escolha de roteiros para a revista digital

Página 2 de 2 Anterior  1, 2

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

voação roteiros para revista digital

13% 13% 
[ 13 ]
13% 13% 
[ 13 ]
14% 14% 
[ 14 ]
12% 12% 
[ 12 ]
15% 15% 
[ 15 ]
13% 13% 
[ 13 ]
12% 12% 
[ 12 ]
10% 10% 
[ 10 ]
 
Total dos votos : 102

Re: escolha de roteiros para a revista digital

Mensagem por kid em Dom Jan 20, 2013 9:08 am

a segunda votação foi assim e ninguem votou por isso prefiria se fosse desse jeito msm

kid

Mensagens : 2249
Data de inscrição : 21/02/2012
Idade : 22
Localização : karakura mg

Ficha do personagem
nome :: lord kido
classe:: lord

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: escolha de roteiros para a revista digital

Mensagem por kingkenzo em Dom Jan 20, 2013 1:31 pm

Eu ia esperar o do inventako terminar primeiro (se alguém tiver fácil a data de término eu ficaria grato de saber).

Outra coisa que me segura é a revista, digo, vai atrapalhar demais o desenvolvimento dela?

---------

Eu me voluntariei para criticar os roteiros, e acabei não o fazendo por achá-los ruins de muito. Isso foi arrogante da minha parte, não foi a intenção, mas como realmente pareceu, me desculpe.
Fui incentivado por alguns usuários (sim estou falando de vc), logo se falar alguma besteira a culpa é deles (... ou são deles... sei lá).
Então vamos lá [posicionando os baldes...]

Primeiro queria falar porque fui tão seletivo assim. Meu roteiro provavelmente (já que depois dessa corro riscos) vai estar na revista, e quero que os projetos colegas do meu sejam de um nível alto, pois acredito que Kenzo tem potencial e quero que seus coleguinhas possuam um nível aproximado (pronto, ganhei mais arrogância... dane-se).
Sei que a intenção da revista é mais a divulgação de nossos trabalhos, mas acredito que uma seleção boa de projetos vai abrir muitas portas (a revista vai chamar mais atenção, logo mais pessoas vão acompanhar e praticar publicidade boca-a-boca).

1- The Chronicles of Alamo:

“Básico sobe no palco vazio, levanta a parte da frente de sua camisa, mostrando o umbigo, que lança um laser! Básico permanece quieto e vai embora ainda segurando a camisa.”

Tai minha critica... tá vou explicar.
.-Básico ao extremo e nem disfarça, ele até mostrou o umbigo para que todos notassem ele. O autor pegou umas ideias básicas, colocou-as juntas, e pronto. Não há diferencial, nem algo que chegue perto de um.
.-Laser Beam! Os personagens tem poderes inexplicados. Sei que é cedo para chiar disso, mas senti que não há uma razão boa para esses poderes, apenas um “...meus personagens terão poderes... isso deve ficar da hora”. O laser se encaixa também no fim, onde algo surpreendente acontece, fica a expectativa, mas algo broxante acontece.
.-Vai embora quieto. Não sei a razão do projeto, digo o que devo esperar para o futuro? (sei que dá para imaginar isso, mas nada de bom me surge só com o que tenho) Isso é algo que deve estar presente em um primeiro capítulo... pelo menos eu acho.
.-E não posso deixar isso passar “ Quando acabar você irá ou para o céu ou para o inferno dependendo das ações em sua vida Deus decidirá para onde você irá” kkkk, era para ser uma frase de efeito? Já que a situação gritava por uma.

Se me disserem que o mocinho morre no final desse capítulo, devo admitir que haveria esperança para o projeto (que não acho que seria bem usada), mas o modo como ele morreu foi muito horrível (sim, muito horrível).

2- Hope of Bho:

Esse não é tão ruim. O problema é o buraco que encontrei e os aliens.
O buraco é “o que inferno estava o robô fazendo no espaço em uma pequena lua e de tão pequena se ele quisesse dá a volta nela andando demoraria no máximo meia hora”? O bicho tá pegando na Terra, o cientista percebe e cria algo que acalmaria esse bicho, taca num robô e manda ele pro espaço!?
É fácil criar desculpa para isso, mas essa desculpa deveria estar no roteiro.
Os aliens eu não tenho certeza. Acho que ficaria melhor sem eles, visto que a o ponto principal é a lição de moral do projeto. Mas não sei, não quero pensar muito nisso.
A introdução do A.M.O.R poderia ter ficado pro fim, ou ter sido feito o “trocadilho” de forma mais sutil.

3- World of Masked Man:

Esse também não é ruim, o problema é que foi do concurso, onde havia um tema, e ainda é exatamente o mesmo roteiro.
Outra coisa é o fato de o mocinho ter passado tão fácil e rapidamente pelos testes, “-não pegue a moeda. -tá bom” (eu entendo a razão, mas acho que ele poderia pelo menos refletir um pouco).

... o cara morreu de gripe!... nem sei se é possível isso, mas mesmo se for... gripe!?
Tem umas coisas sobre cores que não existem, obviamente o desenhista teria que mudar isso.

Mas o que mais me incomodou foi o final, onde o mangá era o “sonho”. Fez parecer que ele não aprendeu nada, e apenas usou o sonho para criar o roteiro.

8- Lembranças em movimento:

Vou pular para esse... hunf, não vou explicar o porque. Falo dos outros depois.

... que droga... esse é bom... desculpe mas não poderei arrebentar ele.
achei que iria ver outro umbigo, o que aconteceu, mas no final mostra que era a intenção, uma coisa mais simples.

... é isso. A simplicidade e a mensagem do projeto o tornam bom. O fato de serem crianças me incomodou de inicio (uma criança parar para pensar dessa maneira principalmente), mas se for ver esse roteiro não funcionaria com nenhuma outra idade.

kkkk, que droga, depois da expectativa que se criou, minha critica é apenas isso. Foi mal Razz.

Depois comento os que faltam.

kingkenzo

Mensagens : 368
Data de inscrição : 21/12/2011
Idade : 25
Localização : Campinas - SP

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: escolha de roteiros para a revista digital

Mensagem por juanito em Dom Jan 20, 2013 2:38 pm

(sim estou falando de vc)

juanito

Mensagens : 2598
Data de inscrição : 14/03/2012
Idade : 23
Localização : MG

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: escolha de roteiros para a revista digital

Mensagem por kingkenzo em Ter Jan 22, 2013 11:43 am

péssima critica de King Kenzo parte 2.

4- Les Détectives Français!:

Um detetive prodígio... ok, não é como se eles tivessem registrado isso (14 anos é um pouco demais, mas ok também)
Trabalha na França e é chamado para resolver um caso nos EUA... nada muito grave, se não fosse o caso do tira falar que provavelmente foi um suicídio... seguido de um tira falando “discordo, o assassino deixou uma mensagem” (kkkk... desculpe, não aguentei). Outra coisa é que o assassino deixou a mensagem para o mocinho, ele matou nos EUA, deixou uma mensagem para o mocinho na França, mocinho esse que ainda não tem certeza se foi um assassinato de um serial frances que ele provavelmente caçava na França (... tá difícil entender essa coisa , o serial agora é americano, e não encontro o motivo dele ter chamado o coisa da França). E para fechar, o mocinho leu a mensagem, deu um palpite qualquer e foi embora pra França... ele tinha aula no outro dia e não podia ficar até resolver o caso?
A mensagem e a resolução até que foi bem pensada, nada genialmente pensado (pois poderia ter floreado mais a mensagem... ou pelo menos rimado), mas boa (e sim, eu vi que tinha uma razão para ser assim, mas acho que essa razão podia ser retirada sem afetar nada). Sangues ficou estranho, mas não sei se está errado, já que não vejo porque o plural de sangue não pode ser de sangues. E o policial desvendando no final ficou estranho, mas faz sentido, já que ele é do EUA.
E no final, o assassino que tinha planejado tudo, leva um tiro e morre... ok, mas bem broxante.
... ele explicou miopia e não explicou rigor-mortis, mas isso não tem nada a ver com a estória, então próximo.
Preguiça de tentar entender o segundo caso, que deveria estar no segundo capítulo, a menos que tivesse relação com o primeiro caso... ou se explicasse o que a guria foi fazer nos EUA. Mas deu para ver que muitas das evidencias que ele usou para explicar não foram apresentadas aos leitores antes da resolução, o que eu acho um crime em um projeto de detetive (entenderam?... um crime!...).

Resumindo, o mocinho é fódão demais, não dá tempo e informações para o leitor tentar resolver o crime. O roteirista focou tanto seus pensamentos nos casos que esqueceu todo o resto. Não vi a razão de tudo isso acontecer na França, e principalmente o porque enfiar os EUA no projeto.

5- Kenzo:

Esse tá perfeito, não tenho nada a dizer... brincadeira, não me olhem assim.

Primeiro, vou deixar o roteiro mais atualizado, por ser o que eu tenho mais na cabeça.
(lembrete: não esquece de colocar o link cabeção)
Rá eu lembrei!


Vou falar o porque de achar que isso tem potencial.
É uma estória original (me mostrem que estou errado, sério, não possuo muitas referencias para achar o contrário). A estória tem uma lógica e coisas subentendidas para dar mais amplitude a coisa (ex.: “eu deixaria que eles se virassem”, logo Deus não liga para os humanos, por que? Se pegarmos o que Lancer faz dá para criar uma teoria, Deus é injusto, a humanidade deve ter renunciado ele/ “foi o dia mais feliz da minha vida” isso mais o urso e os algodões remete a parques de diversões, Kenzo não está feliz, logo há algo de errado com ele, no fim da luta ele sorri e no fim do roteiro Leneth fala que ele não tem sentimentos, há ou não algo errado com Kenzo?).
Os personagens tem características fortes (Seph é um Deus que não liga para humanos, Kenzo é o servente sem sentimentos, Leneth a menina que quer mudar Kenzo e confia em Seph por conhece-lo realmente, Mãe é uma mãe que ama os filhos e confia em Seph, Lancer é o humano que erra e se indigna contra Seph por não conhece-lo realmente, Steve é o servente fiel que faz as coisas sem perguntar nada) (pegaram? Subentendimento, todos confiam em Seph, mesmo ele parecendo irresponsável).
A forma que escrevi também é um fator que me faz achar que o roteiro é bom, pois não é algo cansativo de se ler, com informações necessárias para entender a estória sem desviar para detalhes desnecessários.
Fora ter pensado no mercado, colocando o que acho ser necessário para atraí-los (lutas, estórias que tem lógica, chicas e piadas).

Um ponto negativo foi o fato desse one-shot ter sido claramente criado depois da série, já que o propósito de um one-shot de uma série é levantar dados para tornar a série melhor. Outro ponto negativo (que preciso com urgencia aprender como resolver) são os nomes, usei um monte de referencias nada a ver para cria-los (Seph = Sephiroth de ff vii, Leneth = Lenneth de Valkirye Profile, Kenzo = ... não lembro de onde tirei esse nome, Steve = George nomes genérico presente em “todos” meus roteiros, Lancer = lança, Mãe = ... não criei nome prela então deixei Mãe mesmo).

É isso, agora fiquem quietos e me deixem ser arrogante em paz.

kingkenzo

Mensagens : 368
Data de inscrição : 21/12/2011
Idade : 25
Localização : Campinas - SP

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: escolha de roteiros para a revista digital

Mensagem por kingkenzo em Qua Jan 23, 2013 10:14 am

parte 3

6- Detetives Crazy:


Não gosto desse tipo de projeto, mas como algumas pessoas dizem que é bom, vou tomá-lo como uma boa comédia.
O que eu notei foi que o nível caiu muito depois da resolução do primeiro caso (resolução que obrigou a fazer um facepalm de tão ruim, como comentei no tópico do projeto, primeiro ela diz pequeno e peludo, depois é um cachorro quente, não acho que foi uma piada, e sim um erro acidental). O primeiro capítulo tem umas piadas boas e “inteligentes”, mas chega no segundo a coisa já desanda completamente e vira uma forçação (... são com dois ç segundo word) de barra.
Como disse, não sou fã desse genero (logo não tenho com o que comparar), mas como disseram que é bom, acho que dá pé, só tem que arrumar essa resolução horrenda e encontrar o tom pastel correto das piadas (pegaram? Pastel~pastelão?... é só decidir o quanto vai forçar as piadas).

7- The lucky charm:


Acredito que era para ser uma comédia. Se sim, tem muito o que trabalhar nas piadas, elas são forçadas (a tinta), sem sentido (velho tarado) e sem graça (todas kkkk cruel e arrogante).
Mas o fator que matou esse roteiro para mim foi o fato de Lindsay Lohan ter estrelado um filme com tema parecido, mas mais criativo que esse projeto... e o pior é que eu assisti o filme o suficiente para lembrar dele. O tema até que é interessante para uma comédia, mas Lindsay Lohan.
Outra coisa que me incomodou é o fato de que ele seria atropelado se tirasse o amuleto, isso ia matar o roteiro, já que ele ia ter que usar o coiso o todo o tempo, senão morreria.
Uma coisa que gostei foi o fato da guria não ter sorte também. Só acho que tinha que ser mais sutil ao mostrar isso.

é isso, meu voto ira para Kenzo (pelos motivos que já citei) e Lembranças (melhor estória). O terceiro teria que mexer algumas coisas, mas seria Masked (se fosse para mais um one-shot) ou D. crazy (se fosse para uma série).

Yay! Terminei, e como ninguém me xingou ainda acho que falar mal de roteiros não é algo tão grave assim... pena não ser bom com sarcasmo...

kingkenzo

Mensagens : 368
Data de inscrição : 21/12/2011
Idade : 25
Localização : Campinas - SP

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: escolha de roteiros para a revista digital

Mensagem por Conteúdo patrocinado Hoje à(s) 2:50 pm


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 2 Anterior  1, 2

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum