e tossir bastante, eis que começa uma estranha mutação, seu corpo começa a ficar peludo, o delinquente vira uma espécie de lobisomen, só que muito mais feio e com um tamanho bem maior:

Gendo: Mas que **** é essa?

Luke: O que diabos tinha naquele charuto?

Monstro: GRRRRRR!

Começa uma frenética batalha, Gendo joga um soco inglês para Luke e fala:

Gendo: Luke seus punhos ainda não estão preparados para isso! Use o punho e vamos acabar com ele!

Página 18:
Luke: Certo!

Depois de muita porrada, ambos conseguem derrotar o monstro lobisomen, que se torna novamente humano, o delinquente antes de desmaiar fala:

Página 19:
Delinquente: ...arghh! Ela... não tá aqui... seus otários...

Gendo pega o delinquente pelo pescoço mas era inútil, o mesmo tinha desmaiado:

Luke: E agora Gendo?

Gendo: Voltamos a estaca zero!

Luke e Gendo procuram pelo local, até que acham um outro bilhete:

Página 20:
Luke: É isso, vamos Gendo! Temos que salvar a Yoko!

Gendo: Sim! Vamos lá!

Agora o cenário acaba com ambos correndo pelas ruas, já de noite, ainda esperançosos de achar sua amiga mais uma vez.


Última edição por J-Lucas em Seg Abr 16, 2012 7:37 am, editado 3 vez(es) (Razão : mudei o autor de eu! para eu! Mais uma vez!)
J-Lucas
J-Lucas

Mensagens : 794
Data de inscrição : 13/03/2012
Idade : 24
Localização : Nordeste

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Concurso de roteiros (oficial) Empty Re: Concurso de roteiros (oficial)

Mensagem por perinete em Qui Abr 19, 2012 6:35 pm

tive uma ideia bem ruim para participar mas queria participar vamo que vamo uhu

AUTOR:PERINETE
TITULO:DE ONDE VEM


Um garoto; digamos que descobriu algo que muitas pessoas diriam ser loucura. E se eu te contasse que todas as ideias de livros, filmes, mangas, series e etc.; não vieram necessariamente da criatividade .
Todas as ideias de historias são interligados com a mente das pessoas- seus criadores-agora algo muito além disso Matsu entrou nessa “conexão” com todas as historias do mundo num so lugar.



Spoiler:
Matsu havia ido dormir normalmente porem em seus sonhos seguidos de medo e horror de cair num redemoinho de sombras se repetia a semanas.
-AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAARRRGGHHHHHHHHHHH-pq sempre o mesmo sonho ******-DROGA
Matsu tinha medo de altura evitava a qualquer custo alturas mesmo de uma escada de um andar já o desorientava.
-VOLTA DORMIR SACO-grita o vizinho-
Matsu tinha 18 anos e morava num apartamento sozinho sem ninguém.
-melhor dormir novamente afinal amanha é prova na faculdade
De Manha

-MERDAAAA JÁ SÃO 8HORAS ****** PERDI A HORA SACO

Matsu correu como se não houvesse amanha e correu e correu. Chegou atrasado ; logo foi impossível fazer a prova e sua media era horrível essa era sua única chance de passar em direito no ultimo ano.
-****** vou fazer o que agora repetir mais um ano não tenho dinheiro para lucrar o que me sobrou na carteira foi o que me resta são apenas 350reais, droga
Matsu foi logo abatido em sua cabeça por algo ,só que não ninguém ali, sentia mais pancadas na cabeça.
Era como se estivesse sendo surrado por 10 homens com chutes e ponta pés, a dor era impossível de conter, Matsu deu um grito de horror e fechou os olhos.
Matsu acordou em um lugar escuro ,ao olhar abaixo de onde estava ele se assustou pois não havia chão, era apenas nada ,ele ficou com medo.
-Onde estou....
Logo Matsu não se preocupa mais com altura:
-Quem sou eu.
Matsu perdeu a memoria –momento clichê gente xD-
Logo começou a andar ,era como andar normalmente mas não havia chão Matsu chegou a um trem depois de percorrer tempos.
Matsu olhou aos lados e perguntou onde estou ninguém o via ninguém.
Matsu ouviu grunhidos e foi checar de onde via.
Matsu chegou a cabine do maquinista que estava trancada, era d ela que vinha os grunhidos.
Matsu burro como sempre –xD trocha como criador- empurrou a porta com força e assim abrindo
-Alguém esta ai
Matsu arrepiou ate a espinha com a sena que via no teto da cabine
Matsu lembrava aquilo parecia com o venom de spider-man mas muito mais macabro estava com a boca cheia de sangue e suas mãos com garras prontas para destroçar seu pescoço.
Matsu fez o que qualquer ser humano sem poder burro e idiota faria, correu!!!!!!
Matsu pulou de vagão em vagão ate que um tiro perfurou o crânio de “venom”
-Quem é você o que ta acontecendo quero respostas
Um homem de estatura de 30 anos deu “uma luz na escuridão”
-Eu sou um assassino que quer ter minhas memorias e esse camarada estava atrás de mim ate você aparecer e agora quem é você?
-Eu não sei não me lembro de nada da minha vida
-Somos dois.
-ABAIXESSE.
O homem me empurrou para o chão quando vi o trem ser cortado ao meio .
-O que é isso?
-Eles se chamam de marinha mas estamos na terra não no mar
-lol
-lol?
-tbm não sei mania minha acho eu
-VC ESTA PRESO POR ASSASSINAR 3.568 PESSOAS
-caraio quem é vc
-VC PERGUNTA LOGO PRA MIM MESMO CARA EU TO NO LUGAR ERRADO NA HORA ERRADA SO TENHO ESS A PISTOLA QUE TA SEM BALA CHAPA VAI CORRE LOGO
-não sem tu, ano te conheço mas sei que c vai me tirar dessa ****** legal que ta aki então vc vem comigo
-se esconde num dos bancos e siga os “marinheiros”
Foi o que fiz os segui em cada lugar que iam e a cada lugar que paravam traziam mais pessoas consigo, estranho para mim foi que o tempo para mim se passou rapidamente rápido mas para eles pareciam meses.
Logo chegamos em uma cidade ,a cidade me lembrava algo mas não sabia o que.
Logo eles correram com os carros que usavam me perdi.
-****** perdi os camaradas de vista
Vou vasculhar essa bagaça mucho loca pra ver que ****** vai dar.
Eu encontrei muitas pessoas com “amnesia” porem todos se lembravam os nomes
Havia vários, percy Jackson, um tal de Harry potter, um naruto acompanhado com uma menina que era brava pra caramba acho que o nome dela era sasuke -kkkk zoa zoa- não era sakura é, sakura, um outro bebe chamado reborn que vivia brigando com o outro acho que o nome lambo.
Porem depois de algumas horas na praça central havia uma multidão com muitas pessoas eu os empurrava e cheguei ali na frente não gostei do que via ,todas as pessoas que eu vi que a marinha buscava estavam a ser decapitados, logo chegou a vez do homem que me ajudara
-****** não posso fazer nada
-o quase morto é culpado por assassinato de 3.568 pessoas o que ele merece plateia-grita um homem a frente minha.
Senti dores na cabeça pareciam dores familiares, ela eram de espancamentos? Não ninguém esta me espancado.
Matsu era meu nome. Como eu sei disso.
Me veio a tona o quem eu era e quem era o homem ali a frente
O homem se chamava Chuck Tocuro ele era um príncipe adotado por algum rei porem nunca foi significado para algo ninguém o valorizava então virou um mercenário.
Ele matava pessoas porem um dia acabou matando uma pessoa, uma pessoa familiar seu pai verdadeiro .Ele matou seu sangue
Desde então Chuck segue a pessoa que o fez matar seu pai.
Mas Chuck é algo maior que uma pessoa, Chuck Tocuro é meu personagem é eu o criei.
Eu acordei em um hospital.
-Ele acordou gente
-Que ta havendo?
-Você me deve 6 meses de aluguel do apartamento
-hã?
-VC TA EM COMA POR MAIS DE 6 MESES AGORA PSSA A GRANA.
Eu abri o olho mais atentamente e era o dono do apartamento afs vem me cobrar ate em hospital muquirana é fera.
-Cade dindin
-Que ta havendo saco
-Vc entro em coma falto oxigênio no cérebro.
-TO PARALITICO???????????????
LEVANTA QUE VAMO VER UAI
Eu pulei da cama com medo do que acontecera.
Eu cai, eu não andava mais.
-você quer seu dinheiro ne.
-quero
-então trás meu note que ta no apartamento preciso buscar umas coisas
E foi assim procurei um desenhista bom e pedi para ele desenhar a one-shot de Chuck Tocuro e enviei a uma revista de mangas, eu nunca pensei em ser algum mangaka nem nada apenas não queria ser um peso morto na sociedade.
Passou-se tempo
Hoje 19 de abril recebi um e-mail da revista agora basta abrir o e-mail, naquela hora meu dedo pesava uma tonelada.
O e-mail era fácil de saber o que estava escrito
Estava escrito ”.................................................................
perinete
perinete

Mensagens : 199
Data de inscrição : 04/01/2012

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Concurso de roteiros (oficial) Empty Re: Concurso de roteiros (oficial)

Mensagem por Vicare em Sab Abr 21, 2012 12:27 pm

Autora:Vicare
Titulo : Just My Imagination.

Sinopse:

Nolan é um adolescente que sonha em criar as melhores historias do mundo, mas ao conseguir uma entrevista na maior editora de sua região ele sofre um bloqueio artístico e pode por tudo a perder, mas um encontro bastante inusitado faz o jovem aprender o caminho para o sucesso, entrar em suas historias e vive-las, ele precisará da ajuda desta pessoa misteriosa, pois para alcançar seu sonho ele terá que arriscar sua existência a cada pagina.

Spoiler:


Pag. 01
“A entrega do material é na segunda, já é sexta e eu não consegui criar nada! Preciso esfriar um pouco a cabeça.”

*Nolan pensa enquanto caminha na madrugada fria.*

*um grupo de motoqueiros estaciona suas motos e caminham até um bar*

*um deles esbarra em Nolan derrubando-o*

--Hey Esquisito! Toma cuidado por onde anda!

--Tome cuidado você seu valentão de ******! *diz o homem que está varrendo a frente de uma loja de conveniências*

--vamos cara, ainda quero beber hoje! *diz o amigo do motoqueiro, logo o homem segue andando*

*Nolan olha para a enorme loja de conveniências com um enorme nome ‘Conveniências’ no lugar do nome da loja *

Pag. 02

“eu nunca vi esta loja aqui” * pensa enquanto levanta *

--você está bem garoto? * pergunta o homem com um grande bigode *

--sim, sim! Muito obrigado!

--acabamos de abrir a loja, entre! Seja nosso primeiro cliente! * fala o homem de forma espontânea*

“é o mínimo que posso fazer” -- Claro senhor! *solta um sorriso sem jeito*

*Nolan entra na loja* -- um café, por favor.

-- não temos * responde o atendente simpático*

Pag. 3

-- E o que vocês tem para beber? *pergunta Nolan *

-- nada! *responde o homem naturalmente*

“sinto que essa loja não vai dar certo” – então eu vou indo hehe * soltando um sorrisinho meio sem graça*

-- Nós vendemos conveniências Nolan, sei que precisa de ajuda! *diz o simpático homem agora com um tom serio *

-- Er me desculpa não to entendendo “como ele sabe meu nome?” * Nolan fala indo em direção a porta devagar*

-- Viva a historia garoto! Seja a historia! Ame e chore, mas nunca se esqueça de onde você é! Agora você estará
pronto! *grita o homem enquanto dá um tchauzinho para Nolan que sai da loja meio assustado*

Pag. 4
“que ****** foi aquela? Aquele homem me assustou mais que o motoqueiro” *diz Nolan fechando a porta de seu quarto*

*ele olha para o relógio* --Ah que porcaria! “não tenho tempo de ficar pensando besteiras tenho que criar uma historia”

*Nolan senta em sua mesa e começa a escrever, mas sua caneta derrete*

--o que?

*ele tenta puxar sua mão que começa a derreter em cima da folha de papel*

--O QUE TA ACONTECENDO?! *grita desesperado *

Pag. 5
“onde eu estou?” * pensa Nolan em um local totalmente escuro*

--hey você! Sai do caminho!! *uma voz de menina grita ao longe*

*Nolan se levanta e vê que está em uma floresta, com flores bem estranhas e arvores cheias de frutos *

* ao olhar em direção a voz Nolan vê uma garotinha montada em um avestruz que corre a toda velocidade em sua
direção*

* o avestruz atropela Nolan derrubando-o e a garotinha também cai *

Pag. 6

-- ai ai ai... * fala Nolan com a mão na cabeça *

-- Vocêee * escuta a voz da garota novamente com um tom de raiva *

-- Fez perder aquele avestruz! Eu, a grande domadora! * fala a garotinha com um tom importante *

--Desculpa! “quem doma avestruzes?” - você sabe onde eu estou?

-- reino de Orin * responde a menina arrumando a roupa*

--reino de Orin??? * grita Nolan *

Pag. 7
“como isso foi acontecer?! eu to bebendo muito café! como eu fui parar dentro da historia que eu ia começar a
escrever??” * fica se questionando de forma dramática enquanto segue a garotinha *

--não quero estranhos me seguindo!

-- mas eu preciso de ajuda! Eu não sei como voltar para casa!

*a menina faz pose pensativa* --hum... Já sei, vou te levar até minha irmã.

*imagem da vila: um local aparentemente construído com casas de pedras, mas muito bonitas, parecendo casas
normais, a vila era grande e bem organizada*

Pag. 8
--manaaa! * chama a garotinha ao entrar em casa*

--o que foi?! * grita a irmã de volta *

--eu trouxe um estranho para casa! * fala soltando um sorrisinho *

-- como assim... *fala a Irmã que entra na sala com uma cara de sono*

*ao ver Nolan a garota grita e puxa a Irmãzinha para perto dela *

-- QUEM É VOCÊ?!

--Nolan, me desculpe não sou daqui! Eu preciso de ajuda!

--Nolan?!

Pag. 9
-- O grande sábio disse que viria! Só não esperava alguém tão...

--novo?

--estranho.

--Venha, tenho que te levar agora para o grande sábio ele o espera*pega na mão de Nolan e o arrasta para fora de
casa enquanto a irmãzinha da tchau *

*ela continua arrastando ele pela rua enquanto todos olham*

Pag. 10
--hey! Eu posso andar você sabia?!

--desculpe, estou muito nervosa, o grande sábio disse que você veio para nos salvar do grande crápula do cavalo
negro

--crap... * pensando em um monstruoso homem de armadura e com um cavalo soltando fogo pelas narinas *

-- oh! Vejo que você veio Nolan * dizia uma voz *

--espera ai... Eu conheço essa voz... * Nolan se vira desconfiado *

Pag. 11
--Velho!! * apontando para o homem de bigode que era o atendente da loja *

-- Yao!*ele usava uma fantasia de sultão indiano enquanto enrolava o bigode *

*Nolan corre em direção ao velho e o segura pela roupa tirando-o do chão*

-- o que está acontecendo velho?! Você tem um dedo por trás disso tudo não é?

--não se lembra do que eu te falei na loja Nolan?

Pag. 12
“Viva a historia garoto! Seja a historia! Ame e chore, mas nunca se esqueça de onde você é! Agora você estará pronto!” * Nolan se lembra da cena *

Pag. 13

--garoto meus superiores disseram que você queria ser o maior criador de historias do mundo, mas você nunca viveu minha criança, sempre fugindo, sempre com medo... *o velho fala se soltando de Nolan*

*imagem panorâmica da vila com uma floresta ao redor* --este foi o mundo que você criou, este é o seu mundo! O
único lugar onde você poderá fazer qualquer coisa que imaginar

*Nolan abre um grande sorriso*-- é verdade? Tudo isso é verdade?!

--Claro que sim minha criança

Pag. 14
*o homem continua olhando para Nolan com uma expressão triste*

--você sabe o maior problema para alguém que sonha tão alto?

* Nolan olha para o homem com cara de duvida*

--ele é a única pessoa que pode se derrubar garoto

* mostra o olho de um dragão * -- você criou esse mundo, e todas as belezas dele são as belezas que você imagina,
mas todas as coisas ruins são as coisas que o perturbam em sua vida real.

Pag.15
-- você poderá alcançar seu sonho garoto *fala se aproximando de Nolan* --mas só conseguirá isso se enfrentar todos
os seus medos!

*Nolan olha para o velho sem entender direito*

-- se eu criei este mundo eu não preciso ter medo certo? Eu poderei ficar aqui para sempre!

--então você está dizendo que não tem medo do crápula do cavalo negro? * pergunta a irmã da garotinha *

-- Crápula do Cavalo negro?! * fala Nolan olhando para o velho *

Pag. 16
-- apenas o primeiro de muitos inimigos que você encontrará meu jovem

--este é o meu mundo velho, eu só preciso apagá-lo e tudo ficará bem!

--meu jovem...

--não se preocupe esse crápula não será nenhum problema * fazendo um tom arrogante *

“eu também criei este nome ridículo?” * se questiona Nolan *

--você tem certeza Esquisito?

Pag. 17
*imagem do motoqueiro, mas dessa vez ele usa uma grande armadura negra de seu cavalo é gigantesco, relincha e solta saliva como um demônio *

Pag.18
“ele é monstruoso...” * cena escura *

“o que eu devo fazer?” *cena escura*

*Nolan abre os olhos, ele está deitado em sua cama e acaba de acordar*

--um sonho?... Sabia que era muita loucura até mesmo pra mim * levanta meio chateado*

*anda até a escrivaninha*

--não pode ser...

Pag. 19
“o Crápula do cavalo negro era surpreendentemente gigantesco, o que será que nosso herói irá fazer. Fim do primeiro capitulo” * mostra as anotações de Nolan e a historia do primeiro capitulo pronta em cima de sua escrivaninha *

Pag. 20
*o velho da loja de conveniências anda pela rua*

--sim meu jovem, este foi apenas o começo de sua brilhante carreira, espero que você possa derrotar todos os seus medos...

Vicare

Mensagens : 212
Data de inscrição : 01/02/2012
Idade : 25

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Concurso de roteiros (oficial) Empty Re: Concurso de roteiros (oficial)

Mensagem por J-Lucas em Dom Abr 22, 2012 3:24 am

Autor: José Lucas (Eu) - J-Lucas
Título: Roated Hero: The Antroids War

Sinopse:
No ano de 2658, o mundo é praticamente povoado por robôs, mas não esses que você vê em filmes, ou em histórias em quadrinhos, devido a 3ª guerra mundial, 99% dos humanos foram extintos, a pequena maioria mora na grande cidade de Ledia, lá se encontra tecnologia muito avança, carros voadores, etc... todos os humanos vivam em paz, não haviam roubes nem assaltos, havia apenas uma regra, os humanos não podiam sair da cidade, é aqui que conhecemos a história de um jovem chamado Ryon e uma grande guerra que está para vir, confiram:

Linha do Tempo: (Leia se quiser entender a história)
Spoiler:

22 de Abril de 2015: É declarada a 3ª guerra mundial! A América Latina x O Resto do Mundo. Ninguém sabe o porque e nem o sentido dessa guerra ter sido declarada...

28 de Maio de 2015: O primeiro ataque contra os Estados Unidos: Uma bomba atômica lançada na cidade de Dalhart no Texas: não se sabe quem foi o autor do ataque...

30 de Maio de 2015: EUA descobre o autor do ataque: O Japão

04 de Junho de 2015: EUA lança três bombas, uma delas cai em Akaiwa, na provícia de Okayama, outra cai em Nagasaki (De novo) ma província de Nagasaki e a última cai no bairro de Roppongi, em tóquio, na província de Saitama...

10 de Junho de 2015: O Japão junto com a Ásia resolve contra-atacar, várias bombas são lançadas nos EUA, uma delas caiu em Las Vegas...

12 de Junho de 2015: O tratado da limpeza foi assinado: nenhum país iria lançar mais bombas nucleares em virtude da saúde do planeta...

Período de 16 de Junho de 2015 até o Período de 19 de Novembro de 2020: Confrontos armados entre as Forças Americanas (Brasil, EUA, México, Argentina, Canadá, etc...) e o resto do mundo...

30 de Novembro de 2020: A América está quase perdendo a guerra, muitas baixas e um racionamento de comida e eletricidade, já que os países menores faliram rápido e os maiores estão os abastecendo...

06 de Dezembro de 2020: O General da força aérea brasileira: José Lucas Fausto Silva de Oliveira lança aviões kamikaze para colidirem contra bases importantes do inimigo...

20 de Dezembro de 2020: As forças mundiais chegam na costa americana, mais conflitos armados...

25 de Dezembro de 2020: Soldados de ambos os lados param de guerrear e comemoram o Natal...

31 de Dezembro de 2020: EUA desobedece o tratado, várias bombas são lançadas em vários países da Europa, Ásia e Oceania...

01 de Janeiro de 2021: O tratado da limpeza é rasgado...

23 de Janeiro de 2021: Muitas bombas são lançadas, bilhões de pessoas morrem...

01 de Fevereiro de 2021: Pessoas morrem todo o dia em virtude da extrema radiação no planeta...

08 de Fevereiro de 2021: Começa a ficar muito quente...

20 de Fevereiro de 2021: A guerra foi interrompida, os soldados morriam antes de chegarem a dar o primeiro tiro...

03 de Março de 2021: A superfície da terra se torna inabitável, animais e florestas morrem num ritmo incrível...

18 de Março de 2021: Não se vê mais nada na terra, apenas um grande deserto...

Período de 19 de Março de 2021 até 10 de Agosto de 2060: Não se tem sinal de nada, não há nada a não ser areia, árvores totalmente secas e esqueletos na terra...

11 de Agosto de 2061: Os primeiros humanos saem de um bunker escondido numa região perto de onde era a Finlândia...

Período de 12 de Agosto de 2061 até 30 de Dezembro de 2061: O Reaparecimento dos humanos na terra, cerca de 15 mil pessoas, todas escondidas em abrigos em partes do mundo, apenas engenheiros, físicos, professores, enfim, apenas os capacitados mentalmente...

Período de 31 de Dezembro de 2061 até 20 de Maio de 2080: Época do reaprendimento, os humanos começaram a produzir fogo e a se abrigarem, conseguiram plantar e usar o pouco de água que havia sobrado nos bunkers...

18 de Setembro de 2080: Primeira chuva depois de mais de 50 anos de estiagem...

30 de Setembro de 2080: Os humanos todos se reúnem e juntos planejam construir uma única cidade...

01 de Outubro de 2080: Começa os projetos para a cidade de Ledia...

Período de 02 de Outubro de 2080 até 3 de Julho de 2098: Construção da cidade de Ledia

04 de Julho de 2098: Inauguração da Cidade de Ledia, cortam a fita da cidade, nenhum prefeito, presidente, governante é eleito, as pessoas são totalmente livres nessa cidade...

Período de 05 de Julho de 2098 até 22 de Agosto de 2111: Avanço da tecnologia, criação da cúpula da cidade de Ledia, cidade Isolada, pessoas não podem sair.

23 de Agosto de 2111: Para que a terra não fique totalmente desabitada, foi declarado um projeto, o resto do mundo ia ser habitado por cyborgs, todos os habitantes da cidade se reuniram e criaram uma fábrica controlada por um cérebro mãe que iria criar diversos cyborgs em diversos modelos...

Período de 24 de Agosto de 2111 até 01 de Janeiro de 2603: Criação de cyborgs, reconhecimento, população dos cyborgos, cyber cidades foram construídas e a cidade de Ledia virou uma cidade aérea...

06 de Dezembro de 2603: O cérebro mãe da fábrica se corrompe, engenheiros cyborgs avaliam o problema...

13 de Dezembro de 2603: O problema não foi encontrado, a fábrica começa a criar armas...

20 de Janeiro de 2604: Uma onde de destruição e lançada sobre as cyber-cidades, foi descoberto que os cyborgs criminosos também foram corrompidos assim como o cérebro mãe...

28 de Janeiro de 2604: Após muita destruição, os cyborgs resolvem criar uma resistência contra os corrompidos, então é criada a PAC (Patrulha Anti Corrompidos)...

Período de 29 de Janeiro de 2604 até 12 de Julho de 2620: Conflitos entre os Corrompidos (que se denominaram Roateds) contra a PAC...

16 de Julho de 2620: Cyborgs se auto-denominam Antroids...

30 de Agosto de 2620: A Guerra dos Antroids é oficialmente declarada

Período de 01 de Setembro até dias atuais: Ainda acontecem conflitos armados entre os Antroids e os Roateds, e os humanos que moram em Ledia nem sabe do que se passa em baixo deles...

21 de Abril de 2640: Um humano nasce, seu nome é Oryon "Ryon" Zantek Ordan...

Roteiro:
Spoiler:

Página 1:
Cyber-Cidade de RSX-0308, vemos um cenário altamente tecnológico, prédios estranhos, carros voando, e coisas que não somos acostumados a ver, agora a cena pula para um Antroid, ele está bem agitado:

Operador C-EEL: "Na auto-estrada temos leitura de uma explosão, setor 21 câmbio"

Agora vemos um Antroid numa espécie de carro moderno que flutua numa estra bem reta:

Patrulheiro B-ENNERO Codinome: "BEN": "Recebi o aviso, estou perto do setor 21, estou a caminho!"

Operador C-EEL: "Tenho leitura de diversos Roateds, sua missão é destruir todos eles! Você dará conta sozinho BEN?"

BEN: "Não se preocupe operador, não é a toa que sou um patrulheiro classe GA, eu e o meu B-Saber iremos detonar!"

Página 2:
Operador C-EEL: "O Patrulheiro MAI-URIA Codinome: "M" está perto também, vou mandar ele lhe dar assistência!"

BEN: "Certo! Já cheguei no Setor 21, começando missão! Câmbio e desligo!"

De repente vário Roateds começam a aparecer, todos eles são Antroids, só que modificados pela corrupção do cérebro mãe, todos armados com espadas elétricas e canhões de plasma, BEN sai do seu veículo e saca sua espada de laser, está pronto para a ação:

BEN: "Hum, espadas elétricas e canhões zonker ZKX-0001!? Não me façam rir!"

Página 3:
Então após isso, BEN pula e corta vários dos Roateds que explodem, no final só vemos a auto-estrada com vários veículos destruídos e muitas peças destroçadas no chão, sinal de uma batalha, no fundo vemos BEN ainda com sua espada na mão.

BEN: "AH! Foi fácil..."

Página 4:
BEN desliga sua espada e a guarda como se tivesse teleportado ela, agora vemos um veiculo que lembra uma moto, mas sem as rodas, chega mais um Antroid, é o "M":

M: "Estou impressionado e ao mesmo tempo chateado BEN! Você acabou com tudo denovo e nem deixou um pouquinho pra eu me divertir!"

BEN: "Da próxima vez chegue mais rápido, você é muito lento!"

M: "Ou você que é muito rápido"

BEN: "Chega disso, vamos voltar para a base!"

M: "Entendido."

Após isso ambos os Antroids sobem em seus respectivos veículos e vão embora.

Página 5
Agora a cena se passa na cidade de Ledia, uma cidade que lembra muito as Cyber-cidades, vemos os mesmos tipos de prédios e os mesmos tipos de veículos, agora vemos no topo de um prédio dois jovens conversando, Ryon e sua namorada Shara, ambos de mãos dadas e sentados olhando o pôr do sol:

Ryon: "Ei Shara..."

Shara: "Sim?"

Ryon: "Você já pensou como seria a vida lá em baixo?"

Shara: "Como?"

Página 6:
Ryon: "Vivemos aqui no céu, é bem legal e tudo mais, mas você já se imaginou vivendo lá em baixo?"

Shara: "O quê como cyborg?"

Ryon: "Não, como humana mesmo."

Shara: "Acho que não, mas seria meio estranho se a gente vivesse assim. Nunca vamos descobrir afinal é proibido sair da cidade."

Ryon: "Sim, é proibido, mas..."

Shara: "Mas o quê?"

Ryon: "Quero sair dessa cidade, conhecer o mundo lá em baixo, o que você acha?"

Página 7:
Shara: "Bem..."

Ryon: "Você vai me impedir não é?"

Shara: "Claro que não, se esse é o seu sonho, eu como sua namorada quero que ele se realize. Apenas me prometa uma coisa."

Ryon: "E o que seria?"

Shara: "Quero que você volte de lá vivo e como era antes."

Ryon: "Boba! É claro que vou voltar e é claro que eu não vou mudar!"

Ryon beija Shara:

Ryon: "Vamos! Já está ficando tarde."

Shara: "Sim."

Página 8:
Depois de dias de planejamento, Ryon resolve sair da cidade com um Fly Board (Uma espécie de prancha que voa) então ele cai até a cupula central que é no centro da cidade, onde era aberta, para que o ar entrasse e circulasse pela cidade, após isso ele começa a voar para fora da cidade, sem nenhuma interrupção.

Página 9:
Agora vamos voltar para a superficie, o quartel da PAC começa a soar, o operador C-EEL fala:

Operador C-EEL: "Emergência! Um dos Generais dos Roateds apareceu, ZIRCONDARIUS RPD #767, Codinome "Zirconium", sua localização exata é a Cyber-cidade de LINDNER, Setor 47!"

Operador C-EEL: "Patrulheiros M e BEN! Apresentem-se!"

Aparece BEN e M:

Ambos: "Qual a missão Operador?"

Operador C-EEL: "Destruam a qualquer custo o inimigo, upgrade de armas foi autorizado!"

Ambos: "Certo! Partiremos imediatamente!"

Página 10:
Ao chegarem no local ambos se deparam com o General Zirconium, ambos sacam suas armas para lutarem, M saca um rilfe de laser e BEN saca sua espada de laser, o General avista os dois e fala:

Zirconum: "Dessa vez só mandaram dois? Acho que a PAC me subestimou! Andem logo! Vou acabar com vocês!!"

BEN: "Vamos nessa M!"

M: "Certo!"

Ambos correm em direção ao general, enquanto isso Ryon voava por perto:

Página 11:
Ryon: "Nossa! Então a superfície é assim? Tudo é tão mecanizado e..."

Escuta-se uma explosão, Ryon espantado cai do seu flying board perto de onde a batalha está sendo travada, de volta a batalha, vemos M sendo atravessadp por um soco do Genereal:

BEN: "M!!!"

M explode em mil pedaços! Ryon se levanta perto dali e vê:

Ryon: "O que está havendo aqui?"

Zirconium: "Isso é para vocês aprenderem a não me subestimarem! Prepare-se para juntar-se ao seu amiguinho Patrulheiro!"

BEN: "GRRRRR! Você vai pagar!!!"

Página 12:
BEN corre mais uma vez em direção ao General Zirconium e se da inicio a mais uma batalha, mas Ben é derrotado pelo General:

BEN: "Argh!"

Página 13:
Zirconium: "Não adianta patrulheiro! Você vai vira sucata como aquele outro e qualquer um que venha me desafiar!"

Ryon: "O que é aquilo? Aquilo é um cyborg?"

O general percebe Ryon e fala o pegando como se fosse um inseto:

Zirconium: "Ora, ora, o que será que temos aqui? O que é você? Algum tipo de robô orgânico? Você é bem mole..."

Ryon: "Não, eu sou um humano! Vem de..."

Zirconium: "O que é um humano? Qual o seu número de série? Você é um Antroid? Ah! Eu não quero saber! Você é até interessante, vou te levar para o Líder, ele vai gostar de você!"

Ryon: "Não! Eu não vou!"

Zirconium: "Seria mais interessante eu te transformar num Roated então? Pois bem!!!"

Página 14:
O General Zirconium lança uma bola de enrgia roxa em Ryon, o mesmo começa a gritar de dor, de repente ele começa a receber partes de metal, começa a ficar igual a um Antroid, após a transformação completa o General fala:

Zirconium: "Agora acabe com aquele pedacinho de sucata!"

Ryon: "N-não..."

Zirconium: "Hein?"
Página 15:
Ryon: "Porque fez isso comigo? Agora não poderei voltar para ela!"

Zirconium: "Hã?"

Ryon: "AHHHHHHHHHHH"

Zirconium: "Impossível!!!"

Ryon lança uma bola de energia que atravessa o corpo do General Zirconium e o faz explodir:

Página 16:
Após isso, Ryon volta ao normal e desmaia, BEN vê ele e o leva para a base da PAC para tentar reanima-lo, Ryon acorda numa câmara de sono, onde ele encontra-se com BEN:

Ryon: "Quem é você?"

BEN: "Patrulheiro B-ENNERO, número de série #5092, codinome: BEN, e você quem é?"

Ryon: "Oryon Zantek Ordan, codinome: Ryon! Prazer em conhecer!"

Página 17:
BEN: "Bem, devo dizer que foi incrível o que você fez antes, você é mesmo um Roated?"

Ryon: "Acho que não, porquê?"

BEN: "Nada, olhe você tem interesse de se juntar a PAC?"

Ryon: "PAC? O que é isso? Algum tipo de serviço de entrega?"

BEN: "Não, nós lutamos para proteger o nosso planeta daquela ameaça!"

Ryon: "Você quis dizer aquele cyborg?"

BEN: "Não, aquilo era um Roated, inimigo de nós Antroids!"

Página 18:
Ryon: "Nesse caso vocês lutam contra eles pela paz?"

BEN: "Sim! Eles são corrompidos, nosso objetivo é eliminá-los e eliminar o líder deles, o cérebro mãe, em breve lhe darei detalhes!"

Ryon: "Certo!"

BEN: "A pergunta principal é... você vai se juntar a PAC?"

Ryon: "Ficarei aqui por enquanto..."

BEN: "Bem vindo a PAC! Patrulheiro Ryon!"

Página 19:
BEN agora olha fixamente para Ryon que está pensando:

Ryon: "((Vou acabar com todos eles por terem me transformado nisso, agora nunca mais poderei olhar na cara da Shara sem me lembrar de que sou agora um cyborg, mesmo tendo uma aparência humana))"

Ryon: "((Nunca vou esquecer, com a ajuda desse cyborg e com o meu novo poder acredito que nós possamos vencer esse inimigo...))"

Ryon olha também para BEN e estende a mão para ele:

Ryon: "Obrigado! Espero que nós sejamos parceiros nessa!"

BEN aperta a mão de Ryon e fala:

BEN: Certo! Vamos acabar com os Roateds um por um!


Página 20:
A Cena final é apenas os dois apertando as mãos na sala do sono onde se pode ver muitas câmaras de sono.

Mal sabia Ryon e BEN que ambos estavam se juntando e virando parceiros contra a ameça mundial, o cérebro mãe, esses dois irão lutar até trazer a paz para os Antroids!

OBS: Perdoem ter colocado a linho do tempo, mas ela era vital para o entendimento da história que era muito grande para explicar no one-shot qualquer problema eu tento editar, mas não acho que a história ficará 100% entendida se eu tirar a linha do tempo...
J-Lucas
J-Lucas

Mensagens : 794
Data de inscrição : 13/03/2012
Idade : 24
Localização : Nordeste

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Concurso de roteiros (oficial) Empty Re: Concurso de roteiros (oficial)

Mensagem por goldslash em Ter Abr 24, 2012 2:58 am

Conection Main Destruct (CMD)

Sinopse: Em uma vida nem um pouco agradável, Paulo Junior (conhecido como PJ) ainda vê uma única coisa que lhe faz feliz, a convivência e amizade com Carlos, seu melhor amigo, mesmo que este não possa realizar seu sonho por culpa de uma doença, PJ ainda tem fé no sonho de seu amigo. Mas tudo muda quando PJ dá sua sentença e aponta um culpado aos seus problemas, após conseguir a ferramenta e descobrir um novo desejo e rumo, está pronto para enfrentar tudo, com um dom incrível que nem ele mesmo sabia. As consequências da decisão pesarão sobre ele?? Qual será sua decisão final... ??

Genêro: Drama, Slice of Life, Cyberpunk.


Spoiler:
PÁGINA 1:
*Depósito de Bebidas Talini. *
Paulo Junior - Três, Dois, Um... Uugh, Uugh.
Nesse momento levanto dois fardos de refrigerante e com algum esforço empilha-os.
Paulo Junior - Uff, Uff!! Que cansaço.
Paulo Junior - Trabalhar num lugar desses, que raiva...
Marcos Talini - Paulo Junior tome cuidado ao descarregar, qualquer dano aos recipientes, não serão tolerados. E serão descontados do seu salário.

Paulo Junior - E então já que eu tenho que fazer esse trabalho... Por que não me dá um aumento então?
Marcos Talini - Continue seu serviço... Você não é pago para ficar de conversa.
Paulo Junior (Grrr) - Sim Senhor.

PÁGINA 2:
*No caminho de volta para casa, após o trabalho cansativo, perto das 18hs*
Paulo Junior (pensando): È... Assim é minha vida, desses meus 20 anos, nunca vivi nada bom, na escola tive poucos amigos e faltava muito, repeti o ano diversas vezes...
Paulo Junior – Me chamavam de... PJ, não de Paulo Junior, mais sim de pior jogador, isso mesmo nunca fui bom em algum esporte, parte da minha infância, fiquei trabalhando, passei dificuldades.

PJ: Quando eu nasci minha mãe morreu, no parto. Meu pai... Ahh, meu pai, simplesmente me trata como um... Animal!
PJ: Entretanto o problema é ele fica maior parte do tempo em casa triste e ainda descontar em mim...

PÁGINA 3:
PJ – E quando chego, brigamos, sempre. No fundo eu sei... Talvez me culpe pela morte de minha mãe... Ele não entende que eu sofro também??
PJ – E se não bastasse isso, eu... Também tive meu amor, é eu tive. Mas, lembrar dela só me faz ter mais ódio no coração.

*Olhando o céu enquanto caminha*
Ela se chamava Carla, das poucas vezes que eu ia à aula, passava parte do meu tempo a vê-la, estava achando ela poderia mudar meu conceito sobre a vida...

FLASHBACK + PENSAMENTO – Mas, eu... Fui um tolo. Após não muito tempo, ela já estava namorando, pior do que saber era ver no intervalo... Ela e... Mais um cara, estavam juntos, não apenas se abraçando, mas também...
PJ – Enfim... Com o tempo, parei de acreditar nas coisas, parei de me relacionar com pessoas, não quero alimentar mais ilusão, eu simplesmente... Odeio isso que chamam de vida.
PJ – Porém, existe uma coisa que mantém vivo, que ainda não fez jogar tudo pro alto... Meu melhor amigo. Carlos!!

PÁGINA 4:
Hospital São Geraldo, 18h45min
PJ – Olá o paciente do quarto 32, pode receber visita, agora né?
Atendente – Quarto 32... Deixe me ver. Pode. È no segundo andar á esquerda. Por ali.
PJ – Obrigado.

PJ – Carlosss!!
Carlos – PJJ! Como está mano? Vindo me visitar sempre cara, poderia estar estudando...
PJ – Deixe de bobeira. Trouxe isto para você.
*Estende uma bandeja de frutas*
JP – Se alimente bem cara, logo você estará curado. (Carlos tem uma doença na cabeça já fazem 5 anos e está no hospital a 1 ano)
Carlos – Obrigado, você sempre gentil.
Carlos – Cof , Cof , Cof. E então... Como vai a vida?
PJ – A mesma de sempre eu trabalho, venho aqui te visitar, como eu chego cansado vou logo dormir. E você como está?
Carlos – Não sei muito, apenas sinto algumas tonturas, os médicos não me dizem muito, não me explicam meu quadro definitivo, pode ser que seja sério.
PJ – Não se preocupe logo você estará bem, mas pelo menos você pode fazer um pouco de que gosta aqui.
*Nota-se um notebook na cabeceira*

PÁGINA 5:
Carlos (Trazendo seu note para perto) – È legal. Eu gosto muito, mas eu só posso usá-lo algumas horas, pois eu não posso ficar muito nervoso... Mas eu ainda quero ser um grande programador algum dia e trabalhar numa grande empresa... E você qual seu sonho??
PJ – S-Sonho!? Não tenho nenhum, não penso muito nisso...
Carlos – Uhm... Sei...
Médico entra no quarto. Médico: Acabou horário de visita, venha outra hora.
PJ – Já...? Então... Tchau Carlos, te vejo amanhã.
Carlos – Tudo bem PJ, obrigado pela visita. Até!!

*O dia segue normal, PJ sofrendo no trabalho descarregando e sempre indo visitando seu melhor e único amigo Carlos e no caminho*
PJ (pensando) – Arg... Estou cansado, que ódio desse mundo, da vida, enquanto eu aqui querendo jogá-la fora, alguém como Carlos sofrendo sem poder vivê-la.
Isso não é nem um pouco justo... Nem pra ele... Nem pra mim, pois tenho que aturar meu pai meu trabalho e pensar como seria se eu tivesse tido minha mãe.

PÁGINA 6:
PJ (com um sorriso) – Agora... Encontrei um sentido para minha vida, já sei qual o meu sonho... O meu sonho de agora em diante será o mesmo do Carlos, conseguirei um computador (ainda não sei como) e serei um grande programador.
*Hospital São Geraldo, PJ segue a rotina e se direciona ao quarto de Carlos*
PJ – Aí Carlos, tudo bem??
Carlos – Cof Cof Cof. È mais ou menos. Minhas tonturas estão mais fortes... E você?
PJ – Já me decidi vou ser programador igual a você, seu sonho é agora meu sonho.
Carlos (com um grande sorriso no rosto) – Que bom cara, fez a decisão certa finalmente vai ver o quão legal é esse mundo da computação.
* Após um tempo de conversa, Carlos visivelmente parece piorar de estado, de repente...*

PÁGINA 7:
PJ – C-CARLOS!! CARLOS!! RESPONDA!!
Carlos (desmaiado) -....
*Aparelhos: Beeeeep* * Nesse momento PJ sente um choque, ele chama por um médico, que entra em alguns instantes, pedindo PJ esperar na sala, e momentos depois...*

PJ – E então..? O que aconteceu com ele?? Ele não morreu né??
Médico (Com uma cara ruim) – Ele vive, porém... Está em coma!!!
PJ (em grande choque) – Como assim?? È sério?
Como você sabe, ele tinha uma doença no cérebro e com o tempo ele não apresentou melhoras, no momento ele apresenta sintomas de morte cerebral, sua vida ainda é mantida com aparelhos não sabemos se ainda pode se recuperar.
PJ(em choque) – N-Não!!! Não é possível!!

Nesse momento PJ corre para fora hospital, seu melhor amigo única pessoa que ele ainda mantinha contato, nesse estado quase morto. Ao sair do hospital ele esmurra a parede e mais adiante chuta uma lata de lixo a metros de distância. Ele corre sem rumo e se põe a gritar aos céus.

PÁGINA 8:
PJ (com ódio) – DEUSS, POR QUE... CARLOS?? QUAL A RAZÃO DISTO?? POR QUE TEM DE SER ASSIM?

Agora PJ está diferente, o ódio tomando seu coração, com isso sua pequena fé no mundo se foi, pensa um culpado para tudo e uma razão.
Sua cabeça transborda, ele pensa no suicídio, raciocina sobre virar assassino, ele quer... Mudança.
Até que ele tem sua sentença... O culpado: O MUNDO!!!

PJ (com ódio) – TE DESAFIO DEUS. DESTRUIREI SEU MUNDO, SUA CRIAÇÃO NÃO ESTÀ PERFEITA, LOGO VOCÊ NÃO É PERFEITO!

*Continua a correr pensante em como pode destruir o mundo. Bombas atômicas?Vírus imortal? Tudo parece muito longe de conseguir ou ser produzido... Por um momento ele se lembra de Carlos e tem uma ideia... O mundo tem uma ligação e dependência muito forte com algumas coisas, caso elas ruírem, geraria um caos, é isso que ele quer.*

Até que ele chega a uma praça, è perto da noite, mas o sol ainda ilumina um pouco, se depara com um homem de idade, no seu colo, um computador e nele, está focado digitando rapidamente.

PÁGINA 9:
O homem percebe-o, e ergue a cabeça e olha no fundo dos olhos de JP, perguntando:
Homem – Olá garoto, algum problema? Que expressão é essa (reconhecendo os olhos de JP)?
Homem – Me chamo Kevin, porque não senta aqui e relaxa um pouco, pode usar meu computador se quiser.
*Era um notebook... Bonito. Personalizado em cores negras e vermelhas flamejantes e com um tamanho um pouco maior do que o normal.*

JP – Eu... Quero ver como funciona... E então o leva para perto de si.
Nesse momento, com uma habilidade incrível, impressionando Kevin, JP começa escrever rápido, bem estranho para alguém que nunca se interessou por computadores... Talvez ele tivesse um dom, um dom escondido...
Logo após acessar algumas pastas e páginas já vê um problema.

PÁGINA 10:
JP – Kevin... Olhe, tem um problema em alguns drivers seus, o Kernel não está reconhecendo corretamente, mas talvez eu saiba como arrumar, eu tinha um amigo que me falava muito sobre computadores.
Logo JP já estava reprogramando o kernel e após um tempo recompilando, deixando o computador de Kevin muito mais rápido e eficiente...
JP – Prontinho senhor, agora está em perfeitas condições...

Kevin (impressionado) – Obrigado garoto. Você parece gostar da coisa!? Eu já estou velho... Estava até, querendo vender esse computador, você estaria interessado?
JP (com um sorriso diabólico) – Estou sim, tenho o mesmo sonho que meu amigo e era exatamente isso que estava precisando... Que sorte a minha!

*E então o homem da uma oferta ótima, JP aceita sem delongas e logo após retirar o dinheiro (de sua conta, com alguns trocos guardados do seu trabalho), compra o eletrônico.*
Kevin (com um sorriso) – Obrigado... Não vai se arrepender. Estou indo embora e você... Por que não vai para casa testar seu computador novo?? Divirta-se um pouco e melhore sua expressão...

*Antes de JP ir para casa eu pega o que sobrou do dinheiro e adquiri uma antena... Mais tarde chegando em casa, após discutir com seu pai, pela demora de não estar em casa, sobe ao quarto, empunhando seu “brinquedo”.*

PÁGINA 11:
JP – Que interessante agora meu plano começa. Primeiro vou ajeitar uma internet... A do vizinho está com sinal bom... Ele é velho provavelmente nem notará nada...Haha, maravilha, está sem senha, ó coisa fácil.
JP – Veremos as configurações, dessa belezinha...
JP (Espantado) – Caramba, nem me lembro de Carlos citar uma máquina deste nível, nem sabia que existia algo assim, realmente fiz ótimo negócio.

*Descrição no canto: 8 Cores, 16GB RAM, NVIDIA GTX460 DDR5 1GB,2TB HD, Blu Ray.*
JP – Primeiro... Começarei com um pouco de vingança com alguém...
*JP procura por algumas informações... Logo acha um perfil na rede social... E pega o local de trabalho, empresa Ramix...
JP – Certo,!
*Nesse momento JP, descobre o IP do servidor que está alocado o site da empresa, nisso consegue todos os dados pessoais e fiscais.*
JP – Pronto... E então...
Agora JP invade o sistema da polícia, mas tem um problema, pra modificar dados precisa ser administrador, ele usa um scanner de http e.... Encontra um pacote com usuário e senha, mas parece que a senha ta criptografada em MD5, mas isso pra ele é tranquilo, existem muitos sites por aí que fazem o trabalho de descriptografar para ele, então logo a senha aparece , após completar o login ele faz o seu movimento, insere um novo foragido, forjando um possível acometimento assassinato, seu nome é ... Carla.

*Logo JP está cansado e dorme, ele sabe que seu plano já esta pronto amanha é o dia D, não tem mais volta, ele sabe que o tempo é curto e com a velocidade que a informação se espalha, logo as pessoas saberão que algo está acontecendo.
Ao acordar cedo toma o rumo do depósito onde trabalha, pede demissão e aproveita para falar algumas verdades, muito bem ditas, para seu chefe... Logo está em casa novamente, sua expressão era única. *

PÁGINA 12:
Casa JP – 8:30 da manhã no seu quarto.
JP – Hoje... Meu objetivo pode ser meio impossível, mas eu acabarei com parte desse mundo usando isto (olhando para o notebook), se Deus é bom o bastante ele impedirá... E se mundo acabar, caso ele exista, deverá criar outro para brincar mais...

Numa consulta rápida ao site de notícias da cidade... Criminosa foragida é presa por assassinato, o réu, nega as acusações...
JP – Essa terá o que merece, veremos se ela gosta da coisa, quanto tempo até ela ser estrupada!? Hahaha!

Casa JP – 9:30 AM
JP – È só o começo... Não tenho tempo a perder (olhando ao relógio), vou direto ao ponto, atacarei esses corruptos, servirá como uma alerta, muita coisa ainda virá...
*Subitamente ele ataca domínios de prefeituras e do governo e após o ataque ele *
JP – Haha, que fácil foi esse... PHP chulé mesmo o seu, toma esse SQL Injection.
JP – Otários, enquanto se preocupam em passar a perna no povo, se esquecem da segurança, aproveitarei essas vulnerabilidades de Javascript, aplicando XSS Injection.
*JP Derruba os servidores e no fim deixa junto com a mensagem “VENHA ME PEGAR!”. E um vírus que no momento em que o computador começar a ser desligado, o vírus aborta a operação e manda executar um programa tão gigante e usando tudo da máquina, que após algum tempo, alguns componentes queimam, com isso ele deixará muitos dos computadores do governo incapacitados, caso tentem desligá-los para manutenção, praticamente sem chance de recuperação.

PÁGINA 13:
Casa JP – 11:00 AM
JP – Segunda parte do plano: Acabarei com as transações no mundo, os bancos, e com o item vital em que o mundo se baseia “dinheiro” e suas centrais, os bancos.
*Após algum tempo JP ainda luta, ele sabe o quão difícil é arruinar os bancos, pois investem pesado em segurança, mas mesmo assim ele derruba alguns servidores e os bancos começam a enfraquecer.
*Nova mensagem e uma janela se abre*
JP - ??
Sr. 01 – Bom trabalho garoto, agora o caminho está livre para minha organização hacker.
JP – Quem é você e como conseguiu passar pelo meu firewall blindado?
Sr. 01 – Não lembra de mim?? Kevin... Seu mentor. Esse seu firewall não é nada, agora deixe o trabalho para os mais velhos.
JP – Organização... Então você estava mentindo quando me encontro... O que pretende com isso!?
Kevin – Não, apenas vi que você tinha esse talento e poderia nos deixar as coisas mais fáceis. Pretendo conseguir muito dinheiro...
JP – O dinheiro não servirá pra nada, o mundo acabará dento de algumas horas...
Kevin – Mwhaha...Você que acha, meu caro.

*Conexão Encerrada... E no mesmo momento...*
JP- Droga... O está acontecendo!? Estou sendo rastreado, não demorará muito pra os White Hats conseguirem me achar e então eles virão até mim... Maldito Kevin, ele me usou e ainda me denunciou...
*Nisso JP já ouve ao longe, sons de viaturas, enfia suas coisas em uma mochila e vai em direção á rua*
JP – Vou dar o fora daqui, já não é mais seguro...
JP – Tenho que achar uma conexão e rápido.
*JP se enfia num beco, perto de uma empresa de calçados... Teve sorte que não foi reconhecido e agora está seguro, ele senta ao lado da lixeira*

PÁGINA 14:
Beco próximo a uma empresa – 13:00 pm
JP – Já sabem que estou agindo, agora não tenho muito tempo... Nas redes sociais e sites de notícia, já sou falado, mas ninguém ainda me conhece, todos estão se perguntando quem atacou os sites governamentais... Nem sabem o que está por vir.
JP – Vamos ver... Existe uma conexão aqui, precisa de senha e agora... Provavelmente deve ser protegida por MAC e senha WEP. Vou usar esse Sniffer para capturar alguns pacotes que podem me obter pistas sobre essa senha WEP.

*Após algum tempo JP consegue um MAC e um IP compatível, mas ainda precisa de senha para se conectar.*
JP- Droga! Vai dar um pouco de trabalho, vou usar Brute Force mesmo...
* JP usa um programa que testa todas as senhas, dependendo do tamanho, vai demorar um grande tempo...*
JP – Nossa! 1 mês não tenho tempo para isso, já estou até com fome...
*JP aproveita o momento, abre sua mochila e acha um lanche que ele mesmo, tinha preparado... E também aproveita para ter uma ideia, o mínimo são 13 caracteres, pelo porte da empresa não deve ser uma senha tão complicada, acho que ninguém se importa muito com isso...*

*JP tenta SulTenis12345. Fuuuuuu!*
JP – Droga não deu certo... Haha, nem tão fácil assim também... Deixa-me ver...
*Se baseando no nome da empresa Sul Tenis Ltda(limitada) e no seu dono Leonardo Cabral.*
*JP tenta LeonardoCabra, não funciona e sua próxima tentativa é CabralSulLtda... Conexão sem fio... Conectada!
JP (em êxtase) – È isso aííí!!

PÁGINA 15:
JP – Agora acabei com a brincadeira, esse última parte será o início do caos. Meus novos alvos: Reatores Nucleares...
JP – Sendo 432 no mundo inteiro, caso sejam afetados, causarão uma pandemia e contaminarão um grande número de pessoas... Após tentarei acabar com as comunicações e me isolarei em algum lugar, esperando pelo fim, só os fortes sobrarão e aí veremos, se ele aparecerá...DEUS!
JP – Vou começar pelos brasileiros, ainda não modificarei nada para não chamar atenção, apenas usarei um código escrito em assembly e no momento que executado, ele causa um problema nas partes elétricas do reator fazendo-o vazar todos seus tóxicos... Deixarei tudo pronto, para o momento final!

*16:00 pm , PJ está exausto, sua cabeça dói*
JP – Invadi todos os reatores, não deixei pistas, agora só faltam os mais seguros, os americanos, quero ver se eles têm todo esse potencial, que ostentam.

PÁGINA 16:
*Após invadir alguns com facilidade, ele acha outro um pouco mais complicado...*
JP – Um... Que todos IP’s são esses? Então eles camuflam suas máquinas desse jeito e alguns deles devem ser alguns caras (White Hacks) de prontidão, para investigar qualquer conexão suspeita.

JP - Mas eu tenho outra maneira, executarei esse Port Monitor, se alguma porta estiver aberta me aproveitarei, caso contrário, executarei esse código em C# com apenas 1K, duvido que consigam perceber e com isso abrirei uma porta a mais... Pronto, porta 100 aberta agora farei o de costume e só fazer tudo na calma...
*Nisso ele faz conexão através da porta, e deixa seu vírus de prontidão... Algum tempo depois, ele acha outro, bem mais seguro... E então...*

PÁGINA 17:
JP – O que?? 5000 mil linhas de código, não tenho tempo pra procurar... Já sei, vou ligar pra lá.
* JP pega seu celular e disca o número internacional, agora que o seu saldo se vai.*
JP – Hi, are you from San Onofre usine?
Atendente – Yes. Who are you?
JP – I’m will do the maintance, for the company. I already talked with your boss, he said to talk to with you to get some information… What operational system those computers use and what algorithm they protect them?
Atendente – Ah… Right, we have installed Ubuntu on these systems and they use the RSA technology…
JP – Hum… Got it. Tomorrow I’ll be there to do the work. Thanks. Bye.
Atendente – Bye.
*Beep*

JP- Mwhaha otário, acabou me dando o algoritmo de segurança, sem nem saber pra que serve...
JP – Agora é só descriptografar isso... Pronto. Access Granted!
*Mesmo Beco - 18:00 PM*
* Após algum tempo JP está pronto, agora é julgar, o mundo logo estará em pânico, alguns morrerão...*
JP – Todos os passos foram feitos, agora é só executar o código.
*Nova mensagem*
JP – Aff! Deve ser o Kevin aquele otário, ele nem sabe o que está por vir...

PÁGINA 18:
Carlos – JP, aqui é o Carlos....
JP (espantado) – (???) Está de brincadeira com minha cara... Quem quer seja acha que vou acreditar?!
Carlos – Sou eu... Sai do coma, deve ser um milagre, estou melhora agora, meu cérebro voltou a funcionar... Quer provas? Sei que trabalha na Tanini... E sei que você é meu melhor amigo!!
JP (Logo acreditando... boquiaberto) - C-Carlos... Você está bem!? Por que está me mandando mensagem agora... Estou ocupado!
Carlos – Olhei o noticiário estão procurando por um hacker que atacou sites do governo... Liguei para sua casa, seu pai contou sobre a polícia ter aparecido por lá... E deu um depoimento a polícia, mas não sei ao certo se estão te procurando, eu logo soube que era você... Você sempre foi inteligente, só teve um pouco de azar, na vida, mas porque virou cracker (Black Hat).

PÁGINA 19:
Carlos – Imagino o que você deve estar tramando, se entregue ainda há tempo... Se você está fazendo isso por mim, peço que desista agora!!
JP – Não sou cracker algum, só tenho alguém a quem eu quero desafiar... Não há mais tempo... Já fiz minha escolha.
Carlos – Pense bem, você pegará uma pena pequena por ser réu primário, não culpe as pessoas pela suas decepções, eu também às vezes penso mal da vida, mas é apenas uma fase... Tudo passa é assim que penso.

PÁGINA 20:
JP – Não voltarei atrás e a culpa não é das pessoas... A culpa é desse mundo.
*Conexão Encerrada*

Carlos – J-JP!! O que você está pensando??

JP (tremendo) – Droga... O que deu no Carlos, andando para trás agora ele sempre negou o mundo também... Ele sabe que estou certo, eu sei que sabe. DEUS não foi justo conosco, agora é minha vez.
JP – Agora executarei esse código e tudo estará acabado... Desculpe você também é meu melhor amigo... Carlos!!!

.
.
.

BOOOOOOOOOOOOOOMMMMMMMMMM!!!!!!!

Vocábulo:
Spoiler:

PHP Injection = Também conhecido como SQL Injection. Consiste em se aproveitar de falhas em PHP, aplicando SQL. (Método Hacker)
XSS Injection= Cross Site Scripting Injection. Consiste em rodar um código em qualquer uma das linguagens (JavaScript, VbScript,Java,Flash,HTML) para injetá-lo e modificar a página. (Método Hacker)
Engenharia Social = Método de enganar funcionários em trocas de informações confidencias e/ou sigilosas de uma empresa.
Brute Force = Método de força bruta, testar todas as senhas possíveis num certo escopo.
Assembly = Linguagem de máquina.
SQL = Linguagem geralmente usada em banco de dados.
C#, Flash, VbScript, Java,JavaScript, Html,PHP, Entre Outras = Linguagens de alto nível.
Ubuntu = Sistema Operacional com kernel Linux.
Kernel = Núcleo do sistema operacional.
Linux = Sistema aberto construído por Linus Torvald.
Black Hat = Hacker do mal, o termo correto é cracker.
White Hat = Hacker do bem que trabalha na proteção de sistemas.
IP(Internet Protocol) = Número de identificador de conexão.
MAC (Media Access Control) = È o endereço físico da placa de rede.
WEP (Wired Equivalent Privacy) = Chave de rede sem fio.
RSA (Ronald Rivest, Adi Shamir, Leonardo Adleman) = Algoritmo de criptografia.
MD5(Message-Digest Algorithm 5) = Algoritmo de criptografia.
Criptografia = Esconder os dados.
Descriptografia = Caminho inverso da criptografia.
Sniffer = Ferramenta para interceptar e registrar tráfico em uma rede.
Port Monitor = Ferramenta para escanear portas de um computador ou host.
Porta = Usada nos sistemas para conectar serviços. Ex: HTTP: 80.
Firewall = Software que bloqueia conexões de estranhos.

Ressalvas: Já indico que sou contra e não faço apologia ao crime. Desculpe pelos termos técnicos, mas é desse modo mesmo, pra quem não conhece, pode tentar entender um pouco disso ou talvez se interessar pelo assunto, acho um assunto muito pouco falado, é ficção, mas tem algumas coisas meio reais...
Abraços.
goldslash
goldslash

Mensagens : 2685
Data de inscrição : 12/04/2012
Idade : 26
Localização : é o termo usado em geografia e áreas afins para designar a posição de algo num espaço físico.

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Concurso de roteiros (oficial) Empty Re: Concurso de roteiros (oficial)

Mensagem por Dariks em Ter Abr 24, 2012 6:41 pm

Autor: Dariks

Título: One More Chance

Sinopse:

Peter é acordado no meio de uma floresta por uma mulher um tanto especial,
além de parecer ele em forma de muler, ela está totalmente nua. Então ela
revela ser algo muito próximo de Peter, algo que só pode existir junto à ele.
Separados agora, os dois tentam encontrar a grande árvore na enorme flo-
resta e se conectarem novamente.


Spoiler:



One More Chance





Página 1

Um homem, de nome Peter, com roupas sujas e meio rasgadas está deitado no chão de uma floresta.
Ele acorda com alguém cutucando o seu rosto com um graveto.

- Ahh!! – ele assusta se olhando a imagem à sua fente
Uma linda, de olhos azuis brilhantes, como o dele, cabelos castanhos claros, como os dele, e uma pinta próxima ao olho esquerdo, como nele, estava despida e sorrindo à sua frente.

- Quem é você?! E por que?... – ele se perde olhando para o lindo corpo nu dela, se levanta e dá uma conferida
A moça o olha como se nada de anormal estivesse acontecendo.

Página 2

Agora ele olha como o rosto bem próximo do dela.

- Moça, onde estão suas roupas?... Ahh, por que eu estou me preocupando com suas roupas?! Onde eu estou? Quem é você? – ele a olha procurando resposta e ela a olha com um olhar inocente.

Ela dá três batidas, com a mão fechada, bem na cabeça dele, como se batesse em uma porta.
Ele fica meio que surpreso, mas presta atenção no resultado da batida.
Ouve um eco dentro de si, como se estivesse vazio.

- Me sinto vazio – diz ele bem baixinho colocando a mão no peito e olhando para baixo -...
Ele retorna o olhar para a moça.

- Não vá me dizer que... – diz ele com os olhos arregalado.
Página 3

- Eu sou sua alma – diz a linda moça, inclinando sua cabeça para o lado e com uma voz que demonstrava convicção.

Peter se afasta um pouco.

- Como você pode ser minha alma?!
- Assim como eu sou.

Tem-se um silêncio.

- Mas isso não é possível, se você é minha alma devia estar aqui dentro de mim! – diz ele apontando pra si mesmo.
Página 4

A floresta é mostrada de cima, eles estão em uma clareira. Ao torno deles há diversos tipos de árvores, flores e insetos.

- Por algum motivo eu fui separada do meu corpo, de você. E agora nós devemos entrar na boca da grande árvore e assim seremos conectados novamente. – diz a moça de voz doce
- Então você está me dizendo que você é minha alma e temos que encontrar uma única árvore nessa floresta para que possamos entrar nela e sermos “conectados” novamente?
- Exatamente, Peter.

Peter olha pra cima e suspira.

Página 5

- Da última coisa que me lembro antes dessa floresta é de ter tido um enfarto e estar deitado em uma cama de hospital... – diz ele a si mesmo -... Será que eu perdi a memória?
- O que você está cochichando sozinho ai Peter?
- Não, nada. Vamos andar até essa tal árvore.
- Sim! – diz a moça dando um salto.
Peter fica vermelho ao olhá-la fazendo aquele gesto.
- Tá! Vamos caminhando...

Eles andam em direção a uma trilha.

Página 6

É mostrado o céu.
Agora algumas flores que nascem no topo das árvores.
Página 7

É mostrada a floresta.
Folhas de árvores já extintas há muitos anos atrás.
Pássaros, como Araras, Tucanos, etc.

Página 8

Visão de cima de eles caminhando pela trilha.

- Ei moça, como se chama? – diz Peter à sua alma
- Por que eu haveria de ter um nome? Já viu alguém chamar uma alma? – responde ela com toda a sabedoria.
- Tá bom então... É... Qual a sua idade então?
- Ah, depende muito do ponto de vista, mas se você prefere, eu tenho a sua idade.
- 26 então?
- Não, 28 anos.
- Aff, não consigo pegar nenhuma falha dela... Será que ela é minha alma mesmo... Não!

Página 9

Eles continuam caminhando. Como antes, ela na dianteira.

- Ei moça, como que eu vim parar aqui? – puxa conversa ele novamente.
- Como você acha que veio parar aqui?
- Ah... Eu acho que essa é uma das florestas do Canadá que minha esposa e eu queríamos ir. Depois que eu me recuperei do enfarto, nós arrumamos nossas malas e viemos fazer um passeio, então eu me perdi e um galho caiu e acertou minha cabeça, fazendo eu perder um pouco da minha memória...
- Uhm... Deve ser isso mesmo...
- Eu acho que a mesma coisa aconteceu com você, mas só que você ficou maluca e ficou achando que era a alma dos outros... – pensa Peter.

Página 10

Eles andam mais um pouco e chegam a uma parte que a trilha se divide.
Eles tinham que escolher entre direita ou esquerda.

- Vamos pela direita! – diz Peter
- Não! Vamos pela esquerda! – diz a moça
- Desde quando uma maluca nudista, dizendo-se ser a alma dos outros, sabe qual lado devemos seguir?
- Desde quando alguém que se perde de sua esposa e é acertado na cabeça por um galho, sabe que lado devemos seguir?
- Ah... – ele se cala e ela segue pelo caminho da esquerda. Ele a segue. – Maldita que sempre vence meus argumentos – pensa ele
Ele empurra a placa que indica os caminhos.

Página 11

A placa cai no chão, e nela está escrita uma palavra: “Esquerda”.

Eles caminham uma pouco mais.
Peter falando várias coisas e se embola em uma teia de aranha, caindo no meio do mato. E ela rindo dele.

Página 12

Ele pega uma flor e mostra para ela.
Ela dá uma cheirada e logo um espirro.
Ele cai em cima de uma planta com espinhos e sai correndo

Página 13

Eles ainda caminham...

- Nossa! Já estamos caminhando há horas! Tem certeza que é pra cá que a tal árvore fica? – diz Peter com cara de exausto.
- Claro que sim. É logo depois de atravessarmos a ponte do rio. – diz a moça.
- Eu acho que pelo lado direito era bem mais rápido, não era não?
- Então volta e vai pelo lado direito.
- Maldita me venceu de novo – pensa ele.

Um pintinho, bem gordo e grande, atravessa o caminho deles.
A moça corre em direção.

- Own, que fofo! - ela se abaixa e estende a mão para cariciá-lo.
- Não toca nele! – grita Peter.
Ela e o pintinho o olham.

Página 14

- Mas por quê? – pergunta ela.
- Isso não é uma ave!
- Ih, estou achando que sua estória está começando a fazer sentindo, a pancada do galho foi forte mesmo hein!
- Eu estou falando sério! Desde quando filhotes de galinha tem 3 patas?
Ela olha para o pequeno animal e percebe o defeito.
A moça pula para trás e vai se afastando.
- Ah, droga! Maldito humano! – diz o pintinho com uma voz muito grossa pra seu tamanho.
Ele começa a se distorcer e se transformar.
A moça corre para trás de Peter.
Logo, o que antes era pintinho, se transformou em uma pessoa com olhos e nariz pequenos, e uma boca que se estendia de uma orelha à outra.

Página 15

- Droga! É o devorador de almas! – grita a menina.
- Devorador de almas?! Então ela é realmente uma alma?! – pensa Peter assustado.
- Me passa logo a garota! Ela parece bem deliciosa...! – diz o devorador
Peter dá uma boa olhada na moça.
- Ei! Mais respeito com a minha alma!
O devorador dá um berro potente.
Eles então começam a corre pela trilha, e o devorador atrás.
Correm muito rápido, com Peter segurando a moça pelas mãos.
E então eles param e descansam.
- Despistamos? – diz Peter ofegante
- Sim, despistamos – diz a moça nem tão ofegante assim.

Página 16

Eles olham para o lado e vêem a ponte, e logo mais à frente a árvore que parece estar com a boca aberta.
- Conseguimos! – diz Peter e a moça ao mesmo tempo.
Eles correm de mãos dadas passando pela ponte, que logo após que eles passam ela arrebenta.
Eles nem percebem.
Chegam em frente à arvore.
- É... Primeiro as damas... – diz Peter, muito feliz.
A moça dá um sorriso e entra na árvore.
- Agora é minha vez!
Então a árvore fecha a boca e mastiga.
- O que?! – pensa Peter paralisado.
Árvore começa a se contorcer.
Página 17

É mostrada a face do devorador.
Ele esboça um sorriso satisfatório e lambe os lábios com aquela língua imensa.
- Ela era bem gostosa mesmo! – diz ele logo depois de dar um arroto
- Seu... Seu... Ah!! – as lágrimas descem pelos olhos de Peter e ele se lembra do rosto da moça sorrindo.

Peter lança seu punho em grande velocidade e em direção ao rosto do tal devorador de almas.
Mas sua mão o atravessa. Peter cai ajoelhado no chão.
- Mas o que houve? – Peter olha para suas mãos.
Elas estão desaparecendo aos poucos.
- Sem sua alma você não existe! – diz o devorador e logo solta uma gargalhada.
Peter cai no chão.

Página 18

Ele vai fechando os olhos pouco a pouco e tudo a sua volta vai se tornando branco.
Ele desaparece.
Tudo fica totalmente branco.

Agora aparece um quando de hospital e uma moça está sentada em uma cadeira ao lado de uma cama, onde um homem está deitado.
A mulher está debruçada sobre ele.
Os bips, que estavam seguidos, aceleram-se e tornam-se um único bip, indicando a parada cardíaca do homem.
A mulher se desespera e sai correndo até a porta.
“Enfermeira!!”, grita ela.
O rosto do homem é mostrado. Peter ele é.

Página 19

Os enfermeiros entram no quarto, e começam a dar descargas elétricas com o desfibrilador no peito de Peter. Nenhum resultado é conseguido.
Massagem cardíaca é testada, mas nada.
Os médicos tentam de qualquer jeito reanimar o paciente, e outros tentam segurar sua esposa que se debate desesperada...
A câmera vai se afastando...
Mostra-se a janela do hospital, o hospital, alguns prédios ao torno do hospital...

Página 20

É mostrada a visão panorâmica da cidade.
“Nem todos conseguem aproveitar a chance extra que lhes é dada...”
Dariks
Dariks

Mensagens : 2551
Data de inscrição : 06/05/2011
Idade : 23
Localização : Minha casa

Ver perfil do usuário http://dakayaroshy.blogspot.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Concurso de roteiros (oficial) Empty Re: Concurso de roteiros (oficial)

Mensagem por Murilo o mago em Qua Abr 25, 2012 12:29 pm

o meu roteiro muritaka!

Há historia se passa no tempo medieval começa com o mago murlo andando em uma estrada de terra deserta com seu cajado em sua mão esquerda e seu grímorio livro de magias na outra ele não sabe de sua origem não sabe pra onde vsai de onde veio só vai seguindo em frente derrepente depois de um certo tempo ele vê três caminhos direita esquerda e meio ele decide ir no caminho do meio adimirando a paisagem resolve ler seu livro aprender algumas magias ele aprende a fazer chover meteoros cair um meteoro gigante do céu e fazer crescer uma pedra gigante do chão quando aprende elas fecha seu livro e vê um bar uma taverna ele entra e lá tem vários bêbados o dono do bar lavando copos e
Murlo diz:
- me de uma cerveja
Dono do bar – me de uma moeda de cobre
Murlo – mas e não tenho
Dono do bar – então sai daqui
E é isso que murlo faz coloca a mão na maçaneta da porta e puxa quando ele puxa um homem empurra a porta por impulso murlo o pega pois ele está com varias flechas em seu corpo todo ensangüentado ele diz pra murlo :
Fu-fu- fuja mago!
E morre com um sorriso em seu rosto ao longe murlo avista vários orcs ele deixa o homem no chão e sai correndo depois de correr muito vê a sua cidade sendo destruída ele deita perto de um lago e fica olhando pro céu ele não bebe a água pois o lago esta muito sujo ele vê uma coisa vindo em sua direção é um pássaro mas não é um pássaro comum é um pássaro com um bico parecendo uma cerra e pontudo parecendo uma agulha murlo sabe que se não fazer nada vai ser morto então enfia seu cajado no pássaro o pássaro morre e murlo o pega para vender em uma loja e ganhar algum dinheiro murlo tem uma bolça mágica ela não tem fundo então pode guardar qualquer coisa ele sai adando a procura de uma cidade para vender o pássaro em alguma loja ele começa a andar está cançado e com fome por ter matado o pássaro seu XP aumenta ele está no level 1 por isso só pode usar três magias por dia por ser leve l murlo está andando e o sol some fica escuro ele olha para trás e tem um troll olhando para ele e tapando o sol murlo enfia seu cajado pontudo no joelho do troll ele esta com um capacete pois vira pedra no sol o troll não gosta do que murlo fez ele pega-o na mão e começa a apertar murlo faz sair uma pedra gigante do chão uma de suas magias ela acerta o queixo do trolldeixando-o tonto murlo cai no chão o capacete do troll está mei mole na sua cabeça ele tenta dar um tapa em murlo mas erra murlo usa seu meteoro gigante para acertar a cabeça do troll a cabeça dele enfia no chão e tira o capacete do troll ele começa a virar pedra murlo começa a se sentir mais forte ele passou pro level 2Após murlo ter matado o troll e passar de level ele ganha uma magia nova a magia de fazer crescer raízes e agora ele pode usar magia 5 vezes por dia ele vai até uma cidadezinha e encontra uma loja ele lembra o pássaro e vai até lá ver o que ganha chegando lá ele vê um homem arrumando as coisas ele diz :
- oi
Dono :
- olá meu jovem o que deseja ???
Murlo – bom o que você me dá nesse pássaro ?
Dono – bom eu vejo que você tem essa capa toda rasgada esse sapatos todos sujos de baba de troll certo ?
Murlo – isso mesmo
Dono – e esse grímorio velho sem magia nenhuma e esse cajado todo gasto bom como eu sou uma boa pessoa te dou esse um grímorio level 2 um cajado também de level 2 sapatos novos e uma capa nova que irá te ajudar nas batalhas ela irá te dar um pouco armadura então toma e me o pássaro
Murlo – obrigado moço !
Dono – não há de que meu jovem
Murlo – há tome essa coisa velhas
Dono – obrigado
Então murlo veste sua nova capa branca com alguns desenho pretos seu cajado todo branco com uma ponta bem afiada no final dele.
Murlo está andando pela rua e vê um senhor sentado ele senta perto dele o moço ou melhor o velho está com uma capa preta e com um capuz na cabeça ele diz:
- quer uma quest meu jovem
Murlo – e-e-eu ?
velho- você está vendo outra pessoa aqui ?
Murlo-na-não
Velho- então vai fazer ou não ?
Murlo o que eu ganho ?
Velho-100 moedas de ouro
Murlo- o que eu tenho que fazer ?
Velho- Trazer a carcaça da cobra do deserto!
Murlo – ta mas pra que lado fica
O velho aponta para a direita murlo olha
Murlo - Ta mas onde eu te encontro para te dar a carcaça ? ué cade ele ???
O velho desaparece sem deixar rastros e murlo com seu cajado em uma mão e seu grímorio em outra sai em busca da cobra do deserto
Murlo andando por muito e muito tempo se depara com uma sombra mas não tem nada ali apenas a sombra mas de onde ela vem ? murlo decide chegar mais perto ela vira uma criatura orrenda de sombra ela ataca murlo que rapidamente faz chover meteoros ele começa a crecer e crecer até que vira um redemoinho e vira uma adaga de sombra quando murlo pega no alto se escreve use-a apenas uma vez ele a guarda e continua sua jornada atrás da cobra do deserto ele avista um oazis e vai lá quando ele chega vê 1 jovem no caminho andando ele pergunta
Murlo- ei você ai
Jovem – quem eu
Murlo – sim você
O jovem vai andando em direção a murlo ele fala
Jovem- oi !
Murlo- oi vc está sozinho como se chama e que level você é e que classe ?
Jovem- sou lercos sou level 3 sou humano
Murlo- isso eu sei imbecil!
Lercos- hehehe desculpa bom continuando humano classe guardião e sim estou sozinho
Murlo não ouve uma palavra que lercos diz ele só pensa em mata-lo e passar de level lercos nem se preocupa com murlo ele diz assim :
- vamos ser amigos
Murlo diz sarcasticamente :
- sim !
E vai sair a raiz do chão pegando lercos murlo tentou esmagalo só que ele cortou as raízes lercos fala :
- não quero brigar vamos ser ....
Murlo enfia a raiz em lercos ele vê aquele garoto com espada longa e escudo pequeno com roupas velhas morrendo por sua causa com uma punhalada certeira e traidora o garoto cai no lago que fica todo ensanguentado murlo fica mais forte e passa pro level 3 lá na frente ele vê uma ponte ele corre o mais rápido que consegue e por ter matado um cara com level maior que o seu ganha uma magia ele agora consegue fazer sair espinhos de pedra do chão quando ele chega na ponte tem uma figura com um capuz preto parecendo a morte e diz :
- você só poderá passar respondendo a minha pergunta ela
Ela tem a voz fria
Murlo – que pergunta
Figura – o que é de vidro com areia para marcar o tempo
Murlo diz sem pensar duas vezes :
- ampulheta!
E agora será mesmo ampulheta ?

Murilo o mago

Mensagens : 31
Data de inscrição : 24/04/2012

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Concurso de roteiros (oficial) Empty Re: Concurso de roteiros (oficial)

Mensagem por CB_ em Qua Abr 25, 2012 2:32 pm

força do lutador

drama,açao,comedia,comedia romantica

vitor e um jovem de 16 anos q trabalha em uma construçao de servente de pedreiro para ajudar sua velha mae a sustentar a casa,ele tem dificuldades para ter amigos na escola pq ele e timido e mt sei jeito e tem mts pessoas q n gostam dele,um dia armaram para cima dele em um certo local onde pegaram ele e começaram a espanca-lo entao surge marcao o ajuda a sair dessa situaçao,mais ele foi mt surrado e desmeia.
logo depois ele acorda em uma academia e la ele conhece o mma e a historia vai se dessenrolado por ai.

vou post ainda,se algum desenhista se enteresa manda uma menssagem para o meu perfil no forum
CB_
CB_

Mensagens : 781
Data de inscrição : 10/12/2011
Idade : 25
Localização : sao paulo,santo andre,campestre

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Concurso de roteiros (oficial) Empty Re: Concurso de roteiros (oficial)

Mensagem por kaor em Qui Abr 26, 2012 8:15 am

Autor: kaor

Título: Viagens de um floco de neve

sinopse:



Dois inventores, um muito formal e o outro nem tanto decidem usar sua inteligência elevada para desafiar uma das mais antigas e absolutas regras da natureza, a gravidade. Ambos começam a produzir a ideia da invenção suprema, uma maquina capaz de fazer o homem voar.



Spoiler:




Página 1

Era um dia com muita neve, várias pessoas vestidas com mantos e cartolas pretas entravam por um buraco no meio de uma minúscula e vazia praça com bancos e postes no meio da floresta.

Ali era uma formação rochosa parecida com uma ponte, onde a Superfície era muito larga e possuía essa floresta por cima, havia um castelo com design gótico de ponta cabeça pendurado embaixo desse rochedo e abaixo dele havia um rio congelado, que formava o reflexo da parte de cima do castelo, ou seja, estando encima desse rio daria a impressão que estaria flutuando, pois ele reflete o castelo por cima, o rochedo aparentando estar abaixo do castelo e o céu.

O buraco na pequena praça da floresta levava até esse castelo, onde o chão da construção era desenhado de uma forma que parecia ser o teto e o teto parecia ser o chão, todos ali deixavam suas cartolas na entrada, enquanto essas pessoas entravam outras saiam e apesar de todas as cartolas serem iguais todos sabiam exatamente quais eram as suas.



página 2



Ali era um castelo onde mágicos, ilusionistas se encontravam para brilhantemente criar seus truques. duas pessoas, um jovem de cabelos longos e o outro com um cabelo crespo e barba loiros caminhavam juntos e conversavam, ambos jogam suas cartolas sem nem ver onde elas caíram.

sala de reunião, quarto andar.

Havia uma mesa redonda com alguns mágicos, inclusive aqueles dois. Um senhor de idade então se manifesta.

-Eu fiquei sabendo na capital que existe pessoas pagando espiões para seguir os mágicos após os shows, para descobrir onde é o quartel general que abriga todas as mágicas já criadas na nação de Cezar.

-Eu tenho certeza que nenhum mágico deixou ser seguido, creio que o raciocínio de todos aqui seja da forma como imagino ser e tenham truques e mais truques para despistar espiões ou qualquer curioso, não estou certo?

outra pessoa se manifesta.

-Eu já fui um espião, mesmo que siga, não tem como descobrir esse castelo, ele foi construído em um local e com um design que seja quase impossível de ser encontrado, fora que se tivesse no mínimo visto a praça todos tomaríamos conhecimento, ainda mais se essas pessoas são civis.

O velho então se expressa.

-....Eu já tinha conhecimento disso...mesmo assim...sinto que estamos subestimando todos e relaxando quando a segurança do nosso trabalho.

-Esse trabalho de ilusionismo desperta muito a curiosidade das pessoas...



Página 3



todos ficam nervosos e se entreolham

-A maioria dos inventores e químicos do país estão aqui...eu deveria estar tranquilo já que todos os homens capazes de nos enganar sempre se juntam a nós- diz o velho.

um jovem se manifesta

-Significa que são realmente apenas civis que estão querendo nos seguir?

-Sim são civis- responde o velho -Mas o que eu mais temo nesse mundo são gênios natos, eles nascem e vivem escondidos entre esses civis.

-Já nascem melhores do que nós...e não existe nada que possamos fazer.

um minuto de silencio, então o senhor de idade torna a falar.

-Tenho certeza que todos vocês notaram, só ha inventores nessa reunião, creio que já perceberam o objetivo.

outra pessoa se manifesta.

-O senhor quer mais um dispositivo de segurança e camuflagem para o castelo...

-Exato-confirma o velho -todos que se candidatarem terão quanto material quiserem para trabalhar na invenção, a casa arcará com todos os gastos financeiros.

-Os presidentes e ditadores adoram ver truques de mágica dos ilusionistas da nossa casa, dinheiro não vai ser problema.


Página 4


próxima cena acontece em um jardim com pilastras e lustres todos trabalhados em estilo Art nouveau.

os dois amigos estavam deitados em um banco olhando pra cima vendo os pássaros voarem.

-Parnaziam -diz o mais jovem

Parnaziam- O que é Potra?

Potra-Pelo que eu ouvi dos outros inventores, todos são unanimes em construir uma cabine no alto onde de para observar tudo.

Parnaziam- Existe em seu atual raciocínio acerca do assunto de qual planejamento utópico deverá inaugurar mais esse cargo de vigilância semelhança ou concordância com tal raciocínio alheio?

Potra-Se eu quero fazer isso também?...para falar a verdade

-Potra estende a mão e um pássaro pousa em seu dedo.

Potra-Mais ou menos.


Página 5


Parnaziam- pretende expressar ou sente-se mais confortável diante de tentativas por minha parte tendo como objetivo decifrar sua exata ideia ou parte dela?

Potra- Eu pensei em um vigilante alado... -O pássaro sai voando de seu dedo.

Parnaziam- Vigilante Alado... um objeto voador? -Olhando pra ele franzindo a testa.

Potra- Mais ou menos...eu pensei melhor...um objeto voador com uma pessoa lá, onde ele observaria tudo.

Potra se senta rapidamente

Potra- Imagine, o castelo dos mágicos realmente é poderoso é o que todos vão pensar, nossos vigilantes vão ficar voando ao redor do castelo, isso será tão...nem sei como expressar, é um castelo de mágicos esse tipo de coisa surpreende e é esperado por sermos mágicos. -ele olha pra Parnaziam e se assusta.

Potra-Uau...você...mudando a expressão do rosto...é a primeira vez que vejo isso.


Página 6



Parnaziam- Você deseja construir uma máquina que permita ao homem voar...você não é o primeiro a pensar tão alto.

Potra-Isso é uma coisa da qual nunca tentamos -empolgado

Potra-O que acha de por essa ideia em prática?

Parnaziam-.....

Parnaziam- Por mais que a lógica e a razão dominem grande parte de meu intelecto...também tenho certeza que não se trata de um sonho impossível.

Parnaziam olha pra cima vendo os pássaros voando.

Parnaziam- Os pássaros voam...então é uma ideia perfeitamente aceitável. Voar é um fato.


Página 7


Potra-Sabe qual seria a melhor parte?

Potra-Isso seria uma magica, pessoas voando -Potra começa a caminhar enquanto fala.

Potra-Mas ao contrario de todas as outras magicas essa seria uma magica de verdade, pois não a nenhum truque.

Potra-Estaremos realmente voando, não seriamos meros mágicos com essa invenção mas sim magos.

Potra-Nos podemos criar a verdadeira magia vista na ficção, e seria tudo real, seriamos...

Potra-...Mágicos de verdade, e não ilusionistas.


Página 8


Parnaziam se levanta

Parnaziam- Conte comigo Potra, Tal descoberta e avanço por parte da ciência e da magia seria de grande ajuda e estimulo para a constante e insaciável evolução humana.

Parnaziam- avançar....é meu objetivo como ilusionista e inventor.

Potra- Eu sabia que você aceitaria, não é difícil entender você Parnaziam, basta eu seguir a logica concreta e saberei de qual lado você ficará.


Página 9


No dia seguinte, em um enorme campo verde com altas arvores pontudas alinhadas no castelo estava cravada uma placa com a ideia de cada inventor para a nova maquina de vigilância. O lugar estava lotado, Os mágicos iriam escolher qual é a ideia que mais os agrada e se candidatarem a ajudar na invenção, no final do dia, a placa será recolhida e entregue aos inventores, então eles escolheram 10 mágicos que se candidataram para a ideia de cada um para ajuda-los. O lugar estava lotado de pessoas com capas pretas.


Página 10


Potra e Parnaziam caminhavam rápido em direção a saída, eles pegam suas cartolas no meio de todas as outras e colocam na cabeça.

Potra- Temos que ir logo a biblioteca da cidade central e pesquisar sobre como eram todas as outras tentativas de fazer o homem voar em uma maquina que ele tivesse total controle da altitude e do destino.

Parnaziam- Você esta no estado onde se encontra com o pensamento fixo na probabilidade absoluta de concluir tal levantamento de dados respeitando a regra dessa instituição acerca da quarta dimensão?

Potra-Se eu acho que termino antes da biblioteca fechar? Claro, eu leio rápido você sabe disso.


Página 11


A próxima cena acontece em um enorme e luxuoso teatro, onde acontecia um show de mágica.As magicas do ilusionista deixavam todos perplexos e sempre ouvia-se aplausos. Potra e Parnaziam aparecem se espremendo nos que estão em pé no fundo da plateia.

Parnaziam- Potra

Parnaziam- Potra!! -puxa ele

Potra- Que é?


Página 12


Parnaziam- Qual o resultado que você espera na conclusão da vinda a esse lugar?

Potra-Ele -aponta pro mágico que está apresentando

Parnaziam- Chuck Foliestar Cross Quinto? Qual seu objetivo com ele?

todos começam a aplaudir novamente, Potra também aplaude mas Parnaziam permanece como está.

Potra-Bravo!!!!

Potra-Quero esse cara no nosso projeto, não me importo com quem vai se candidatar, só ele já basta -falando enquanto bate palmas.


Página 13


Após o show eles conversam enquanto andam.

Chuck-Uma magica de verdade?

Potra-A água que vira gelo é até hoje a única magica sem truques que existe, eu sei que você é obcecado em fazer magicas de verdade.

Chuck-......continue continue -bebe a água de uma garrafa

Potra-Existem animais que voam, então é fato que o voo cem por centro sob controle é perfeitamente possível.

Chuck-....tem razão...continue

Potra-Você adoraria ser o autor de mais uma magica de verdade não é?

Chuck-Continuem me convencendo a esse sonho de vocês.


Página 14


Parnaziam aperta o passo e para na frente dele.

Parnaziam-Olha -fala enquanto mostra um cartão reluzente

Chuck-O selo de projeto aprovado pelo chefão.

Chuck-Então o chefão aprovou isso?

Potra-Aprovou e nossa ideia esta para ganhar novos participantes mas vamos dispensar todos caso queira entrar, eu sei que quanto menos nomes tiver é melhor pra você, que gosta de ser reconhecido e o mais lembrado pelo crédito do que participa.

Potra-Teremos todos os matérias que quisermos a nossa disposição dados pelo chefão -Potra também vai pra frente dele.

Potra-Uma chance dessa para essa pesquisa é rara, o chefão quase nunca é tão generoso assim.


Página 15


Chuck fica parado, olha pra um, depois pro outro.

Chuck-Uma maquina que voa...

Chuck-Isso não só seria eternizado na historia da magica mas na historia mundial também...será um crédito e tanto.

Chuck-Então digam-me meninos, quando começamos? -andando na frente deles.

sala de reuniões

todos os inventores que estavam na primeira reunião estavam lá, Potra e Parnaziam estavam sentados próximos junto a Chuck.


Página 16


Chefão-Petra, você recebeu 34 ofertas, Tropie 17 pessoas querem seguir sua ideia. -Diz ele lendo um papel

todos se olham

Chefão-Potra e Parnaziam, sua ideia de fazer o homem voar dessa forma não conseguiu chamar a atenção de ninguém.

eles se surpreendem

Potra-Como assim? Que dizer que ninguém acredita nessa proposta? -surpreso

Todos olham para Potra

Potra-Todos os mágicos daqui também duvidam...

Chuck-Segundo sua proposta isso não faz diferença não é Potra?

Potra-Sim...mesmo assim....é chocante

Potra-Nem as pessoas daqui são otimistas o bastante para pensar alto...

Chuck-Melhor pro nosso crédito após a conclusão da maquina.


Página 17


Estava chovendo, os três pegam suas cartolas na entrada e um guarda chuva para cada, eles abrem.

Potra estava nervoso

Potra- Quer dizer que se dependesse daqui nosso projeto iria pro saco? Ninguém aqui é cientista o bastante para pensar em avanço tecnológico.

Potra- Esse bando de conformistas saudosistas -gritando pra trás.

Parnaziam- Sugiro que procure controlar o estresse melhor Potra.

Chuck- Deixe eles, depois de terminar o projeto vamos esfrega-lo na cara de todos.

Potra- É que eu pensei que estava em um meio onde todos pensassem semelhante a mim, mas agora tive o choque de realidade que eu já deveria ter a respeito desse lugar.

Eles saem do castelo e andam pela floresta na chuva.


Página 18


estavam os três em sentados ao redor de uma mesa em uma pequena lanchonete, ainda chovia e Potra ainda estava nervoso.

Potra- Precisamos de mais um.

Chuck e Parnaziam- Como é?

Chuck- Dar o crédito a mais um? Que negocio é esse e o nosso acordo?

Potra- Quatro cabeças pensam melhor que três...quem quiser discordar da matemática aqui levanta a mão.

Chuck- Não precisa chamar ninguém mais, isso vai diminuir o impacto do nosso reconhecimento.

Parnaziam- Potra, você acusou a casa de não ser cientifica por que ninguém acredita nessa maquina, mas tomar decisões cientificas no calor do acontecimento de algo e deixar que as emoções dominem nessa decisão é tão não cientifico e não logico quanto rejeitar uma proposta.


Página 19


Parnaziam- Não me decepcione como inventor.

Potra- .....

Chuck- E pense, por que dar crédito a alguém que rejeita essa proposta?

Chuck- Vai deixar que um cara não sonhador desses tenha crédito pela sua ideia?

Potra- .....

Potra- Tudo bem, Ok, não precisamos daqueles caras mesmo.

Potra- Vamos começar então, temos que ir a biblioteca



Página 20


Chuck-Há, eu me antecipei, vejam

Chuck puxa um papel dobrado e mostra a todos

Chuck- Esse é o projeto da maquina que mais chegou perto de voar por conta própria e controlar o destino, foi desenhada a 200 anos atrás.

Parnaziam- Como conseguiu isso?

Chuck- Eu já tinha pensado nessa ideia, mas nunca tive coragem de pedir recursos ao Chefão para tentar.

Potra- Que ótimo. A ciência se desenvolveu muito de 200 anos pra cá, vamos consertar o que esse projeto teve de errado.




Última edição por kaor em Seg Abr 30, 2012 8:25 am, editado 2 vez(es)

kaor

Mensagens : 22
Data de inscrição : 26/11/2011
Idade : 28
Localização : Aracaju/SE

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Concurso de roteiros (oficial) Empty Re: Concurso de roteiros (oficial)

Mensagem por Vicare em Sex Abr 27, 2012 12:33 am

Bem... vejo que a concorrência ta marcando pesado kkkkkkkk
então eu fiz mais um...
espero que gostem e tenham disposição para ler kkkkkkk



Autora:Vicare
Titulo :rule-breakers

Sinopse:
Imaginem uma realidade paralela onde a publicação de qualquer material artístico é considerada um dos piores crimes. É nesse mundo que Seph e Adam vivem, Dois jovens anarquistas que pretendem criticar todo o sistema que censura os ideais, agora eles estão tentando criar o mangá perfeito, mas a policia secreta N.I.N está na atrás deles, poderia esses jovens enganar a policia enquanto escrevem a melhor historia de suas vidas ?


Spoiler:

Pag. 1
- eu consegui ! Eu consegui ! * Seph, um rapaz ruivo de 19 anos com roupas de rockeiro, cabelos lisos que caiam sobre seu ombro entra comemorando enquanto segura uma caixa pequena*
*Adam o irmão gêmeo de Seph salta da cadeira levantando os óculos surpreso e animado com a entrada do irmão *
- Serio ?!
- Eu te disse que o meu fornecedor era o melhor da região ! E você dizendo que não ia com a cara dele.. * fala soltando um sorriso *
- É, ta bom, passa a caixa que eu quero ver o material, dizem que não fazem mas desde a grande repressão!
- Eu também sempre quis ver uma Nanqui...* Fala Seph empolgado até ter sua tampada por seu irmão *
- Idiota ! Eu disse pra tomar cuidado com esse fornecedor !
* Adam aponta para a janela e Seph acaba vendo um carro da N.I.N parando em frente ao prédio que eles moravam *

Pag. 2
*o carro preto para em frente ao antigo prédio, dois homens de terno descem, o calor está quase insuportável*
-Prender crianças é ? A N.I.N realmente está em decadência.
- Trabalho é trabalho Flyn, mas bem que eu sinto falta de prender aqueles malditos músicos drogados.
- Não lembro por que isso começou, mas parece que nunca vai ter fim John * fala enquanto saca a arma * - vamos entrar, pegá-los e terminar logo com isso.
*os dois homens olham caminham calmamente na certeza que de pegar os garotos desprevenidos*
*ao chegar à porta do apartamento dos garotos Flyn dá sinal para John arrombar a porta, ele faz imediatamente mas assim que a porta abre ele fica parado olhando o interior do quarto*

Pag. 3
- Loucura cara, isso é loucura ! * John fala enquanto olha para o quarto cheio de desenhos, pinturas e CDs de Rock *
- Loucura ! Você não vai voltar lá por causa de CDs Seph ! * grita Adam enquanto dirige uma moto a toda velocidade *
- Aah não foi loucura sair pela janela do prédio pendurado por uma corda enquanto eu segurava as três mochilas de fuga, mas pra salvar o disco do Guns... * Grita Seph na garupa da moto com os olhos comicamente cheios de lagrimas *
- Culpa da sua burrice ! Agora só fala se for para me dizer aonde iremos nos esconder !
- eu conheço um lugar ! Acelera ai !
* Eles chegam em frente a uma farmácia bem pequena e muito suja *

Pag. 4
“é este o lugar ?” * ele pensa enquanto acompanha Seph que fala com o atendente *
- The Doors...
- O que ? Aqui é uma farmácia, não uma loja de CDs ilegais ! * responde o atendente *
- Estou falando de outras portas * imediatamente o atendente faz um sinal para segui-lo, os jovens pulam o balcão e adentram na escuridão do deposito *
*o homem puxa um tapete revelando uma enorme porta embaixo dele *

Pag. 5
*ao abrir a porta os dois vêem um clima totalmente diferente daquela pacata farmácia, muita fumaça sai La de dentro e uma musica muito alta ecoa *
* eles descem as escadarias devagar *
- Nossa quanta fumaça *fala Adam*
- é, também não gosto muito disso, mas esse é o mundo aqui fora maninho, você não ta acostumado então fique o mais quieto possível * solta um sorriso meio desanimado *
- entendi.
- Precisaremos de sorte.

Pag. 6
*Eles param ao pé da escada, olhando ao redor, muitas pessoas estavam dançando, bebendo e fumando, uma verdadeira boate que para ao ver os dois garotos entrando *
* a musica para e todos param junto com ela *
-Vejam se não é o Seph * fala a mulher que vai passando livremente enquanto as pessoas se afastam, ela tem por volta de 27 anos e é muito bonita*
- Anita ! * Seph fala enquanto estende os braços para abraçá-la *
* A mulher sorri e logo responde * - Você só pode estar querendo morrer ! * fala enquanto aponta uma arma para Seph

Pag. 7
- Hey, Calminha Anita... * Seph fala enquanto se afasta um pouco com seu irmão, ambos pegos de surpresa *
- Calma ? Os pardais viram a N.I.N pela área, você aparece do nada carregando sua versão nerd, eu não sou idiota Seph, você fez ****** e eu vou acabar me sujando junto !
- você tem razão, eu preciso de ajuda, confiei num contrabandista que era infiltrado, nós estamos fugindo e precisamos de um lugar para ficar. * Seph se aproxima bastante dela * - você bem que podia ajudar.
* Anita encosta a arma na testa de Seph * - ou eu podia matar os dois e ganhar uns pontos com a N.I.N.

Pag. 8
*Adam se aproxima devagar e fala* - uh ?!, Para que esse teatro ? Acho que aqui quase todo mundo sabe que você...
-Calado! * Anita o interrompe gritando, logo se recompõe e fala baixinho para Adam* - Como você sabe ? – você contou a ele ?! *pergunta para Seph *
- Eu escutei as ligações melosas * retoma Adam *
- RUM, * Se afasta dos garotos com o rosto completamente vermelho * - Kai, entregue a chave do armazém para esses inúteis !
- Anita... * reluta o homem velho de roupas e cabelos desarrumados *
- Agora !
- Sim senhora.

Pag. 9
*O homem se aproxima de Seph e entrega a chave* - eu não sei como um cara como você e a Anita...
- depois eu te conto o segredo vovô * Seph responde sorrindo*
- maldito. * o homem engole seco e se afasta *
- Nem esquenta ! * responde Alam *
- logo quando nossa historia sair as pessoas vão ter algo para aquecer o coração contra o sistema, espero que eu consiga aquecer o seu também.
*ele sorri e acompanha o irmão*

Pag. 10
*Ao chegar no armazém Adam fica admirado * - Esse lugar é enorme Seph !
- É, ouvi dizer que a Anita está faturando muito com a boate, sabe o que isso quer dizer não é ?
- que mais pessoas estão cansadas do sistema !
- também, mas eu ia dizer que se eu casar com ela seria muito rico * solta um grande sorriso *
- Aff
- Bem irmão, temos que voltar ao trabalho, este mangá tem que mexer com os sentimentos de qualquer um.
- Sim * Adam se alonga * - Vamos nessa !

Pag. 11
*O agente John fala com Kai* - então é isso, eles estão no armazém e tem a posse de armas ?
- sim senhor, eles são uns malditos, obrigaram a Anita a ceder o Armazém
- Sabia que você seria útil um dia Kai * saca a arma * - mas você sabe que eu não gosto de mentiras !
* atira no pé do velho que cai imediatamente *
- Vá me contando Sr. Kai, a Anita é cúmplice não é ?
* Flyn está no escritório e recebe uma ligação *
- entendo... Armazém ? Te encontro lá então, como você soube disso ? Denuncia anônima ? Entendo, bom trabalho parceiro

Pag. 12
*Os dois irmãos estão trabalhando no mangá e do nada Seph aparenta estar triste*
- O que foi cara? * pergunta Adam *
- Não sei às vezes eu penso se vale à pena arriscar tanto por um simples mangá...
* O silencio toma conta do ambiente por um momento *
- Irmão, você quer desistir?
- Não! Eu só estava pensando nisso...
- Eu farei minha parte, mesmo que ela seja insignificante, eu tenho que fazer o possível
* Ao acabar de falar os garotos escutam um barulho de pancada forte perto da entrada do armazém*

Pag. 13
*Neste momento Seph agarra Adam e o empurra para o banheiro trancando a porta do lado de fora*
- eu vou lá! Você fica quieto aqui! * ordenou Seph *
* ele pega um pedaço de madeira e caminha até a porta, mas não ouve nada, ao se aproximar uma nova pancada o surpreende, a porta abre com força e o impacto o derruba *
- olá garoto * fala o agente John que entra no armazém segurando a arma e com um sorriso no rosto *

Pag. 14
“que ****** Seph! Sempre querendo resolver tudo sozinho! ****!” * Adam chuta a porta, mas ela não demonstra nenhum tipo de dano*
-Onde está seu irmão? * pergunta o agente Flyn que fica parado em frente à porta, fora do armazém*
- Não sei!
*John pisa no peito do garoto* - Melhor começar a falar!
“O que eu faço?” * pensa Adam que olha tudo dentro do banheiro vendo que tem uma janela *

Pag. 15
*Adam sai pela janela do banheiro*
- hey, vai com calma John! * fala Flyn *
- Calado! Eu já estou cansado! Você sempre defendendo merdas como ele!
* Adam corre dando a volta no armazém *

Pag. 16
- A lei é clara! Como um agente você tem que cumpri-la!
- eu sei bem qual meu papel aqui.
* Adam continuava correndo *
- eu realmente não queria fazer isso, mas é a única opção * fala Flyn sacando a arma*
“que ******, acho que é isso afinal...” * pensa seph deitado no chão*
*ao dobrar a esquina do armazém ele vê o agente Flyn apontando a arma e entrando no armazém*

Pag. 17
*O barulho é ensurdecedor, Adam por um momento só escutava sua respiração ofegante, solta um grito de desespero ao ouvir o tiro *
- Naaaão!! * ele corre para a porta e fica chocado com a cena *

Pag. 18
“eu não acredito que...” *pensa Adam*
*seu irmão está caído no chão olhando para o agente John que estava morto ao seu lado*
- Q-Que aconteceu aqui? * pergunta Adam *
- Eu tive que lidar com o John *responde Flyn naturalmente* - a Base começou a se interessar por vocês e eu não poderia deixar que nada acontecesse

Pag. 19
- Base? Falando assim você nem parece policial, quem é você?
- um amigo, um olheiro.
- olheiro?
- infelizmente o John olhou o arquivo que o meu informante mandou sobre vocês e achou que era mais um caso da N.I.N, mas este caso era particular.
- eu ainda não entendo * fala Seph se levantando assustado*
- Vocês realmente acham que ninguém se importa com a grande repressão ?

Pag. 20
- Eu sou apenas um, dos milhares que estão armando o golpe, e a Base quer vocês. * ele começa a se afastar* - meu recado já foi dado garotos, continuem com o mangá e incendeiem os corações das pessoas, mas se preparem pois o trabalho não será apenas isso * o Agente dá um sorriso e vai embora *
- E agora Seph ?
- Não sei, parece interessante...
- eu estou falando do corpo, será um problema
- de fato...
* os dois garotos juntam novamente suas coisas e saem correndo em direção ao desconhecido, sabendo se farão parte de algo que poderá marcar a historia de seu mundo *



Vicare

Mensagens : 212
Data de inscrição : 01/02/2012
Idade : 25

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Concurso de roteiros (oficial) Empty Re: Concurso de roteiros (oficial)

Mensagem por João Paiva em Sab Abr 28, 2012 4:40 pm

Yo!

Autor: João Paiva

Título: SMS for Love

Naoto e Sakuma são amigos desde infância, mas tiveram que se separar. 10 Anos depois, Naoto, por ocasião do destino, se encontra novamente com Sakuma. Só que eles moram distantes um do outro e a única forma de manter a comunicação é através de SMS. A partir disso, vai se reatando o laço que quase foi esquecido na infância, e a cada SMS mandado, vai surgindo sentimentos entre eles como raiva, inveja, alegria e o amor.Quando eles, rara às vezes marcam pra se encontrar, a conversa não flui tão bem como nos SMSs, tamanha é a timidez.

Spoiler:
Página 1
*A história se inicia com um flashback*
“Isso aconteceu há 10 anos atrás”
“Cidade de Inaba”
“Sakuma e eu éramos amigos desde infância”, “Nos crescemos e brincávamos juntos”
“A vida nunca foi tão alegre”, “Até que...”
“Em um dia de chuva...”, “ Eu soube que o pai de Sakuma ganhou um emprego em Tóquio e eles teriam que se mudar”

Página 2
*Naoto correndo em direção à casa de Sakuma, na chuva, carregando seu guarda-chuva. Ao chegar próximo, encontra o pai de Sakuma colocando as malas no carro. Sakuma estava junto dele, com seu guarda-chuva, quando ela avista Naoto. Ela se aproxima dele*
Sakuma: Eu pensei que não daria para me despedir de você, eu até pedi ao meu pai, mas ele disse que não tínhamos tempo para isso.
Naoto: Eu não queria que você fosse embora...
Sakuma: Eu também não quero ir.
Naoto: Então por que você não fica? Você poderia morar na minha casa e...
Sakuma: Desculpe, não posso. Meu pai nunca deixaria.

Página 3
Naoto: Quando você irá voltar?
Sakuma: Não sei...Eu pedirei para meu pai vir me trazer para o Festival de Primavera, esse ano. Poderíamos ir juntos.
*As lágrimas de Naoto começam a cair pelo rosto*
Naoto: Eu realmente não queria que você fosse embora, Sakuma. Eu gosto muito de você, você é minha melhor amiga e...
*Naoto olha o rosto de Sakuma, ela também se segura, mas as lágrimas já rolam no seu rosto*
*Ela anda em direção a Naoto e o abraça*
Sakuma: Eu também gosto muito de você, Naoto...

Página 4
Pai de Sakuma: Sakuma! Temos que ir. Despeça-se do seu amigo e vamos.
Sakuma: Adeus, Naoto.
*Ela anda em direção ao carro e entra. E Naoto só pode observar o carro se distanciando mais e mais*
“Desde aquele dia...”, “Eu nunca mais a vi”
*Fim do Flashback*

Página 5
*Agora um grande festival, com barracas de comida e brinquedos montadas em uma praça, pessoas com sua família, jovens com seus amigos, enfim gente se divertindo*
“Cidade de Inaba”, “10 anos depois”
*Naoto anda calmamente entre as pessoas*
“Todo ano quando venho ao festival, é na intenção de me distrair e me divertir”
“Mas, sempre acabo me lembrando de Sakuma”, “Sempre na esperança de encontra-la aqui”

Página 6
“Mesmo depois de 10 anos, eu ainda não esqueci dela”
“Ah... sei que isso é em vão, eu devia esquecê-la de uma vez”
*Naoto agora esta em uma parte mais ampla da praça onde não tem barracas e as pessoas podem andar mais separadas uma das outras. Naoto para de andar e olha para o céu, já é um fim de tarde*
“A partir de hoje, esquecerei Sakuma e viverei minha vida. Talvez o destino achou que fosse melhor não ficarmos juntos... Então que assim seja”

Página 7
*Naoto abaixa devagar a cabeça, ainda com os olhos fechados, ao abri-los ele se depara, não muito longe dele, uma moça. Ela também está olhando para ele. E ele também não consegue tirar os olhos dela, no fundo, seu coração palpita*
“Será... Não... Eu tenho certeza...”
“Esse cabelo, esse rosto, esses olhos...”
*Naoto deixa escapar as palavras da sua boca e diz baixinho*
Naoto: ...sakuma...
*Dito essas palavras, o tempo pareceu parar nesse instante, eles ali, olhando um para o outro, como se só existisse eles dois no mundo todo, o brilho nos olhos deles confirmava a emoção e o sentimento*

Pagina 8
*A moça, como se ela tivesse lido os lábios de Naoto, abre um lindo sorriso e caminha em direção a ele*
Sakuma: Naoto... Quanto tempo, hein?
*Naoto parecia não acreditar ainda*
Naoto: Sakuma? É você?
Sakuma: Sim, sou eu. Nossa como você está diferente, quase não te reconhecia.
Naoto: Você também, mudou um pouco...
*Silêncio constrangedor, pessoas ainda passando ao redor, enquanto Naoto trava diante da pessoa que ele havia esperado 10 anos*
Naoto: Ehh... Então, o que te traz de novo a Inaba?

Pagina 9
Sakuma: Eu senti saudade daqui e finalmente meu pai me deixou vir. Até por que eu estou em débito com você já faz uns 10 anos, não é?
*Naoto toma um choque*
“Então, ela se lembra também”
*As lembranças daquele dia chuvoso voltam na cabeça de Naoto, ele se lembra dela dizer: “Eu pedirei para meu pai vir me trazer para o Festival de Primavera, esse ano. Poderíamos ir juntos” *
Sakuma: Acho que eu devo desculpas a você
Naoto: Não precisa se desculpar, afinal você está aqui... E isso é o que importa.
*Seus olhos se encontram mais uma vez, com todo aquele brilho, dessa vez provoca constrangimento em ambos*
Sakuma: hãnm... hmm...
Naoto: Ehh...

Página 10
*Tararam... Tararam..* *Nesse instante o celular da Sakuma toca, ela o tira da bolsa que estava trazendo*
Sakuma: Oh! É minha tia, ela esta me chamando, hoje vou dormir na casa dela, então... eu preciso ir agora.
Naoto: Você vai ficar quanto tempo aqui?
Sakuma: Só hoje, amanhã estou voltando para Tóquio. Então acho que isso é um adeus... de novo.
Naoto: Certo...
Sakuma: Tchau, Naoto.
*Sakuma se vira e vai embora. Naoto continua parado, as pessoas continuam passando ao seu redor*
“Ela se foi... de novo”

Página 11
*Anoitece. Naoto esta indo para casa, até que alguém o chama*
Eike: Ei! Naoto!
Naoto: Hã... olá Eike...
Eike: Uow! Que cara é essa? Aconteceu alguma coisa?
Naoto: Não... Não é nada importante...
Eike: Qual é Brou, eu sou teu melhor amigo, não sou? E da onde eu vim, amigo ajuda amigo, então, anda, desabafa logo.
Naoto: hunf...Valeu, Eike.

Página 12
*Naoto senta na calçada, enquanto explica a história toda para Eike, que está escorado no poste*
Eike: Hmmm... Entendi, então a garota que você esperou por 10 anos apareceu hoje.
Naoto: Isso.
Eike: E ela vai embora amanhã pra Tóquio.
Naoto: Isso.
Eike: E você ficou tão tímido que se enrolou todo na hora de falar.
Naoto Isso... Não! Peraí... Hunf, é foi isso mesmo.
Eike: E você nem sequer falou pra ela o quanto a esperava, ou pediu pra ela ficar, ou pelo menos pediu o numero do celular dela?
Naoto: Não... Eu não tive coragem.

Página 13
Eike: Você disse que ela ia dormir na casa da tia dela, não é?
Naoto: Sim, por que?
Eike: E onde fica?
Naoto: Fica perto, da loja de Tofu da sra. Masagi
Eike: Certo... Fica perto daqui... okay! Vamos lá!
*Eike anda e fica parado na frente de Naoto, com uma das mãos estendidas*
Naoto: O quê?! Você esta pensando em ir lá, na casa dela, agora!?
Eike: Eu não, Nós vamos lá. Eu não vou deixar um amigo meu passar mais 10 anos de sofrimento. Essa pode ser a última chance de você falar com ela. Então, ande, vamos lá!
*Naoto olha nos olhos de Eike e vê sua determinação em ajuda-lo*

Página 14
“Da última vez, eu vi Sakuma ir embora e não pude fazer nada. Agora, de novo ela vai embora, mas agora eu posso fazer alguma coisa. Eu tenho que tentar”
*Naoto aperta a mão de Eike, que o puxa para cima, ajudando Naoto a se levantar*
Naoto: Okay! Vamos!
Eike: Esse é o espírito.
*Eles chegam na frente da casa da tia da Sakuma e observam que ela está no quarto com a janela aberta e a luz do quarto acessa, o quarto de Sakuma, fica na parte de cima da casa.*
Naoto: Essa é a casa.

Página 15
Eike: Olhe, o quarto da Sakuma é aquele ali.
Naoto: Como você tem certeza?
Eike: Meu instinto masculino
Naoto: O quê!? Isso é maluquice, isso foi uma péssima idéia. Vamos voltar.
*Naoto começa a andar e Eike o puxa de volta*
Eike: Nada disso, já estamos aqui, só é preciso apertar a campainha e chamar a Sakuma.
Naoto: Não! Isso é maluquice!
*Antes era Eike que estava puxando Naoto pra não fugir, agora é Naoto que está puxando Eike pra não apertar a campainha*
Eike: Me larga! Você precisa falar com ela!
Naoto: Não! Sou eu que decido isso!
*Até que uma voz chama Naoto*
Sakuma: Naoto?

Página 16
*Eike e Naoto param de se puxar e a atenção de Naoto se volta pra Sakuma que está na janela. Eles se olham, com aquele brilho*
Sakuma: Naoto, o que faz aqui?
Naoto: Ehh... Eu só...
Eike: Oi! Meu nome é Eike, eu sou o melhor amigo do Naoto. Eu estou acompanhando ele porque ele tem algo importante pra dizer, não é? Naoto
*Naoto olha para Eike, e sente um pouco mais de confiança, ele sabe o que fazer e o que dizer*
“Obrigado, Eike”
*Naoto se volta agora para Sakuma*

Página 17
Naoto: Nós conhecemos desde crianças, Sakuma. E o dia em que você foi embora, foi o dia mais triste da minha vida. Naquele mesmo ano, eu fui para o Festival da Primavera, na esperança de te encontrar, mas você não apareceu. Vieram outros Festivais, mas nesse s você também não veio. Sakuma, eu nunca perdi a fé de que te encontraria de novo e hoje você está aqui. Mas, assim como há 10 anos atrás, quando você teve que ir embora e eu não pude fazer nada, hoje parece que aquele dia esta se repetindo, aquele dia chuvoso que você foi embora. Eu vim aqui hoje, Sakuma, pra pedir a você que ...
*Eike olha para Naoto, repara que ele esta se esforçando muito pra dizer tudo aquilo*

Página 18
Naoto: POR FAVOR, NÃO VÁ EMBORA!! FIQUE! FIQUE AQUI EM INABA!!
*Sakuma se surpreende, seu rosto fica corado, e ela acaba saindo da janela e entrando no seu quarto*
*Silêncio. Naoto e Eike olham para a casa sem entender nada do que acaba de acontecer*
Eike: Acho que você forçou um pouco a barra...
Naoto: ..... Também acho....
*Até que a porta da casa abre, Eike e Naoto pegam um susto*
Eike: OHH!! DROGA, VOCÊ ACORDOU A TIA DELA!!!
Naoto: AHHHHH!!! NÃÃÃÃÃOOO!!
*Eles avistam Sakuma, ela desce as escadas, abre o portão e anda em direção a Naoto, com a cabeça baixa, e inesperadamente, ela o abraça*
Sakuma: Desculpa, pelo que eu fiz você passar. Obrigada, por vir aqui hoje.

Página 19
*Sakuma se afasta um pouco e dá em um pedaço de papel com o número dela para Naoto*
Sakuma: Este é o número do meu celular.
Naoto: Oh! Obrigado, Sakuma...
Eike: Ei, man, dê o seu número pra ela também
Naoto: Hã.. Ah! É mesmo, Sakuma este aqui é o meu número.
*Naoto tira o celular do bolso e mostra pra ela o seu número através do celular*
Sakuma: Obrigado, Naoto, agora eu tenho que entrar, antes que minha tina perceba que eu saí. Boa noite, Naoto. Boa noite, Eike.
*Sakuma volta pra dentro da casa*
Eike: Missão cumprida!
Naoto: ... Vamos, Eike.
*Eike e Naoto vão embora*

Página 20
*Naquela mesma noite, no quarto do Naoto, ele esta deitado na cama, olhando para o teto, pensativo. Até que o celular toca. É um SMS da Sakuma*
“Oi, desculpa te incomodar essa hora da noite. Eu pensei no que você disse, sobre ficar em Inaba, e perguntei pro meu pai se eu podia, mas ele não deixou. Mas, mesmo assim, obrigada, mais uma vez por não desistir de mim, quero manter sempre manter contato com você, você promete que irá me mandar SMS sempre que puder? Porque eu irei fazer isso XD Boa noite”
*Naoto digita outro SMS pra ela*
“Fico triste em saber que você não pode ficar. E sim, eu prometo sempre mandar SMS pra ti. Não quero perder nossa amizade por causa da distancia. Boa noite”
*No quarto da Sakuma, ela recebe o SMS de Naoto, lê e se levanta abre a janela e fica admirando a lua no céu noturno*
*No quarto do Naoto, ele se levanta, abre a janela do seu quarto e também fica admirando a lua*
*END* do Capítulo
João Paiva
João Paiva

Mensagens : 275
Data de inscrição : 26/04/2012
Idade : 25
Localização : Belém/ PA

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Concurso de roteiros (oficial) Empty Re: Concurso de roteiros (oficial)

Mensagem por kaor em Dom Abr 29, 2012 8:45 am

Autor: Kaor

Titulo: Deicidios de Branco



Sinopse:

A Igreja Britânica apoiada por todos os seres humanos tem como objetivo caçar deuses, usando o poder da tecnologia eles matam deuses ainda jovens para evitar que se fortaleçam e dominem novamente as pessoas, dois garotos que são deuses lutam para sair do planeta Terra e viver em outro lugar, mas ainda são novos para lidar com seus poderes.

Spoiler:


Página 1


Um enorme avião sobrevoava um céu cinza

várias pessoas vestidas da mesma forma estavam em pé fazendo filas, estavam com mascaras de plástico, mascaras normais, que imitava o rosto humano, mas as mascaras diferem entre si, estavam com ternos, gravatas e luvas brancas, cada um com uma maleta.

O avião começa a descer em uma cidade vazia mas com as luzes acesas.


Página 2

Havia apenas um carro velho correndo a toda velocidade.

Nele, estavam dois garotos assustados que sempre olhavam para cima, preocupados.

Ambos respiram fundo e continuam a dirigir.

um deles então fala:

-Não seria melhor usar a Onipresença? Sabe pra saber onde eles estão.

-você sabe controlar esse troço? -grita o que está dirigindo -vamos acabar teleportando pra dentro do avião deles.

um missil seguido de uma densa e grossa fumaça atrás aparece diante do carro.


Página 3


ambos olham assustados, o garoto vira o carro bruscamente e o missil acerta o carro explodindo toda aquela área.

vários daqueles soldados descem de paraquedas, praticamente uma chuva de pessoas de branco toma aquele ponto da cidade.

todos aterrissam.


Página 4


Os garotos estavam nos escombros, feridos, olham ao redor e notam que estão cercados.

-****** -diz o mais velho, que estava dirigindo.

apenas três se aproximam deles, os outros homens permanecem parados apenas os cercando.

-Não se aproximem -diz o garoto enquanto estende as mãos.


Página 5


-O rapaz grita, fazendo vários raios julgadores cairem do céu.

a maleta dos três abre e cada um puxa um para-raios, o ataque do garoto então sai da sua rota inicial e vai até aos três para-raios, desaparecendo assim.

O garoto se surpreende

Um deles pega um revolver e atira no mais novo que estava mais ferido, ao acerta-lo, o tiro explode e deixa o mais novo cercado por chamas.

O garoto grita por ajuda, o mais velho então desesperado olha para trás e grita enquanto estende sua mão também para trás:

-Diluvio


Página 6


Uma enorme onda começa a se aproximar engolindo todos os prédios que aparecem e indo na direção deles.

O garoto então torna a olhar para sua frente

todos os cem homens puxam guarda chuvas da maleta e os direcionam a grande onda, que passa por todos sem toca-los.

Os garotos estavam apenas molhados e todos os homens completamente secos.

-Eu quero saber... -diz um dos três homens que estavam na linha de frente, os garotos tomam um susto ao notarem ele falar.


Página 7


-...Quem lhes deu o direito de criar os outros pra escraviza-los? -O homem da um tiro neles, o tiro explode.

O garoto segura a explosão com as duas mãos e com muita fora ele a controla e passa a deixa-la flutuando e estatica em sua mão.

-Eu nunca criei ninguém, apenas vivo como qualquer outro animal nesse mundo -Diz o jovem -Eu posso criar uma nova estrela com isso e todos vocês vão morrer na presença de uma estrela...apenas deixe-nos ir em paz, vamos embora e nunca mais voltar.

-Até parece -diz o homem -Assim que controlar a Onsciencia e melhorar na Onipotencia voltaram com toda a certeza, e voltaram invenciveis, a Igreja Britânica não pode dar-se a esse luxo, pensa que eu não sei que é natural da natureza dos deuses serem rancorosos e usarem a opressão para tudo?

-Também não tente usar blefe contra nós, o primeiro deus precisou de seis dias para criar um só planeta -diz o homem -você não vai conseguir criar uma estrela num segundo seu inexperiente.

o homem aperta um botão escondido no revolver e a explosão condensada e controlada na mão do garoto explode novamente.


Página 8


todos sacam revolveres e puxam o gatilho, correntes saem dos revolveres de todos prendendo os dois garotos ainda mais feridos que antes.

Um dos três homens na linha de frente se aproxima.

-Vocês criavam pessoas para exigirem seu sacrificio por parte de seus semelhantes, algo que nunca mais vamos permitir que aconteça, malditos seres que não sangram.

-Agora é a nossa vez de julgar e sacrificar vocês sem motivo aparente.


Página 9


Todos os homens caem imadiatamente e quase não se mexem.

Os garotos estavam emitindo muita luz e as correntes derretem.

Então voltam ao normal.

-Posso não criar uma estrela, mas posso mexer em um planeta já construido -diz o garoto quase sem conseguir levantar.

-Ele elevou a gravidade do planeta -diz um dos homens

ouve-se vários gritos de animais se aproximando, logo, da para ver vários animais ferozes e mortais chegando cada vez mais perto do lugar.


Página 10


-Vão pro inferno -diz o garoto mais velho, enquanto os animais ainda longe se aproximam do local.

as maletas de todos começam a piscar e sozinhas abrem, um revolver aparece nelas e todas atiram dardos nos garotos, alguns acertam outros não.

Os dois garotos caem duros no chão.

-Dardos paralisantes!!! O que vamos fazer agora?? -Diz o mais novo se voltando para o mais velho.

O mais velho então fica espantado e calado.


Página 11


-Que ataque suicida e impensado esse de vocês -Diz o mesmo homem, deitado no chão -Podemos morrer devorados, mas eles também irão devorar a vocês dois.

Os animais selvagens chegam e começam a comer todos os homens caidos no chão.

-Se passarmos 10 segundos sem estarmos em contato com nossas maletas, elas automaticamente atiram dardos na maior quantidade de energia que conseguem perceber em um raio de 10 quilometros.

-Os deuses sempre são a maior fonte de energia captada por elas.

-Como se fosse obrigatorio mágica sempre vencer tecnologia...pff.

O jovem desesperado não para de pedir ajuda ao mais velho, que permanesse calado com uma expressão de espanto.


Página 12


Os animais estavam matando todos e cada vez mais se aproximando do centro, onde estavam os garotos e aqueles três homens.

As roupas de todos os homens abre e todos levantam, apenas com uma roupa preta colada e ainda com as mascaras, todos se levantam e começam a atirar nos animais.


Página 13


Os três homens no centro se levantam e vão em direção aos garotos.

-Nossas roupas possuem três toneladas, apenas um botão que apertamos as liberam, ao treinar com elas podemos aguentar esse nivel de gravidade.

O homem então puxa um revolver e aponta para eles.


Página 14


O mais novo desesperado começa a gritar, um grito extremamente alto e agudo começa a atingir todos ali, animais e humanos, os ouvidos deles começam a sangrar e o homem não é capaz de puxar o gatilho.


Página 15


As pessoas e animais começam a cair, o mais novo então materialisa um raio de energia que sai de sua boca acertando o homem que estava com a arma apontada para eles, evaporando toda a parte da cintura para cima, o jovem então desmaia enquanto sua boca queima.


Página 16


O mais velho começa a recobrar os sentidos .

vendo que tem pouco tempo até todos recobrarem os sentidos, ele começa a aumentar ainda mais a gravidade, derrubando todos no chão.

O garoto então força o maximo que pode aumentando cada vez mais a gravidade até esmagar todos os homens ali.


Página 17


O vojem então para sobre o controle da gravidade, que volta ao normal, e desaparece com os animais.

O garoto estava de pé, ofengate e extremamente ferido, mas sem sangue.

Ele olha o mais novo desacordado e se move com dificuldade até ele.

Ele segura o mais novo nos braços.

Então ao olhar para cima, vê o avião que trouxe esses homens indo com tudo na direção deles.


Página 18


O avião cai encima dos garotos e homens mortos e então explode.


Página 19


Ao termino de trinta segundos, o mais velho sai do meio dos escombros com o mais novo nos braços ainda muito mais ferido e irritado, se movendo com muita dificuldade e só com uma perna funcionando, pois a outra não estava mais lá.

-Re-Reforços -diz um homem muito ferido em um rádio no avião em chamas.


Página 20


O garoto então libera um grito de raiva enquanto faz um rapido movimento com o braço que corta o pescoço desse homem.

O jovem então pensa:

-Droga...precisamos sair o mais rápido possivel desse planeta.

-Eles...são bilhões.



Última edição por kaor em Seg Abr 30, 2012 8:26 am, editado 1 vez(es)

kaor

Mensagens : 22
Data de inscrição : 26/11/2011
Idade : 28
Localização : Aracaju/SE

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Concurso de roteiros (oficial) Empty Re: Concurso de roteiros (oficial)

Mensagem por João Paiva em Dom Abr 29, 2012 11:54 pm

Yo!

Autor: João Paiva

Título: Punhos e Sonhos

Sinopse:

Taro e Kenzo eram garotos de rua. Até que conheceram o mestre do dojo da Montanha chamado Shokugan que lhes ofereceu seu dojo como lar. Shokugan ensinou para eles artes marciais e o sentido da palavra honra e família. No final da vida, Shokugan contou para ambos o seu maior sonho que era de fazer o dojo da Montanha, o mais honrado e forte dojo que já existiu. Então, Taro e Kenzo adotaram o sonho do seu falecido mestre para si próprios fazendo disso seus objetivos na vida. Para manter a honra e o nome do dojo, eles terão que lutar contra outros dojos, sempre utilizando dos seus punhos para defender os seus sonhos.

Spoiler:
Página 1

*Dois jovens vestindo quimono, sentados um do lado do outro, olhando para a lua no céu estrelado. Eles estão dentro de um dojo, na área do jardim, sentados no corredor, eles parecem pensativos e tristes*

Jovem da esquerda: Ei, Taro, você devia descansar. Amanhã vai ser um dia importante. A luta contra o Dojo do Shito vai ser difícil.

*Taro olha para o jovem, com uma cara furiosa*

Taro: Cala a boca! Kenzo! Você não é o mestre Shoukan, você não me dá ordens.

*Kenzo abaixa a cabeça*

Kenzo: Verdade... Eu não sou o mestre... E nunca serei igual a ele.

*Taro parece arrependido pelo que disse antes*

Página 2

Taro: Ei, kenzo, desculpa. Eu só ainda não aceitei a morte do mestre.

Kenzo: Eu também não, ele era uma pessoa muito boa e honrada. Devo minha vida a ele.

Taro: É... Eu também. Afinal, foi ele que nos deu um motivo pra viver não foi?

Kenzo: Foi. Já vai fazer 10 anos que nos estamos com ele. Lembro-me como se fosse ontem...

*Inicia um flashback*

“10 anos atrás”

*Na frente do dojo, dois garotos de rua brigando por um pedaço de pão*

Página 3

Garoto #1: ME DÁ ISSO!!

Garoto #2: NÃÃO!! EU ACHEI PRIMEIRO!!

Garoto#1: EU VOU ACABAR TE BATENDO, SE NÃO LARGAR ESSE PÃO!

Garoto#2: EU QUERO VER TENTAR!

Garotos #1#2 ao mesmo tempo: AAAAAAHHHHHH!!

*Nesse instante, um velho aparece na porta do Dojo*

Velho: Ei! O que está havendo aqui?

Garoto#1: Cai fora, vôvô! Se não vai sobrar pra ti.

Página 4

Velho: Então, você é durão, hein? Aposto um pão desse inteiro que você não me acerta nem um soco.

Garoto#1: Desafio aceito!

*O garoto #1 sai correndo em direção ao velho, cerrando os punhos*

Garoto #1: Não pensa que só por que você é um velho que eu vou aliviar!! AAAAAHHHH!!

Página 5

*O velho se esquiva, do soco do garoto #1 com facilidade*

Velho: Você é feroz, como um tigre, garoto.

Garoto #1: Cala a boca!!

*Garoto #1 tenta aplicar outro soco, mas o velho desvia e passa uma rasteira. O garoto #1 cai*

Velho: Você tem a força e ferocidade de um tigre, garoto.

*O velho se volta para o garoto #2, que observava tudo*

Página 6

Velho: E você? Não quer um pão melhor que esse aí que está segurando, é só acertar um soco no velhote aqui.

Garoto #2: Não... Esse aqui já está bom.

*Num instante o velho se movimenta rapidamente, e tira o pão da mão do garoto #2, sem ele ver*

Velho: Hmmm... Isso parece delicioso.

*O velho come o pão*

Página 7

Velho: Pois bem, agora se você quiser comer terá que me...

*Antes mesmo de o velho terminar, o garoto #2 já está bem perto de aplicar um soco. O velho se esquiva rapidamente*

Velho: Uow! Você é rápido como uma garça.

*Garoto #2 tenta agora aplicar um chute, mas o velho segura seu pé e o lança próximo do garoto #1 que ainda estava no chão*

Página 8

Velho: Você tem a técnica e agilidade de uma garça, garoto. O tigre e a garça. Que dupla! Se quiserem, podem vir os dois agora.

*Garoto #1 e #2 se olham, acenam com a cabeça, e vão pra cima do velho*

Garotos #1 e #2 ao mesmo tempo: AAAAAAAAHHHHHH!

*Passado um tempinho depois, dentro do dojo, os dois garotos de antes, comendo pão direto, sem mastigar direito. O velho os observa*

Velho: Meu nome é Shoukan , vocês tem nome?

Garoto #2: Eu acho que nunca tive isso...

Garoto #1: Puff... Nem faço questão de saber o meu.

Página 9

Shoukan: Entendo... Já que vocês não têm onde morar, o que acham de viver aqui, no dojo?

Garoto #2: Eu adoraria!!

Garoto #1: Tsc... Eu tô fora.

*Garoto #1 se levanta*

Shoukan: Aqui você terá abrigo e muita, mais muita comida...

*Garoto #1 senta de novo com os braços cruzados*

Garoto #1: Certo, tô dentro!

Shoukan: Mas não pensem que a vida aqui é fácil, vocês terão que treinar duro, todos os dias, terão que cuidar e honrar o nome do dojo.

*Shoukan chega mais perto dos dois, ele volta seu rosto para o garoto #1*

Página 10

Shoukan: A partir de hoje, você se chamará Taro.

*Shoukan se volta agora para o garoto #2*

Shoukan: E você se chamará Kenzo.

Shoukan: A partir de hoje, eu serei o sensei de vocês, vocês serão irmãos e este dojo será a casa de vocês.

*Os anos se passam, aparecem cenas da vida do Shoukan, Taro e Kenzo no dojo*

Página 11

*Agora estamos no hospital. Kenzo, agora mais crescido, está no corredor, andando de um lado para o outro, preocupado, até que Taro chega*

Taro: Ei, Kenzo... O mestre Shoukan melhorou?

Kenzo: Os médicos disseram que ele ainda continua fraco. O estado dele ainda é critico.

*Um médico sai de um quarto na frente de Kenzo e Taro*

Página 12

Médico: Vocês são parentes do sr. Shoukan?

Taro: Sim. Ele está melhor, doutor?

Médico: O estado dele ainda é muito frágil... Ele aguarda vocês no quarto.

*Kenzo e Taro entram no quarto, uma enfermeira está trocando o soro ao lado da cama onde Shoukan está deitado*

Soukan: Kenzo.... Taro....

*Taro e Kenzo se aproximam da cama, e cada um aperta uma das mãos de Shoukan*

Página 13

Shoukan: Eu queria dizer que vocês foram mais que alunos pra mim. Eu sempre terei vocês como meus filhos. Vocês são minha única família. E agora eu deixo nossa casa, nas mãos de vocês. Eu sempre tive o sonho de colocar o nome do dojo da Montanha no topo... Mas fiquei velho e não pude realiza-lo. Agora, eu passo o meu sonho para a mão de vocês dois. Se assim vocês quiserem...

Taro: Eu prometo mestre que viverei seu sonho a partir de hoje.

Kenzo: Iremos realizar, mestre, seu sonho.

*Shoukan abre um sorriso*

Página 14

Shoukan: Agora eu posso ir em paz...

*O aparelho cardíaco indica que o coração de Shoukan parou de bater, a enfermeira leva Taro e Kenzo para fora do quarto, enquanto médicos chegam com o aparelho de choque para tentar reanima-lo*

Taro: Meessstreeee!!! Nããão!!!

*Kenzo ampara Taro no corredor. Ambos choram*

*Fim do flashback*

Página 15

*De volta ao dojo, com Taro e Kenzo, sentados no corredor, na beira do jardim*

Kenzo: Você tem certeza que quer lutar amanhã contra o dojo do Shito. Porque podemos desmarcar a luta para outro dia. Dizemos que estamos de luto e...

*Taro se levanta*

Taro: Nosso mestre deu uma casa, nos deu uma família, nos deu um motivo pra viver. O mínimo que eu posso fazer é honrar o nome dele e realizar seu sonho. Porque o sonho dele é meu sonho agora! Se você fizer isso, estaria desonrando o sonho que ele nos deu.

*Kenzo olha para Taro*

Kenzo: Tem razão...Você está certo.

*Kenzo se levanta*

Página 16

Kenzo: Porque o sonho do nosso mestre, é nosso sonho também!

*Taro olha para Kenzo e abre um sorriso*

Taro: Esse é o espirito.

*De manhã, Kenzo e Taro se encontram com Shito na frente do seu dojo, no portão existe uma placa, escrito: Dragões Imperiais*

Shito: Então, vocês apareceram, huh?!

Página 17

Kenzo: Claro, o dojo da Montanha, sempre honra seus desafios.

Shito: Tsc... Um dojo de classe tão baixa, não dever saber o significado de honra.

*Veias aparecem na cabeça de Kenzo e Taro. Taro cerra os punhos e dá um passo, mas Kenzo segura seu ombro*

Kenzo: Calma, isso tem que ser resolvido no lugar apropriado.

Taro: Eu quero quebrar a cara dele aqui mesmo.

Kenzo: Entendo, eu também. Mas precisamos resolver tudo conforme o código de luta ordena, certo?

*Kenzo lança um olhar mortífero para Shito*

Shito: Certo. Entrem. A arena já está armada.

Página 18

*Taro, Kenzo e Shito entram no dojo dos Dragões Imperiais. Eles chegam até uma arena, onde existem várias pessoas ao redor sentadas observando, todas usando o uniforme do dojo. Taro sobe na arena, e tira a camisa de cima, fica só com a camisa debaixo.

*Ele lança a camisa para Kenzo que está fora da arena*

Taro: Assim está melhor.

Página 19

*Taro caminha até o centro da arena, e se volta para frente, onde estão anciões e supostamente o líder do dojo dos Dragões Imperiais, ele se curva, em sinal de respeito*

Taro: Eu sou Taro, o tigre. Do dojo da Montanha. Vim aqui hoje honrar com o desafio proposto pelo dojo dos Dragões Imperiais.

Página 20

*O suposto líder do dojo, acena para chamar o oponente de Taro, o oponente saí de trás dos anciões e se coloca na arena, na frente de Taro, ele se curva, em sinal de respeito*

Oponente: Meu nome é Zen, o Dragão. Do dojo dos Dragões Imperiais. Serei seu oponente nesse desafio.

*Os dois se curvam. E se posicionam. A luta irá começar...

*END do Capítulo*
João Paiva
João Paiva

Mensagens : 275
Data de inscrição : 26/04/2012
Idade : 25
Localização : Belém/ PA

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Concurso de roteiros (oficial) Empty Re: Concurso de roteiros (oficial)

Mensagem por Aruki-chin em Seg Abr 30, 2012 3:27 pm

Autora: Aruki-chin

Título: Run away from wedding!

Sinopse:

Naoru, o estressado, e seu amigo Lent, o galã, são dois
garotos de 15 anos que nasceram nas Famílias Livres. Essas são famílias que
seguem leis baseadas em antigos costumes, muito diferentes do resto da
sociedade atual. O que mais frustra esses garotos é estarem fadados a se casar
com as noivas escolhidas por seus pais, e não terem o direito de protestar
contra isso. Será que eles conseguirão fugir de seu destino e mesmo assim
continuar dentro da lei? Ou terão que se casar com as noivas que tanto odeiam?


Spoiler:

Pag. 1:

Q1:

(Sombra de Naoru e Lent de costas um pro outro)

Texto1: - Família Takahama e família Tougo.

Texto2: - São as duas Famílias Livres da sociedade.

Texto3: - As Famílias Livres seguem leis diferentes das atuais...

Texto4: - Os seus descendentes são obrigados por lei a
seguir seus costumes que são muito parecidos com os de antigamente.

Texto5: - Como a desvalorização da mulher, a hierarquia
suprema, assim também os casamentos arranjados.

Texto6: - Ninguém nunca se
atreveu a protestar contra esse sistema nas duas famílias...

Texto7: - ...Até ontem!

Pag2:

Q1:

Naoru abre a porta do deposito com tanta força que causa um
estrondo.

Q2:

Lent (sentado em uma cadeira): - Então você veio... Naoru
Takahama.

Q3:

Naoru (se sentando na outra cadeira): - Lógico, Lent, da
família Tougo! Eu não aguentava mais esperar por uma chance de me livrar desse
casamento idiota! A gente só tem 15 anos! Isso é um saco!

Q4:

Lent: - Mas e ai, como é a sua
noiva?

Q5:

Naoru (com o punho cerrado sobre a mesa): - Das mais fofas
impossível!! Tão certinha, tão meiga, tão gentil!! Ah! Como ela me irrita!!

Lent: - Você tem sorte, a minha é agressiva que nem um
gorila! É um pecado um cara com uma beleza surpreendente como a minha ter que
viver do lado daquilo! (mexendo glamurosamente no cabelo)

Pag3:

Q1:

Lent (apontando para Naoru): - Mas eu descobri algo incrível!
A única maneira de nos livramos das nossas noivas!! Nós só precisamos conseguir
o documento do governo denominado QCA, que cancela nossos casamentos
arranjados, assim não desrespeitamos a lei!
...E o que você sabe?

Q2:

Naoru: - Que é impossível conseguir esse documento.

Q3:

(Eles deitam a cabeça na mesa, desanimados)

Os dois: - Ahhhhh....

Q4:

(ainda com a cabeça sobre a
mesa)
Naoru: - E se a gente só fugir?

Lent: - Eu sou bonito de mais pra virar um marginal.

Naoru: - E eu ficaria ainda mais estressado...

Q5:

(ainda com a cabeça sobre a
mesa)

Lent: - E se a gente tentar pedir educadamente...?

Naoru: - Não custa tentar...

Pag4:

Q1:

(Muda de cena: Agora eles estão
no escritório do secretario Sr. Gustavo)

Naoru (batendo na mesa do Sr. Gustavo com força): - É pra
você dar agora a papelada que nos libera do casamento !!!!

Lent (pensamento): não era pra pedir educadamente...?!

Q2:

Sr. Gustavo: - Co.....como vocês descobriram sobre o
documento!?

Q3:

Naoru (gritando ainda mais alto):
- Você VAI ou NÃO dar a droga do documento?!

(O Sr. Gustavo fica assustado)

Lent: - É melhor você entregar ein, Sr. Gustavo... Ele é
meio agressivo, sabe...

Q4:

Sr. Gustavo (mexendo nos óculos): - Tsc... Felizmente, não
sou eu quem cuida do QCA, vocês precisam conversar com a Srta. Yuriko, ela quem
é a responsável...

Q5:

Naoru: - E onde eu encontro essa tal de Yuriko?!

Sr. Gustavo (digitando no computador): - Não sei... Mas devo
lhes informar que vocês só têm 24 horas a partir de agora pra trazer o QCA assinado
pra mim. Caso contrario seus direitos de pegar esse documento serão anulados,
já que só é permitido requisitar um QCA na vida...


Pag5:

Q1:
[no fundo]
Sr. Gustavo: - Se bem que a Yuriko nunca iria autorizar um QCA...

Lent: - Mas assim ta impossível. Nós não temos tempo pra
tudo isso...

[no 1º plano]
(Naoru escuta uma voz do corredor que diz): - Mas Srta.
Yuriko, você não pode cancelar a visita assim...

Naoru (pensamento): - Yuriko?!

Q2:

Lent fala para o Sr. Gustavo: - Não vai dizer onde ela está
nem pra um rostinho bonito como o meu?? (fazendo “charme”)

Naoru (puxando Lent pelo braço): - Lent! Vamos embora daqui!

Q3:

Lent (decepcionado): - Mas eu estava quase conseguindo
descobrir quem é a moça...!

Naoru: - Cala boca e me segue!

Q4:

Sr. Gustavo: - A humanidade esta perdida com essa gente...


Pág.6:

Q1:

(Yuriko e seu assistente baixinho estão entrando no
elevador)

Q2:

Naoru (apontando para a moça): - Ali! Ela entrou no
elevador!

Q3:

(os dois começam a correr)

Lent: - O que??!!

Naoru: - Eu escutei o baixinho chamar aquela ali de Yuriko!
Vamos pedir pra ela o QCA!

Q4:

(eles começam a descer as escadas)

Lent: - Você só pode estar brincando! Sorte dessa não
existe!

Naoru: - Não reclama! Só corre!

Pag7:

Q1: (A Yuriko e o assistente saindo do elevador e passando
na frente dos dois garotos)

Assistente: - Mas senhora... Eles só querem passagem para
visitar a empresa....

Yuriko: - Sem crachá sem visita! A Lei não permite, eu não
permito!

Q2:

Naoru (diz para Yuriko): - Ei, Yuriko....

Yuriko: - E fale para esse menino que ele não tem permissão
para se dirigir a mim, e vamos logo embora!

Q3:

Texto: Toooom.... (Naoru fica petrificado)

Q4:

Lent: - Acho que vai ser difícil convencermos ela a assinar
um documento que praticamente quebra a lei... Sem falar que nem conseguimos
conversar com ela...

Naoru (furioso): - AAAAAAAAAH! Que Droga daquela idiota!!Ela
pensa que as leis são justas é?! Queria ver se ela fosse de uma família livre!!
Ahrrgg!!! E não posso me dirigir a ela?! Que ****** é essa!?

Q5:

Lent: - Olha a lei Maria da penha....

Naoru (segurando na blusa de Lent): - Ta do lado dela é?!

Q6:

Lent: - Se você não pensar em algo logo, ela vai acabar
sumindo com aquele carro... (apontando para o caro)

Naoru (sorrindo): - Mas eu já tenho uma idéia! Vamos seguir
ela pra ver o que mais ela faz durante o dia... todo mundo tem seu lado podre
na vida... Hehehe...


Pag.8:

Q1:

Cenário: um lugar
marginalizado da cidade

Q2:

Lent: - O que ela veio fazer nesse bairro da pesada...?

Naoru: - Estranho... Ela parece ser tão certinha...

Q3:

Yuriko entra em um host club.

Q4:

(Zoom na a placa do host club)

Q5:

Os dois: - O que? Um Host Club??!!!

Q6:

Lent (gritando): - Hahahahaha! Quem diria, a respeitável Yuriko
vai a um lugar desses!!

Naoru (prendendo o riso): - Cala a boca! Ela vai nos ouvir
idiota!!


Pag.9:

Q1: (Yuriko
sai do host club)

Lent: - Olha ela saiu!

Naoru: - Aquele com ela é um host?

Q2:

Host: - Espero que você entenda princesa Yuriko, hoje estou
muito atarefado, e não vou ter tempo de contemplar a sua beleza por muito
tempo... Mas vou te deixar em casa, não se preocupe.

Yuriko (vermelha): - Knight.....

Q3:

Naoru e Lent (pensamento): - Princesa??!! (segurando o riso)

Q4:

O host (Knight) abre a porta do carro para a Yuriko entrar.

Q5:

Lent: - Ih! Eles estão saindo, e agora?? Aqui está tão vazio
que não vai ter nenhum táxi...

Naoru (pensativo): Espera ai... aquele cara era
alto..loiro...bonito... Kyehehehe... Já sei o que a gente vai fazer!

Lent: - Essa sua risada está me dando medo...


Pag10:

Q1:

(Outro dia)

Naoru (com uma blusa ‘suspeita’ com capuz) está espiando a
frente da empresa onde a Yuriko trabalha.

Q2:

Yuriko sai de lá com o assistente.

Q3:

Naoru liga para o Lent: - Lent, vou dar inicio ao plano
agora! Você já está pronto?

Lent: - Quase, só faltam umas coisinhas!

Q4:

Naoru: - A gente não tem muito tempo, o documento expira em
2 horas, vê se não estraga! (-desliga)

Q5:

Yuriko entra em um
carro e vai embora...

Q6:

Naoru se aproxima do assistente e diz: - Ei, você ai
baixinho!


Pag11:

Q1:

Naoru: - Você trabalha nessa empresa, neah...?

Assistente (medroso): - E-eu? Sim p-por que...?

Q2:

Naoru: - Você poderia me levar até o deposito de documentos
antigos?

Assistente: - M-Mas eu nem sei quem é você garoto...

Q3:

Naoru (mostrando a identidade): - Eu sou da família Takahama,
então eu posso ir lá neah?

Assistente (alegremente): - AH! Takahama? Sim! Claro! Venha
comigo, por favor...

Q4:

Naoru (pensamento): - Huhuhu, até que tem suas vantagens
fazer parte das conceituadas famílias livres!

Q5:

O assistente abre a porta: - É aqui senhor Takahama, posso
ajudá-lo a encontrar o documento que deseja?

Q6:

Naoru mostra um sorriso medonho


Pág. 12:

Q1:

Naoru fecha a porta e diz: - Pois é amiguinho, você pode me
ajudar sim com um documento...

Q2:

Assistente: - E-e... qual seria? Senhor...

Naoru: - Pode me passar um QCA... Na verdade dois deles!

Q3:

Assistente: - O que?? Eu não posso entregar um QCA pra você!

Naoru: - Mas você não é o encarregado do documento!?

Q4:

Assistente (muito assustado): - Mas se eu entregar a Yuriko
me mata!! Sem chances!

Q5:

Naoru (enfurecido): - O QUE?!


Pag. 13:

Q1:

Naoru empurra o
assistente para o chão que cai entre as caixas cheias de papéis.

Q2:

Naoru: - Mas se é assim você não tem muita escolha neah?! Ou
você morre agora pelas minhas mãos, ou morre mais tarde pelas da Yuriko!!! Você
que escolhe! Aahhnn!?

Q3:

Assistente (morrendo de medo): - E-e-e-eu... Já vou pegar
Takahama!!

Naoru: - Senhor Takahama! SE-NHO-R!

Q4:

Assistente: - Sim Senhor!

(O assistente sai correndo para pegar o documento)

Naoru : - Idiota! Agora faltou o Takahama... Arrgg...

Pag. 14:

[Outra cena] Agora mostra a casa de Lent.

Q1:

Lent preenchido de preto atende o celular: - Alô?

Q2:

Naoru (que está em um escritório): - Acabei de mandar o fax
dos QCA’s.

Q3:

Lent (vê o fax chegando e diz): - Oh! Você conseguiu mesmo! Já
estou recebendo.

Q4:

Naoru: - Então anda logo, você só tem 40 minutos. O Endereço
da Yuriko ta indo junto com os documentos pelo fax... Até que aquele assistente
baixinho foi bem útil!

Lent: - E... o que você fez com ele...?

Q5:

Naoru: Não precisa se preocupar! Está tudo sobre
controle....

Q6:

O assistente está dentro do deposito ajoelhado, segurando na
porta, chorando e dizendo: Alguém me ajuda... alguém...alguéeeem....


Pag. 15:

Q1:

Um carro pára, Lent desce do carro (mostra só os pés),

Q2:

Ele toca a campainha
da casa da Yuriko (mostra só a mão).

Q3:

A Srta. Yuriko abre a porta: - Pois não?

Q4:

Aparece Lent super bem vestido, e com a aparência semelhante
a do host com quem a Yuriko se encontrou.

Lent: - Olá princesa Yuriko, é incrível como você fica ainda
mais bonita vista de perto!

Q5:

Yuriko fica rosada: - Q-Quem é você? A gente... Já se
conhece?

Pensamento da Yuriko: - Nossa! Que lindo!


Pag. 16:

Q1:

Lent: - Sou eu, Lent, o novo integrante do host club. Você
me convidou uma vez para vir te visitar, não se lembra?

Q2:

Yuriko (envergonhada): - Ah! Ahh hahaaa... Lembro sim hahaa...
Por que você não entra?

Lent (pensamento): - Há! Isso fica tão fácil com uma beleza
perfeita como a minha...

Q3:

Yuriko: - Eu vou preparar um chá, você pode esperar aqui... hahaa

Q4:

Lent: - Por que eu não preparo o chá para você? Seria um
pecado desgastar suas lindas mãos com uma pessoa como eu, princesa Yuriko.

Yuriko (vermelha): - Ahahaa... Já que você insiste...

Q5:

Lent (pensamento): - Quem diria que a orgulhosa Yuriko
cairia numa dessas! Hahaha! (prendendo o riso) O Naoru tinha mesmo razão, todo
mundo tem seu lado podre na vida...


Pag. 17:

Q1:

Ele traz o chá, e diz: - Yuriko, bela Yuriko, queria ficar
contigo para sempre! Mas minha origem não me permite ficar junto de alguém da
tão alta classe!

Yuriko (apaixonadamente): - Oh Lent...! Por que não
quebramos essa parede que separa nossos corações apaixonados?

Q2:

Lent coloca os QCA’s na mesa, e diz: - Eu tenho algo para ti
princesa Yuriko, esses papeis são o que separa o nosso amor! Só é preciso a
assinatura de vossa alteza!

Yuriko (voltando a si): - Um QCA? Então você é de uma
família livre? Como você conseguiu esses documentos?

Q3:

Lent (pegando-a pelo queixo e encostando suas testas uma na
outra): - Os detalhes não importam... Mas é só você assinar que podemos ficar
juntos para sempre.... (A Yuriko fica extremamente vermelha)

Q4:

Yuriko (saindo de si novamente), assina os QCA’s dizendo: -
1, 2, 3 QCA’s!! Quantos quiser eu assino só para ficar contigo meu Lent!!!

Lent (pensando com desgosto): - Seu Lent?!

Q5:

A Yuriko pula pra cima dele e o abraça.


Pag. 18:

Q1:

Abre-se uma porta de um quarto atrás deles e aparece um cara
alto e forte (marido da Yuriko) que vê os dois juntos.

Q2:

Marido (enfurecido): - Yuriko......... Você trouxe um desses
pirralhos pra casa de novo?

Q3:

Yuriko (soltando-se de Lent): - Mas meu bem! Ele é o amor da
minha vida!

Q4:

Lent: - O QUE??!!!!

Q5:

O marido vai pra cima de Lent com o punho cerrado: - Vem cá
seu pivete!!!!

Lent sai correndo (gritando): - Uaahhh!!!

Q6:

-Quadro preto de fim de pagina- Texto: ...

Pag. 19:

(Naoru e Lent estão sentados em um banco na praça)

Q1:

Lent com o rosto todo machucado

Q2:

Naoru sorridente: - Ahhh!!! Me sinto tão livre!!!

Q3:

Lent (chorando comicamente): - Fico feliz por termos
conseguido nos livrar do casamento... Mas eu acabei levando a pior, o marido da
Yuriko acabou com o meu rostinho...

Q4:

Naoru (como sempre, com raiva): - Ei! Eu também fiquei com
problemas! Depois que encontraram o assistente
baixinho trancado no depósito, me deram uma multa absurda! Eu queria ter pagado
ele com uma surra de matar! Aquele tampinha...!

Q5:

Lent: - Pelo menos nós estamos livres agora. Precisamos esquecer
isso e aproveitar mais o momento...

Naoru: - É mesmo... O que você vai fazer agora?

Lent: - Sei lá...


Pag. 20:

Q1:

Eles olham para o lado e notam algo

Q2:

São duas meninas colegiais conversando

Menina exigente: - Olha Saeko, você precisa me pagar o
dinheiro de ontem, viu?! (diz brava)


Menina bonita (sorrindo encantadoramente): - Pode deixar
Nana, não vou me esquecer.

Q3:

Lent e Naoru olham um para o outro, sorridentes.

Q4:

Eles correm em direção as meninas, com os braços pra cima,
gritando: Liberdadeeeee!!


Se alguém nao souber o que é um host club:
(Resumo da Aruki-chin: Lugar onde as mulheres vão e pagam para que homens bonitos satisfaçam suas vontades.
Spoiler:


Host club definição:



Um host club ou clube de anfitriões no Japão é um clube similar a um
hostess club, exceto que as clientes femininas pagam pela companhia masculina.
Alguns clubes de anfitriões especializam-se também em anfitriões transsexuais.
Os Host club são encontrados tipicamente princialmente em áreas mais povoadas
de Japão, e são muito numerosos dentro dos distritos de Tokyo, como Kabukichō,
e Osaka's Umeda e Namba. Os clientes são tipicamente esposas dos homens ou por
mulheres ricas que trabalham como hostesses em hostess club. O primeiro clube
de anfitriões foi aberto em Tokyo em 1966. Em 1996, o número de Host club de
Tokyo foi estimado em perto de 200, e uma noite de entretenimento não sexual
poderia custar $500 à $600.
Fonte: Wikipedia



Aruki-chin
Aruki-chin

Mensagens : 555
Data de inscrição : 18/02/2012
Localização : MG

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Concurso de roteiros (oficial) Empty Re: Concurso de roteiros (oficial)

Mensagem por João Paiva em Seg Abr 30, 2012 11:26 pm

Yo!

Autor: João Paiva

Título: Goal Stars

Sinopse:

Minoru é um garoto de 18 anos que sonha em ser um jogador de futebol profissional. A oportunidade aparece quando ele conhece, por acaso, Julia, uma brasileira filha de um diretor de um time de futebol brasileiro que está atras de novos talentos no Japão.

Spoiler:
Página 1

*O despertador tocando. Uma mão debaixo da coberta o desliga. Minoru se levanta e fica sentado na beira da cama*

Minoru: Ahhh!... Que sono bom.

*Ele se espreguiça e boceja. Ele olha para o calendário que está sobre seu criado-mudo, que se encontra no lado da cama. Ele o pega*

Minoru: É hoje... Hoje é o dia que eu realizo meu sonho.

Página 2

*Ele se levanta em um salto. Agora, Minoru está descendo as escadas e vai em direção à cozinha. Sua mãe está servindo o café da manhã, e seu pai está na mesa lendo jornal*

Minoru: Bom dia, mãe! Bom dia, pai!

Mariko: Bom dia filho, o café já está na mesa. Tome enquanto está quente.

*Minoru se senta na mesa*

Página 3

Minoru: Pai, hoje é o dia do teste de seleção. Hoje com certeza irei passar e realizarei meu sonho de ser um jogador de futebol.

*O pai de Minoru abaixa o jornal que estava lendo e olha para Minoru*

Kento: Minoru, você já tem 18 anos, já é um homem. Deve escolher o caminho que deve trilhar sozinho. Eu não aprovo essa sua escolha, mas também não irei interferir na sua decisão. Só quero que saiba que eu e sua mãe amamos muito você.

*Mariko se aproxima de Minoru e toca no seu ombro. Ela está sorrindo*

Minoru: Obrigado pai, obrigado mãe...

Página 4

*Ele rapidamente toma um gole de café e pega uma torrada*

Minoru: Já estou indo para o campo. Até mais, e torçam por mim.

*Ele se aproxima da porta pega uma mochila que estava encostada na parede em um cantinho, nesse instante, da escada, desce sua irmãzinha: Saori.

Saori: Ei! Irmão espera. Fiz isso pra você. Pra dar sorte hoje no teste.

*Ela entrega um cordão com um símbolo de uma bola para Minoru*

Página 5

Minoru: Valeu, Saori. Tenho certeza que trará muita sorte. Tchau!

*Minoru sai de casa e pega sua bicicleta. Ele agora pedala por uma rua estreita*

“É hoje. Tudo depende de hoje. Não posso falhar. Não irei falhar”

Página 6

*Agora ele passa por uma área verde e observa uma quadra de futebol toda cercada, ele freia a bicicleta, e fica observando*

“Foi aqui que tudo começo. Foi aqui que eu a conheci”

*Inicia um flashback*

*Agora, estamos na mesma quadra de futebol cercada. Minoru está treinando chute á gol, sozinho. Até que ele chuta a bola e ela ganha impulso e passa o cercado*

Minoru: Ah!...(desânimo)

Página 7

*Minoru sai da quadra e vai em busca da bola que caiu um pouco longe dali. Minoru avista uma garota segurando sua bola e olhando para ela fixamente. Ele se aproxima*

Minoru: Oi! Obrigado por pegar pra mim. Meu nome é Minoru.

*A garota levanta a cabeça e olha para Minoru. Ela olha diretamente para os olhos de Minoru. Os olhos dela brilham com todo a intensidade. Minoru começa a ficar corado*

“Nossa como ela é linda” – Pensa Minoru

Garota: Oi! Meu nome é Julia. Acho que isso aqui é seu.

*Julia entrega a bola para Minoru, ele pega meio sem jeito*

Página 8

Julia: Você gosta de jogar futebol?

Minoru: Futebol é minha vida. Toda tarde, quando dá, treino naquela quadra ali. Um dia, penso em ser jogador profissional.

Julia: O futebol é um esporte muito popular no meu país.

Minoru: Oh! Então você não é daqui do Japão.

Julia: Não, eu sou do Brasil. Estou a passeio aqui no Japão. Na verdade, meu pai está aqui justamente por causa do futebol.

*Minoru faz uma cara de que não entendeu. Julia sorri*

Página 9

Julia: Meu pai é dos diretores de um clube de futebol, muito famoso, no Brasil. Ele foi mandado pro Japão para procurar novos talentos, e leva-los para jogarem lá. Eu só estou acompanhando ele nessa viagem. Afinal, você estaria com vontade de fazer o teste?

Minoru: Eu gostaria muito!

Julia: Nossa! Que bom! O teste vai ser daqui a uma semana. No campo de futebol do Colégio Furigawa.

Minoru: Muito obrigado, pela informação... Que sorte eu encontrar você aqui.

*Julia começa a ficar vermelha*

Julia: Ehh.. Você voltará aqui amanhã?... Sabe, para treinar?

Minoru: Sim, agora irei treinar mais do que nunca.

Julia: Então, está bem... Tchau!

Minoru: Tchau...

*Minoru observa Julia indo embora. Já era um fim de tarde, depois observa a bola que ele ainda está segurando, ele olha para a bola de futebol e sorri*

Minoru: Você me dá sorte...

Página 10

*Nos dias que se seguiram, Minoru treinou duro todas as tardes. Julia sempre aparecia e ficava observando-o de longe. Um dia antes do teste de seleção, Julia desce até a quadra onde Minorou estava treinando chute a gol*

Julia: Ei! Minoru!

Minoru: Hãm... Ei! Julia, o que está fazendo aqui?

Página 11

Julia: Eu só vim dizer que eu já escrevi seu nome na lista dos candidatos. Apareça nesse local e nesse horário e por favor não se atrase.

Minoru: Não me atrasarei. Isso pode ter certeza.

*Minoru coloca uma das mãos na cabeça, e desvia o olhar de Julia*

Minoru: Eu estava pensando se você não gostaria de tomar um sorvete agora comigo. Sabe, como forma de agradecer pela informação e tudo mais.

Julia: Eu adoraria.

*Eles compram dois sorvetes, um pra cada um. Minoru em uma mão carrega o sorvete, na outra carrega a bola*

Julia: Amanhã, talvez, depois do teste de seleção, eu irei voltar para o Brasil...

Minoru: Poxa, mais tão cedo. Eu não queria que você já fosse...

Página 12

Julia: Boa sorte, amanhã. Eu ficarei torcendo por você

*Julia chega perto de Minoru e lhe dá um beijo, na bochecha. Depois ela vai embora*

*Minoru observa Julia indo embora. Depois ele olha para a bola de futebol*

Minoru: Acho que estou ficando apaixonado...

*Fim do Flashback*

*De volta a Minoru, na bicicleta, perto do campo de futebol cercado. Agora, ele volta a pedalar de novo. Rumo ao Colégio Furigawa. No portão do Colégio, existe um homem fechando os portões*

Página 13

Minoru: Ei!!! Espera!!!!!

*Minoru percebe que os portões estão se fechando e ele não conseguirá chegar a tempo. Até que ele observa uma mão impedindo que o portão se feche por completo. Minoru entra com bicicleta e tudo. Ele freia. Olha pra ver quem o ajudo-o É um garoto da sua idade*

Porteiro: Se você continuar com sua mão aí. Eu irei fechar esse portão com ela imprensada junto.

Garoto: Yo! Calma, calma. Já estou tirando.

*Minoru chega perto do garoto*

Minoru: Você salvou a minha vida.

Garoto: Tsc... Não foi nada. Agradeça-me depois. Você também veio para o teste de seleção?

Minoru: Sim... Ah! Prazer, meu nome é Minoru.

Página 14

Garoto: Eu me chamo Takeshi. Prazer.

*Os dois caminham pelo Colégio em direção ao campo de futebol*

Minoru: Hoje é um dia importante, huh? Hoje é o dia que eu viverei meu sonho...

Takeshi: Sonho...

Takeshi: Meu sonho é me tornar um jogador profissional, e hoje eu vou realiza-lo. Qual é o seu sonho?

Minoru: Por incrível que pareça. O meu sonho é parecido com o teu.

*Takeshi se volta para Minoru*

Takeshi: Dizem que quando dois homens tem os mesmo sonho, eles podem torna-lo em realidade duas vezes mais rápido. Por isso faremos nossos sonhos realidade hoje, certo Minoru?

Minoru: Certo!

Página 15

*Agora, um homem parecendo um treinador de futebol, soa um apito. Todos os participantes da seletiva são agrupados*

Treinador de Futebol : Ok! Prestem atenção. Vocês estão aqui porque tem vontade de jogador futebol. Mas receio dizer que só temos vagas para quatro pessoas. Então, aconselho que deem tudo de si.

*O mesmo homem soa o apito*

Treinador de Futebol: Que a seletiva comece!!

*Cenas de garotos jogando futebol, cenas de garotos fazendo embaixadinha, cenas de garotos correndo. De longe, na arquibancada Julia assiste todo o treinamento. Aparece Minoru com a bola. Depois aparece Takeshi levando um carrinho. Com isso, pulamos para o fim da tarde*
Página 16

Treinador de futebol: Muito bem, a seletiva está encerrada. Iremos divulgar o resultado em breve. Então, vocês estão dispensados para ir.

*Minoru saindo do gramado. Julia indo até o campo. Ela observa um colar jogado e o pega. O colar tem o símbolo de uma bola de futebol*

Página 17

*No outro dia, de manhã, uma multidão de jovens na frente de um mural no Colégio Furigawa*

Estudante #1: Eu soube que o resultado da seletiva saiu

Estudante #2: Nossa, eu tenho a maior vontade de conhecer o Brasil.

Página 18

*Minoru abre caminho entre os estudantes até chegar no mural. Ele dedilha os nomes dos aprovados. Ele lê o seu. APROVADO*

Minoru: ISSSSSOOOOOO!!!!!! PASSEEEIII!!

*Todos os alunos param e olham para Minoru, que pula de felicidade. Takeshi de longe observa Minoru*

Takeshi: Parabéns, Minoru...

Página 19

*Minoru avista Takeshi. E vem correndo em sua direção*

Minoru: EI! Takeshi você passou também! Por que você não está feliz?

Takeshi: EU ESTOU FELIZ! SÓ NÃO É PRECISO FAZER TODO ESSE ESCÂNDALO!

*Minoru abre um enorme sorriso*

Página 20

Minoru: Brasil!!! Me aguarde!!!

*Takeshi acompanha Minoru. Eles dois estão agora trilhando o mesmo sonho*

*END do Capítulo*
João Paiva
João Paiva

Mensagens : 275
Data de inscrição : 26/04/2012
Idade : 25
Localização : Belém/ PA

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Concurso de roteiros (oficial) Empty Re: Concurso de roteiros (oficial)

Mensagem por kingkenzo em Ter Maio 01, 2012 3:09 pm

Acabou!

Roteiros postados daqui em diante não estarão concorrendo.

Obrigado a todos que participaram.

O resultado sai assim que possível.
kingkenzo
kingkenzo

Mensagens : 368
Data de inscrição : 21/12/2011
Idade : 28
Localização : Campinas - SP

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Concurso de roteiros (oficial) Empty Re: Concurso de roteiros (oficial)

Mensagem por kid em Ter Maio 01, 2012 9:02 pm

Cowboy trash
Autor kid







Cowboy trash


Wild J Brown e um cowboy que saiu da sua cidade em busca de
vigança a procura do assasino de seu pai.
ainda estou terminando




Spoiler:





Wild J Brown e um cowboy que saiu da sua cidade em busca do
assasino de seu pai o pistoleiro numero
01 Billy D Black .


01-A vida em West city





Pág 01


Wild sai em busca do assasino de seu pai quando houve alguem
gritar


Willlllll!!!!!!!!!!


Era sua amiga Sonia


Sonia:não va will esqueça essa vingança


Wild:me desculpe quando eu matar o maldito black eu voltarei





Pág 02


04 anos depois





narração


West City cidade dos grandes heróis como wild bill hickok e
de bandidos como billy d kid nessa terra ocorreram as maiores lutes entre
cowboys e indios e duelos fascinantes





Wild voltando pra West city com seu parceiro Ned


Ned: ei will sua
cidade era tão quieta assim


Wild:não tem algo errado aqui.





Pág 03


homem entra no bar gritando :saiam todos os cobradores de
impostos estão chegando


a multidão no bar entra em desespero


então a dona do bar aparece era Sonia amiga de Wild


Sonia: esperem não vão eu vou resolver isso


Pessoas :desculpe temos que ir não queremos problemas


O homem continua gritando


Saiam andem antes q esses macacos apareçam


Então chegam os cobradores





Pág 04


Quem você chamou de macaco o cobrador chuta o homem pra fora
do bar


Sonia:pare!!ele não tem nada com isso tome o seu dinheiro e
vai embora


O cobrador pega o dinheiro e joga no chão


Cobrador:so isso se você so tem isso acho que vou ter q
levar outra coisa





Pág 05


Wild:isso está muito calado


Wild avista o homem caído na porta do bar


Wild:eii velho rob acorde,o que aconteceu aqui


Velho rob:os cobradores pegaram a sonia





Pág 06


Cobrador :acho q terei que levar você pra pagar a divida


Sonia:não pare por favor eu vou tentar te pagar depois
apenas espere





Velho Rob grita:acalme se sonia ele está aqui ele voltou


Sonia então vê Willd e começa a chorar


Sonia:willlllllllllll me ajude


Wild:salte a agora ou te farei comer grama


Ned:estamos num deserto não tem grama


Wild :cala boca isso não e hora


Sonia sorrir ao ver seu amado Wild e começa a lembrar do
passado







Pág 07


Flashback de Sonia





Sonia estava brincando la fora quando viu um homem era Jack
Brown um pistoleiro com uma recompensa de 500 mil por sua cabeça ele não era um
homem ruim ele foi dito como fora da lei após matar o antigo Sherife da cidade
que queria matar um homem que se recusava a pagar os impostos





Jack estava ao lado de seu filho pequeno Wild que tinha um
rosto triste pois não tinha amigos e sempre sofria ameaças por causa da má
reputação de seu pai












kid

Mensagens : 2249
Data de inscrição : 21/02/2012
Idade : 25
Localização : karakura mg

Ficha do personagem
nome :: lord kido
classe:: lord

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Concurso de roteiros (oficial) Empty Re: Concurso de roteiros (oficial)

Mensagem por kingkenzo em Sex Maio 11, 2012 6:24 pm

Okay!
Toda essa espera detonou a minha vontade de postar algo alegre e descontraído, por isso nada de resultados... brincadeira! Yay! Aqui vão os resultados... mas antes uma enrolaçãozinha básica para fazer um suspense.

A todos que participaram muito obrigado!
Obrigado também aos juízes... digo o NathanMaster e eu, porque o JuniorFrazão... sei lá o que aconteceu com ele.
Claro que devemos ser gratos também ao Bruno Alex, sem ele nada disso seria possível. Valeu Bruno!

Tiveram dois roteiros que não seguiram as regras ("De onde vem - Penrinete" e "Muritaka - Murilo o mago") , mas como não fizeram diferença alguma para o resultado, eu resolvi aceitar eles no concurso.

... vamos ver... o que mais?...
ah, sim! As notas.
O calculo foi simples (N + K)/2 = x, sendo N= a nota do NathanMaster K= a nota do KingKenzo e x= a nota final. Fiz isso com todos os critérios e somei as notas, e o roteiro com a maior soma ganhou.
Vocês provavelmente já sabiam disso, mas é sempre bom deixar claro. Assim não haverá dúvidas, e eu enrolo mais um bocadinho.

Agora sim as notas! Yay!
Antes de colocá-las, devo parabenizar a todos que participaram... parabéns!

Lá vai
... [aperta tabela] ...caramba! como eu vou fazer isso?... vai na sorte... hum?! entendi... será que fica verde?... yay! verde!... não é que ficou bonito... eu sou *oda mesmo (kkkk, viram o que fiz aqui?)

500 pré-visualizações depois aqui está!
[prega as notas na parede] calma! calma! aaaahhhhhh!... você pode pelo menos tirar seu pé das minhas coisas?... obrigado.

Spoiler:
Colocação Roteiro (autor) CriatividadePersonagens NarrativaTotal
1 Viagens de um floco de neve (Kaor)8.75 8.5 8.5 25.75
2 One more chance(Dariks) 9 7.75 8 24.75
3 Run away from wedding (Aruki-chin) 7.75 8.75 8 24.5
4 Conection Main Destruct (Goldslash) 9 8 724
5Punhos e sonhos (João Paiva) 7.5 8 8 23.5
6World of Masked Man (Dariks) 8.5 6.5 8.25 23.25
6Battle for love(J-Lucas) 8 8 7.25 23.25
6SMS for love (João Paiva) 8 7.75 7.5 23.25
7 Goal stars (João Paiva) 7 8 8 23
8Just my imagination (Vicare) 6.5 7.25 8.5 22.25
9Rule breakers (Vicare) 8.5 6.75 6.5 21.75
10 Bafoman (Juanito) 8 7 6 21
10 Deicídios de branco (Kaor) 8.25 6.5 6.25 21
11 De onde vem (Perinete) 6.25 6 6 18.25
11Roated hero (J-Lucas) 6.5 5 6.75 18.25
12 Muritaka (Murilo o mago) 5.5 3 4 12.5


Última edição por kingkenzo em Sab Maio 12, 2012 2:46 pm, editado 1 vez(es)
kingkenzo
kingkenzo

Mensagens : 368
Data de inscrição : 21/12/2011
Idade : 28
Localização : Campinas - SP

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

O autor desta mensagem foi removido do fórum - Ver a mensagem

O autor desta mensagem foi removido do fórum - Ver a mensagem

Concurso de roteiros (oficial) Empty Re: Concurso de roteiros (oficial)

Mensagem por juanito em Sab Maio 12, 2012 9:45 am

é verdade O=== deu 23,25
juanito
juanito

Mensagens : 2614
Data de inscrição : 14/03/2012
Idade : 26
Localização : MG

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Concurso de roteiros (oficial) Empty Re: Concurso de roteiros (oficial)

Mensagem por João Paiva em Sab Maio 12, 2012 10:20 am

Yo!

Ei, King, tem que ajeitar umas notas aí. O 4 tá dando 23,25 e não 24,25.
João Paiva
João Paiva

Mensagens : 275
Data de inscrição : 26/04/2012
Idade : 25
Localização : Belém/ PA

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Concurso de roteiros (oficial) Empty Re: Concurso de roteiros (oficial)

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Voltar ao Topo


 :: ATIVIDADE :: Roteiro

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum